Fonte: OpenWeather

    Exposição gratuita


    Exposição incentiva participação feminina na ciência e tecnologia

    O objetivo é despertar o interesse de meninas pela área e que a sociedade conheça suas realizações.

     

    O Garotas Espertas é promovido pelo Projeto Cunhantã Digital, em parceria com a Casa de Artes Trilhares
    O Garotas Espertas é promovido pelo Projeto Cunhantã Digital, em parceria com a Casa de Artes Trilhares | Foto: Divulgação

    MANAUS (AM)- As contribuições femininas, com descobertas revolucionárias e marcantes são  inúmeras. É só fazer uma rápida pesquisa na internet para confirmar a grande participação das mulheres na área da ciência. 

    A história de algumas dessas cientistas está sendo contada por jovens atrizes no projeto “Garotas Espertas”, que terá uma exposição de fotos gratuita, a partir desta terça-feira (12) a 24 de outubro, no Manauara Shopping, em homenagem ao Dia das Crianças.

    O Garotas Espertas é promovido pelo Projeto Cunhantã Digital, em parceria com a Casa de Artes Trilhares, e produziu 12 curtas-metragens que destacam as histórias de mulheres importantes para a ciência.

    O objetivo é despertar o interesse de meninas pela área e que a sociedade conheça suas realizações.   

      Nos curtas, atrizes mirins, entre 8 e 13 anos, interpretam as cientistas, apresentando as histórias de vida e principais realizações. As mulheres representadas são: Ada Lovelace, Hipácia, Margaret Hamilton, Nancy Roman, Grace Hopper, Dorothy Vaughan, Joan Clarke, Katherine Johnson, Rosalind Franklin, Mary Jackson, Hedy Lamarr e Radia Perlman.  

    Os curtas serão lançados no canal do Projeto Cunhantã Digital, no YouTube. Com o lançamento do projeto, os planos futuros são levar esse material para todo o país, divulgando em escolas, universidades e locais de grande circulação de pessoas.

    Além da divulgação dos curtas e das fotos, o projeto irá criar oficinas para estudantes de ensino fundamental e médio com temas relacionados à contribuição da mulher na ciência, tecnologia e inovação. 

    Os visitantes poderão conferir a exposição com as imagens das atrizes caracterizadas como as cientistas que interpretaram e um resumo da história de cada uma. Também terá um QR Code que direcionará aos vídeos do projeto. 

    A coordenadora do Cunhantã Digital, professora Fabíola Nakamura, informou a intenção é incentivar para cada vez mais mulheres tenham papéis importantes na área científica.

    "

    Meninas precisam ser incentivadas desde sempre de que podem estar naquele local. Os meninos desde pequenos têm que criar uma consciência de que as mulheres estarão ali também. A família tem um papel essencial em apoiá-las a seguirem esse sonho "

    Fabíola Nakamura, coordenadora do Cunhantã Digital

     

    Segundo ela, o “Garotas Espertas” pretende ainda descobrir e incentivar novas histórias por onde passar, fazendo surgir novas cientistas brilhantes. 

    “Entendemos a necessidade de uma rede de apoio, onde a menina se sinta segura e incentivada a ser uma cientista. Com o Garotas Espertas esperamos criar isso, um local onde elas possam se inspirar e se sentir capazes, porque elas são”, finaliza.

    Sobre o Cunhantã Digital 

    O Projeto Cunhantã Digital teve início em 2015 no Instituto de Computação (IComp) da Universidade Federal do Amazonas. O objetivo central do projeto é despertar nas alunas do ensino fundamental e médio o interesse na Computação e motivar as meninas que se identificarem com a área a buscarem a formação necessária para uma carreira bem-sucedida em um mercado de trabalho em franca expansão.

    O “Garotas Espertas” foi produzido dentro do projeto “Apoio para o incremento do quantitativo feminino em Computação através do Programa Cunhantã Digital do Instituto de Computação da UFAM”, parcialmente financiado pelo Programa de Apoio à Projetos financiados por Emendas Impositivas (PROEMEND) do Fundo de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM), proposto pela Deputada Estadual Alessandra Campêlo (MDB), através da Resolução Nº 014/2019 do PROEMEND. 

    *Com informações da assessoria

    Leia mais:

    Exposição virtual apresenta peixes nativos da Amazônia 

    Estudantes do AM recebem medalhas do Ministro Marcos Pontes 

    Zoológico CIGS tem entrada gratuita até esta terça (12)