Fonte: OpenWeather

    Exposição


    Artista do AM, Hadna Abreu lança exposição “Amazônia ao cubo”

    O lançamento está marcado para o próximo sábado (4), de 19h às 21h, dentro da programação do circuito cultural “Amazon”

     

    A exposição segue em cartaz, com visitação gratuita, do dia 6 a 22 de dezembro
    A exposição segue em cartaz, com visitação gratuita, do dia 6 a 22 de dezembro | Foto: Rodrigo Valle

    Manaus (AM)-  ‘Amazônia ao Cubo’ é o título da mais nova exposição da artista visual amazonense, Hadna Abreu, que consiste na produção de obras, literalmente "Cubos" sensíveis, interativos e animados, com tamanhos variados, que estimulam os quatro sentidos humanos: visão, tato, olfato e audição, de uma forma totalmente inovadora.

    O lançamento está marcado para o próximo sábado (4), de 19h às 21h, dentro da programação do circuito cultural “Amazon” que será realizado no Espaço Casa Som Amazônia, localizado na rua Travessa Planalto, n.03, Bairro Parque Dez de Novembro, zona Centro-Sul de Manaus. 

    A exposição segue em cartaz, com visitação gratuita, do dia 6 a 22 de dezembro, de segunda a sexta, de 19h às 21h, e no sábado (18) de 15h  às 17h, com ingressos limitados, e agendamento através da plataforma Sympla

    Aos que não puderem visitar a exposição, presencialmente, a artista Hadna Abreu, revela que ainda haverá outra oportunidade, a de conferir tudo, através do site www.hadnaabreu.com e redes sociais, por meio de  vídeos, fotografias, textos, e outros recursos digitais ou virtuais.

    Segundo Hadna Abreu, todas as obras que compõem a exposição foram projetadas para serem percebidas de diferentes modos, como por exemplo, por meio da interação com sons, luzes ou sensores, e outras ferramentas eletrônicas, milimetricamente, pensadas, para que os visitantes possam explorar ao máximo, toda essa experiência artística imersiva.

    "

    Em todas as obras, o formato cúbico conduzirá o espectador a estar presente numa reflexão: precisamos sentir mais, ouvir mais e estar mais perto. A Floresta Amazônica é a essência das obras. Cada detalhe é essencial para o objetivo final que é sentir e perceber a natureza. Não será uma exposição apenas para ver, mas para tocar, cheirar e se fazer presente. Afinal, a obra para estar completa dependerá da presença humana "

    Hadna Abreu, artista

     

    Hadna conta que sua principal inspiração para a concepção da exposição é a própria Amazônia (rica e expressiva) e toda a sua diversidade de cheiros, aromas, texturas e belezas.

    O projeto conta com a participação da pesquisadora do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI), e estudiosa dos cogumelos há mais de 30 anos, Noemia Kazue Ishikawa.

     

    Noemia atua na área de micologia
    Noemia atua na área de micologia | Foto: Rodrigo Valle


    Ishikawa é bióloga por formação, mestre em Microbiologia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa e doutora em Environmental Resources pela Hokkaido University - Japão, com pós-doutorado no The Tottori Mycological Institute (Japão) e na Clark University (Estados Unidos).

    Atua na área de micologia, trabalhando com biologia e fisiologia de fungos formadores de cogumelos; cultivo de cogumelos comestíveis (fungicultura) e busca de novos compostos antimicrobianos de origem fúngica. Atualmente, é coordenadora da Pós-Graduação em Ecologia do Inpa. 

    Produção musical e Trilha sonora

    Com 13 anos de carreira, o músico, violonista, compositor e designer de som César Lima é quem assina a trilha sonora do projeto "Amazônia Ao Cubo".

     

    César Lima é quem assina a trilha sonora
    César Lima é quem assina a trilha sonora | Foto: Rodrigo Valle

    Segundo a artista Hadna Abreu, César é o grande responsável por transformar o projeto em algo sensível aos ouvidos e à imaginação.

    Outro personagem muito importante para o desenvolvimento do projeto é o Engenheiro Eletrônico e especialista em energia solar, Ricardo Pinto

    “Um dos meus maiores desafios, talvez tenha sido desenvolver e compilar o programa computacional e achar os módulos pré-definidos para interagir com a ideia da artista, mas como o mundo da Eletrônica não tem limites, e o Amazônia ao Cubo extraiu de mim um potencial criativo enorme, juntos conseguimos alcançar resultados excelentes e bastante satisfatórios", disse Ricardo. 

    Ellen Fernandes, cantora, arte-educadora, empreendedora da música, e uma das maiores vozes que ecoam no coração desta floresta úmida é quem dá "Voz aos Cubos".

     

    Ellen faz a voz da floresta
    Ellen faz a voz da floresta | Foto: Rodrigo Valle

    “Ellen é a responsável pela voz da floresta e por fazer deste projeto algo lindo, e extremamente sensível aos ouvidos e ao coração”,  compartilha, Hadna.

    O projeto ‘Amazônia ao Cubo’ foi contemplado pelo edital Prêmio Feliciano Lana, via Lei Aldir Blanc e conta com o apoio do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, e do Governo Federal, através da Secretaria Especial da Cultura.

    Leia mais:

    Artistas do AM contam sobre cotidiano em livro 

    "Rio das Cobras" estreia em Manaus 

    Inspirado em Clarice Lispector "Lua Vermelha" é lançado no AM