Fonte: OpenWeather

    Música


    Festival Amazonas de Ópera termina com concerto e estreia musical

    No encerramento, haverá estreia da ópera “moto-contínuo”, de Piero Schlochauer. Saiba mais:


     

     O 23º Festival Amazonas de Ópera encerra neste fim de semana.
    O 23º Festival Amazonas de Ópera encerra neste fim de semana. | Foto: Divulgação

    Manaus - O 23º Festival Amazonas de Ópera, tradicional evento cultural realizado em Manaus, encerra neste fim de semana, com concertos e a estreia da ópera “moto-contínuo”, de Piero Schlochauer, que irá ao ar no domingo (20), às 19h (20h, no horário de Brasília).

      Neste ano, o festival é dedicado aos intérpretes e compositores brasileiros e está sendo realizado em formato on-line por meio do canal do FAO no YouTube (festivalamazonasdeoperafao) e pelas redes sociais da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (@culturadoam).  

    Ária dos Olhos

    Nesta sexta-feira (18), às 20h (21h, Brasília) será apresentado o concerto “Ária dos Olhos”, da cantora, compositora e pianista Paulina Łuciuk, baseado no poema homônimo de Alphonsus de Guimarães, com a soprano Roseane Soares, Coral do Amazonas e Amazonas Filarmônica, sob regência do maestro Marcelo de Jesus.

    O maestro Otávio Simões, regente titular do Coral do Amazonas, destaca que Paulina criou uma atmosfera onírica para a obra e diálogos com uma linguagem que lembra a música do início do século 20.

    “Ela consegue chegar nesse ambiente, que é a época do poeta Alphonsus de Guimarães. Paulina é soprano e por isso criou uma linha de canto muito bonita para a obra. Um dos destaques é um instrumento que será usado pela orquestra, que poucos conhecem, que é a celesta. É como se fosse um piano menor, no qual, em vez do martelo bater em cordas, o martelo bate em teclas de metal, o que cria um som doce. Temos um solo bem importante de celesta, que será tocado pela Irina Kazak”, comenta.

      A obra “A Máquina Entreaberta”, do compositor curitibano Willian Lentz, baseada nos poemas dos brasileiros Haroldo de Campos e Carlos Drummond de Andrade, será apresentada no concerto de sábado (19), também às 20h (21h, Brasília). Fazem parte do concerto o barítono Isaque Oliveira, com a Amazonas Filarmônica. O maestro Otávio Simões é o regente.  

    “Lentz é um compositor com uma base filosófica e literária muito sólida, além de um conhecimento musical aprofundado. É uma obra vocal de nível altíssimo baseada nos poemas ‘A Máquina do Mundo’, de Drummond, e a ‘A Máquina do Mundo Repensada’, de Haroldo de Campos’, que dialoga com a obra de Drummond, então temos metalinguagem na obra. Trata-se de uma meditação sobre o futuro da humanidade, um tema bastante oportuno. Uma obra bem moderna e sofisticada, que deu muito trabalho aos intérpretes e exigiu muitos ensaios. Apesar dessa sofisticação, é uma obra muito bonita”, ressalta Simões.

     

    FAO no YouTube (festivalamazonasdeoperafao) e pelas redes sociais da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (@culturadoam)
    FAO no YouTube (festivalamazonasdeoperafao) e pelas redes sociais da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (@culturadoam) | Foto: Divulgação

    Ópera 

    A última ópera da programação do 23º FAO, “moto-contínuo”, de Piero Schlochauer,  estreia no domingo (20), às 19h (20h, Brasília). Com libreto de Beatriz Porto, Isabela Pretti e do próprio Piero, “moto-contínuo” é uma ópera de ato único, com cerca de 30 minutos de duração, escrita para um quinteto de sopros (flauta, oboé, clarinete, trompa e fagote), tímpano e dois percussionistas, e terá a Amazonas Filarmônica, com os solistas Juliana Taino (mezzo-soprano) e Erick Souza (barítono).

      A obra conta a história de uma inventora que recebe um pedido para construir um moto-contínuo, uma máquina que pode se mover eternamente. Segundo o compositor, a história fala da busca da humanidade por sentido. A obra foi encomendada para o FAO.  

    As óperas "Três Minutos de Sol", de Leonardo Martinelli, e "O Corvo", estão disponíveis para o público no canal do FAO, no YouTube.

     

    O maestro Otávio Simões, regente titular do Coral do Amazonas, destaca que Paulina criou uma atmosfera onírica para a obra e diálogos com uma linguagem que lembra a música do início do século 20.
    O maestro Otávio Simões, regente titular do Coral do Amazonas, destaca que Paulina criou uma atmosfera onírica para a obra e diálogos com uma linguagem que lembra a música do início do século 20. | Foto: Divulgação

    Webinars e Masterclasses 

    Os webinars e masterclasses exibidos durante a programação do festival também estão disponíveis no canal do FAO. Temas como a profissão do compositor erudito e o cenário de teatro de ópera e economia criativa, além da aula de canto com a soprano e atriz Gabriela Geluda podem ser acessados gratuitamente.

    ‘Raio-X da Ópera’ 

    O “Raio-X na Ópera”, uma série de 14 vídeos sobre os bastidores e curiosidades do Festival Amazonas de Ópera e do mundo lírico, também é parte da programação do FAO. Cada episódio trata de um tema diferente como composição, direção, regência, orquestra, entre outros. O público pode conferir a série nos canais do FAO e da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (@culturadoam).

    FAO 2021 

    A 23ª edição do FAO iniciou no dia 6 de junho, com óperas e concertos gravados, recitais transmitidos ao vivo, webinars e masterclasses on-line, entre outras atrações.

    Seguindo os protocolos de segurança e prevenção contra o novo coronavírus, o FAO tem uma produção inovadora este ano. As orquestras dos Corpos Artísticos gravaram, em dias alternados, áudio e vídeo das obras em Manaus, no Teatro Amazonas, e os solistas gravaram as vozes em São Paulo, onde também é trabalhada a parte cênica. O material foi, então, reunido e editado para dar vida às óperas e aos concertos. Os grupos de músicos também são reduzidos, em formato de câmara, para evitar aglomerações e facilitar o distanciamento social.

    *Com informações da assessoria

    Leia mais: 

    Festival Amazonas de Ópera entra na última semana de apresentações

    Recital do 23º FAO reúne canções de Almeida Prado e Francisco Mignone

    23º Festival Amazonas de Ópera tem programação com webinars gratuitas