Fonte: OpenWeather

    Comemoração


    Banda Treme-Terra faz live no Dia dos Namorados com muito forró

    Treme-Terra promete mostrar os hits do seu novo álbum disponível apenas nas plataformas de streaming

     

    | Foto: Divulgação

    A segunda edição da live "Corações Apaixonados", da Banda Treme-Terra, com transmissão ao vivo pelo Facebook, Instagram, YouTube e Radioweb Amarildo Paixão, acontece nesta sexta-feira (11), véspera do Dia dos Namorados, das 10h às 12h.

    Segundo o músico Roberto "Bopp" de Oliveira, a exemplo do que ocorreu no mesmo período em 2020, a Treme-Terra promete mostrar os hits do seu novo álbum disponível apenas nas plataformas de streaming.

    "Para a live deste ano, a gente manteve o mesmo envolvimento do ritmo tradicional da banda, o forró pé-de-serra, e vamos acrescentar aquele swing de xote e baião românticos que todos adoram", explicou Bopp, adiantando sobre as novidades que a banda apresentará.

    Mesclando a tradição dos estilos idênticos ao de Luiz Gonzaga, apontado como o “Rei do Baião”, e de Jackson do Pandeiro, a Banda Treme-Terra desenvolve na poética das suas letras autorais o cenário romântico urbano, além das críticas sociais bem-humoradas, crônicas do cotidiano e a preocupação com o meio ambiente. O portfólio da banda inclui obras com ritmos de toadas, carimbó, músicas de beiradão, baião, brega pop e forró.

    As influências musicais da banda variam de canções do começo da década de 80 aos mais contemporâneos sons e movimentos da dita Música Popular Amazonense. Apesar da tendência voltada para o forró, a banda Treme Terra apresenta uma pegada autoral pós-moderna, misturando a formação de “regional” (violão, sanfona, zabumba e triângulo) com a instrumentação do jazz e do rock (baixo elétrico, guitarra semi-acústica e bateria).

    Histórico

      Criada em 1995 pelo músico Roberto Bezerra de Oliveira, o “Bopp” – principal compositor e arranjador da antiga banda Carrapicho, a Treme-Terra tem seu nome alusivo ao maior tambor utilizado no Festival dos Bumbás de Parintins.  

    “O nome representa ainda um som alegre, forte e arrojado, que treme a terra de alegria, que balança o corpo e levanta poeira”, explica Bopp.

    O grupo lançou em julho de 2000 o seu primeiro álbum autoral, "Um Show de Forró", que lhe valeu convite para apresentações dentro e fora de Manaus, com forte inserção em TVs e rádios locais. 

    O sucesso das letras atraiu a atenção da crítica musical nacional, e a banda foi convidada para participar do filme “A Selva”, e viu incluídos dois de seus hits na trilha sonora do longa-metragem, as músicas “Bate-Coxa” e “Saga do Seringueiro”.

    O segundo trabalho autoral do grupo Treme Terra, “Um Terremoto de Forró”, lançado em 2004, abriu o cenário da banda para as apresentações nacionais, fazendo shows em Mato Grosso do Sul, Paraná, Brasília e Pará, entre outros. Por seu envolvimento com a cultura local, a banda recebeu proposta de apresentação no Brazilian Day, em Nova York, em 2005.

    Apesar de a live do próximo dia 12 de Junho ser uma estreia no formato dos shows normalmente realizados no histórico da banda, a participação nas rede sociais é antiga. Além disso, o grupo Treme-Terra foi um dos primeiros do Amazonas a apostar no segmento de vendas das músicas por streamings desde 2006.

    “Estamos buscando nos adaptar aos novos parâmetros de apresentação no cenário musical. Vai ser uma experiência nova, algo muito especial que vai nos demandar um esforço em equipe para garantir a mesma pegada, o mesmo agito, dos nossos shows ao vivo”, explica Bopp.

    Leia mais:

    Alaídenegão comemora 13 anos de carreira com show virtual

    Conheça 'Os Maninhos', grupo manauara criado após conversa no WhatsApp

    Banda de forró de Manaus faz show para mais de 500 pessoas em Coari