Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Rodovia terá investimento de R$ 6 milhões em áreas de preservação

    Comunidades terão participação direta nas decisões de manejo sustentável e monitoramento ambiental – foto: Divulgação
     
     
    Sustentabilidade, geração de renda e resgate cultural são as metas do Amazonas para os três milhões de hectares protegidos nas áreas de abrangência da rodovia BR-319 (Manaus-Porto Velho).
    O convênio de R$ 6 milhões assinado com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) no último dia 26 de janeiro foi o ponto de partida para a continuidade do processo de implementação de mais nove unidades de conservação (UCs) estaduais que beneficiarão 143 comunidades.
    Para formar conselhos gestores, uma das metas é o reaproveitamento do conhecimento popular para estruturação das cadeias produtivas, assim aumentando o acesso e a participação da comunidade no mercado, bem como a certificação de produtos e maior participação nos processos de desenvolvimento comunitários.
    As atividades serão conduzidas pelo Centro Estadual de Unidades de Conservação (Ceuc), responsável pela gestão das unidades de conservação no Amazonas, onde toda a parte de estudos científicos terá a participação direta de pesquisadores e professores doutores da Universidade Federal do Amazonas (Ufam).
    De acordo com a professora Terezinha Fraxe, coordenadora do Ceuc, a continuidade do processo de implementação das UCs terá um papel importante no desenvolvimento da região.
    “A expectativa é de que essas unidades tornem-se modelos para outras regiões do Brasil, pois haverá valorização das governanças, resgate cultural e, acima de tudo, incentivo à governabilidade e sustentabilidade. Tudo será trabalhado com profundo respeito ao ambiente”, detalhou.
    As áreas de execução dos planos e, posteriormente o monitoramento serão as florestas de Canutama, Matupiri, a RDS Igapó-Açu, RDS Rio Madeira, RDS Matupiri, RDS Piagu’cu-Purus e RDS Rio Amapá.