Fonte: OpenWeather

    Arte indígena


    Artistas indígenas fazem parte de websérie cultural e mostra em Manaus

    A cultura do povo Kokama é uma herança artística e antropológica

     

    Suas telas são expressões de sonhos e imagens de sua cultura
    Suas telas são expressões de sonhos e imagens de sua cultura | Foto: Divulgação / Concultura

    MANAUS (AM)- Artistas indígenas que fazem parte da 1ª Mostra de Arte Indígena de Manaus têm suas histórias contadas em uma websérie. 

    Lançada pela  Prefeitura de Manaus com o apoio da Fundação de Cultura, Turismo e Eventos de Manaus (Manauscult), o projeto faz parte dos  eventos comemorativos do aniversário de 352 anos de Manaus.

    "

    Neste episódio vamos conhecer o trabalho criativo de Ivan Tukano, baseado na cosmogonia de seu povo; o universo mítico mura na pintura de Tuniel Aweté, e também a arte em marchetaria de Kawena Maricaua, retratando a vivência familiar Kokama "

    Tenório Telles, presidente do Concultura

     

    O gestor explicou que os três artistas representam o mundo mitológico de seus povos. Beleza e humanidade se juntam neste testemunho comovente de nossos artistas indígenas.

    Representando a força da arte de seu povo Kokama, Kawe’na Maricaua é irmã do professor Francisco Tchanpan Maricaua e ambos participam da 1ª Mostra de Arte Indígena, em exposição até o dia 29 de outubro no Centro Cultural Palácio Rio Branco, localizado ao lado do Memorial Aldeia da Memória Indígena, na Praça Dom Pedro II, no Centro Histórico de Manaus.

    Kawe’na seguiu o irmão e fez o curso de marchetaria oferecido pela Fundação Dirson Costa, no ano de 2006, e, a partir daí, foi desenvolvendo a técnica e criando obras de arte, que a tiraram de um emprego de frentista, para se dedicar exclusivamente à atividade artística.

    “Percebemos que há um interesse crescente pelas obras de arte indígenas ao longo dos anos”, conta.

    A cultura do povo Kokama é uma herança artística e antropológica que os irmãos Maricaua resgatam e valorizam em suas obras, com reflexos em suas vidas a partir do momento que entenderam a força que têm suas histórias, retirando-os da periferia cultural e colocando-os no centro da indústria cultural.

    O estreante no mundo das artes é filho do povo mura, Tuniel Mura, vindo da aldeia Murutinga, no município de Autazes (AM). Suas telas são expressões de sonhos e imagens de sua cultura, com a presença do boto no imaginário de sua gente.

    A técnica de pintura é outra peculiaridade do artista que usa o capim pé-de-pinto para fazer seus pincéis. “Eu tentei pintar com pincéis tradicionais, mas não me adaptei, e decidi fazer minhas obras para a mostra, com o capim”, contou.

    Ivan Tukano representa seu povo, originário do Alto Rio Negro, e mostra no grafismo a forte tradição e codificação da cultura ancestral de sua gente.

     

    | Foto: Divulgação / Concultura
    "

    Por trás de cada grafismo, existe conhecimento, não é simplesmente um grafismo inventado. Esse apoio do Concultura é muito importante para os povos indígenas. Mostra à sociedade que estamos aqui presentes na capital, muito significativo nesse momento, que marca o aniversário de Manaus "

    Ivan Tukano, artista

     

    *Com informações da assessoria

    Leia mais:

    Artesãos representam o AM em salão de Brasília 

    Indígena concursada da Defensoria revela histórias de desafios 

    Mostra indígena acontece em Manaus