Fonte: OpenWeather

    mini documentário


    Coreógrafo do Amazonas é tema de mini documentário

    Em um de seus trabalhos mais recentes, o coreógrafo criou o espetáculo “Rotina Cabocla”

     

    Kevin foi um dos dez “fazedores culturais” escolhidos para participar da iniciativa premiada
    Kevin foi um dos dez “fazedores culturais” escolhidos para participar da iniciativa premiada | Foto: Marcelo Ramos/AjuriArtes

    Manaus (AM) - A história inspiradora de um bailarino e coreógrafo amazonense foi o tema de mini documentário lançado pelo projeto AjuriArtes, no último fim de semana.

    Na produção audiovisual, Kevin Peres conta sobre a carreira, desafios e conquistas antes e depois da criação do Arte&Movimento, no município de Codajás, a 240 km de Manaus.

    O vídeo com os relatos pode ser acessado gratuitamente em www.ajuriartes.com.br . Kevin foi um dos dez “fazedores culturais” escolhidos para participar da iniciativa premiada que pretende divulgar na web artistas com atuação na Amazônia. 

    Em um de seus trabalhos mais recentes, o coreógrafo criou o espetáculo “Rotina Cabocla”, que foi apresentado com público reduzido, respeitando protocolos de segurança impostos pela pandemia de Covid-19 e com transmissão ao vivo via internet.  

    Dança Cabocla

     

    A inspiração para criar surgiu do cotidiano vivenciado por Kevin desde a infância.

    "

    Sou do interior, de uma comunidade ribeirinha de Codajás, e tive a vivência do caboclo ribeirinho nato, que convive com a natureza. Fazendo o estudo, comecei a perceber que a gente podia pegar movimentos da rotina do caboclo, que é muito rica: pesca, farinha, juta. Tudo tem algum tipo de movimento que diferencia. Pensei em usar isso como base para criar o espetáculo "

    Kevin Peres, coreógrafo

     

    A produção sobre o coreógrafo da “Terra do Açaí” foi intitulada “Um lótus entre os açaizais: a dança que floresce no interior do Amazonas”. Além do vídeo de pouco mais de 10 minutos, uma reportagem assinada pelos jornalistas Camila Henriques e Leandro Tapajós e um ensaio fotográfico feito pelo fotógrafo Marcelo Ramos completam os conteúdos de divulgação do artista. 

     

    Além do vídeo de pouco mais de 10 minutos, uma reportagem assinada pelos jornalistas Camila Henriques e Leandro Tapajós e um ensaio fotográfico feito pelo fotógrafo Marcelo Ramos completam os conteúdos de divulgação do artista
    Além do vídeo de pouco mais de 10 minutos, uma reportagem assinada pelos jornalistas Camila Henriques e Leandro Tapajós e um ensaio fotográfico feito pelo fotógrafo Marcelo Ramos completam os conteúdos de divulgação do artista | Foto: Marcelo Ramos/AjuriArtes

    O Projeto 

    Dança, música, cultura popular, artes plásticas, arte urbana, fotografia, cinema, literatura, teatro, produção cultural. Uma verdadeira miscelânea de cultura amazônica está presente no curta AjuriArtes, que leva o mesmo nome do projeto lançado em Manaus, na noite de quinta-feira (16).

    Além do documentário, outros conteúdos serão disponibilizados em um site e canal do Youtube. A iniciativa, que tem objetivo de divulgar os “fazedores culturais” da Amazônia, foi agraciada com o Prêmio Feliciano Lana, via Lei Aldir Blanc, no fim de 2020. Termo indígena, ajuri quer dizer mutirão.

    "

    “O projeto vai possibilitar ao público conhecer bastidores, histórias e pessoas que estão por trás de suas obras. Desde quem faz a dança contemporânea acontecer no interior do Amazonas, passando por nomes da música local que vence barreiras geográficas por meio da web, até quem faz esculturas e grafites nas ruas de Manaus, ou captura fotos icônicas na floresta. Tudo isso está presente nos conteúdos do AjuriArtes "

    Leandro Tapajós, idealizador do projeto

     

    A primeira edição do AjuriArtes é assinada pela Guerreiro Tapajós – Comunicação, Cultura e Eventos e foi contemplada pelo Programa Cultura Criativa – 2020/ Lei Aldir Blanc – Prêmio Feliciano Lana, do Governo do Estado do Amazonas, com apoio do Governo Federal – Ministério do Turismo – Secretaria Especial da Cultura, Fundo Nacional de Cultura.

    O evento de lançamento ocorreu com avant première em um dos principais espaços culturais do Centro Histórico de Manaus, o Casarão de Ideias.

    Os artistas selecionados para a 1ª edição do AjuriArtes foram: Deborah Erê (Arte urbana e tattoo); Dudu Brasil (Música e cultura popular); Gabriel Mar (Literatura); João Fernandes (Produção e gestão cultural); Kevin Peres (Dança e produção cultural); Olívia De Amores (Música); Ricardo Oliveira (Fotografia); Rodrigo Castro (Cinema); Taciano Soares (Artes cênicas) e  Turenko Beça (Artes plásticas e visuais). 

    *Com informações da assessoria

    Leia mais:

    Corpo da Dança do Amazonas apresenta "Solatium" no Festival Funarte 

    Projeto divulga histórias de artistas atuantes e influentes no AM 

    <<<<<<< HEAD ======= >>>>>>> e5a666b371d90e4920345db9572e28a6ed1fabe8