Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Donos de casas noturnas querem audiência com Arthur

    O All Nigth Pab foi uma das primeiras casas lacradas pela fiscalização da prefeitura – foto: Alberto César Araújo
     
    Um grupo de empresários, donos de boates e ouros tipos e casas noturnas da cidade, prometem realizar na manhã desta quinta-feira (31) uma manifestação em frente á Prefeitura de Manaus.
    Eles querem uma audiência com o prefeito Artur Neto para pedir mais tolerância quanto à interdição de seus espaços, fechados durante fiscalização que vem sendo feita desde segunda-feira (28), um dia após a tragédia que matou mais de 230 pessoas em incêndio numa boate de Santa Maria (RS).
    Acompanhados de músicos, funcionários, mototaxistas e outros profissionais autônomos que sobrevivem das atividades noturnas, eles prometem fazer uma calorosa recepção ao prefeito, que chega hoje de uma viagem à Brasília (DF).
    Ontem (30) à noite, cerca de 200 empresários e trabalhadores de casas noturnas que foram interditadas se reuniram para debater o assunto e formalizar um documento que deve ser entregue à prefeitura hoje, quando pedirão mais tolerância aos órgãos que realizam a blitz.
    A reunião ocorreu na casa noturna Kafunner Show Club, localizada na avenida Grande Circular, bairro São José, Zona Leste de Manaus.
    Entre os questionamentos apresentados na reunião, destacam-se a preocupação com os funcionários que devem ficar desempregados por um prazo ainda indeterminado.
     
    “O que queremos é tolerância. Eles não podem chegar e lacrar os locais sem dar um prazo, dessa forma eles prejudicam inúmeros trabalhadores que dependem dessa renda, pois o tempo para a maioria das casas se regularizarem é muito grande”, disse o coordenador de eventos, Tarcísio Gutemberg.
    A maioria das interdições, segundo o coordenador, refere-se à falta do documento Habite-se ou do alvará de funcionamento, e não por falta de segurança, e a retirada desses documentos são caras e demoradas.