Fonte: OpenWeather

    Cult Saúde


    FCecon receberá mostra cultural em 2022

    O projeto "Cult Saúde" é uma mostra cultural que integrará música, dança, artes cênicas, audiovisual e literatura

     

    Os benefícios são para os pacientes oncológicos, que muitas vezes se encontram em estado emocional abalado pela descoberta ou enfrentamento do câncer
    Os benefícios são para os pacientes oncológicos, que muitas vezes se encontram em estado emocional abalado pela descoberta ou enfrentamento do câncer | Foto: Divulgação

    Manaus (AM)- No ano de 2022, pacientes da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), unidade vinculada à Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), poderão usufruir de atividades culturais enquanto aguardam atendimento.

    O projeto Cult Saúde é uma mostra cultural que integrará música, dança, artes cênicas, audiovisual e literatura.

    A oferta será possível graças à contemplação da artista e pesquisadora da FCecon, Sthéfanny Azevedo, no edital Prêmio Amazonas Criativo, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa. O resultado foi divulgado nesta quarta-feira (8).

     

    Palhaçaria e artes cênicas fazem parte do projeto
    Palhaçaria e artes cênicas fazem parte do projeto | Foto: Divulgação

    Obedecendo às medidas para prevenção e controle da transmissão da Covid-19, o projeto visa a promoção da saúde física e mental do público que frequenta a FCecon, abrangendo pacientes adultos e pediátricos, acompanhantes e funcionários, por meio da aproximação das diversas formas de manifestação artístico-culturais ao ambiente hospitalar.

    A iniciativa é da artista como pessoa física e não se trata de um projeto institucional da Fundação Cecon. Mas, os benefícios são para os pacientes oncológicos, que muitas vezes se encontram em estado emocional abalado pela descoberta ou enfrentamento do câncer.

     

    Sthéfanny Azevedo acredita que a inclusão de atividades criativas no ambiente hospitalar traz resultados positivos no tratamento de doenças crônicas
    Sthéfanny Azevedo acredita que a inclusão de atividades criativas no ambiente hospitalar traz resultados positivos no tratamento de doenças crônicas | Foto: Divulgação
    "

    A conexão entre a arte e a medicina facilita o processo de humanização, aproximando o paciente do profissional, melhorando a qualidade dos serviços prestados no ambiente hospitalar, favorecendo a diminuição de estados de ansiedade e depressão, neutralizando sentimentos de alienação e isolamento criados pela doença e pelo hospital, melhorando a qualidade de vida, aumentando a individualidade do paciente e contribuindo para a sua cura "

    Sthéfanny Azevedo, artista e pesquisadora da FCecon

     

    Artistas locais

    O projeto tem previsão para ser executado em maio de 2022, durante um dia, e contará com a participação de renomados artistas da cultura manauara: Sindicato dos Artistas Carentes, Cia Estrela da Dança, Hamilton Azevedo, Robson Andrei, Ariane Feitoza (Palhaça Cafuxa), Marcos Efraim (Palhaço Feupudo), Aline Cassiano (Palhaça Coração), Jean Palladino (Palhaço Caco), Rafael César, Paloma Silva, Cia Arte em Movimento Zona Cultural e Batuque Banzeiro.

      O projeto contará com o apoio dos serviços de Psicologia e Assistência Social da FCecon, e será executado de forma simultânea no ambulatório, sala de espera, internação adulto e pediátrica, hall do 3º andar, miniauditório e auditório da instituição.  

    Para Sthéfanny Azevedo, a inclusão de atividades criativas no ambiente hospitalar traz resultados positivos no tratamento de doenças crônicas, como é o caso do câncer, uma vez que a saúde do ser humano é mantida por meio do equilíbrio em seu sistema ecológico total, envolvendo outros fatores além da terapia focada no agente causador da doença.

    A pesquisadora destaca que a arte no hospital também traz benefícios aos profissionais, reduzindo o estresse e os sintomas de burnout (esgotamento profissional) associados às profissões ligadas continuamente à doença.

    A execução de atividades culturais dentro do hospital, diz Azevedo, também difunde a cultura amazonense ao público.

    A iniciativa ainda funcionará como apoio financeiro aos artistas amazonenses, mitigando os impactos da pandemia para esses profissionais.

    Leia mais:

    Amazonas investiu mais de R$ 15 milhões em tratamento contra o câncer 

    Laboratório da FCecon é avaliado como "Excelente" no Amazonas 

    Matrizes do forró podem se tornar patrimônio cultural brasileiro