Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Arcebispo Dom Luiz faz uma retrospectiva de sua vida

    Para dom Luiz, o processo de evangelização deve ser gradativo – foto: Diego Janatã

    “A minha vida inteira sempre quis ser padre!”. A convicção sobre esse desejo resultou em 21 anos de serviços voltados à capital amazonense do arcebispo emérito de Manaus, dom Luiz Soares Vieira, que hoje, se despediu da comunidade.

    Com seu saudoso cumprimento, um sorriso e palavras sábias repletas de saudades, mas o clérigo garante que, em menos de 2 ano, pretende retornar para continuar a sua caminhada como padre.

    No dia 2 de maio de 1937, em Conchas (SP), nascia Luiz Soares Vieira, filho caçula do funcionário público Luiz Carlos Vieira e da professora Judith Soares Vieira, menino cuja vocação marcaria a história da diocese de Manaus.

    Por causa da transferência a serviço de seus pais, Luiz e seus dois irmãos foram morar em Itatinga (SP). O pai e a mãe, sempre fiéis, levavam os filhos a participarem das missas diárias, mas não imaginavam que esse ato colaboraria na vocação do filho.

    Dom Luiz, até os 10 anos, conseguiu concluir o ensino primário no Grupo Escolar de Itatinga, após optar pela vocação foi mandado para Botucatu (SP), ao Seminário Diocesano, onde estudou o ensino médio, ginásio e clássico.

    O Seminário Central do Ipiranga (SP) acolheu o bispo durante seus 3 anos de faculdade em filosofia.

    Com a lei canônica da Igreja, ao completar 75 anos de idade os bispos precisam reescrever uma carta ao papa e colocar a diocese à disposição. O ato não foi diferente com dom Luiz. O bispo ainda garantiu que o processo foi tranquilo, pois aguarda uma vida nova.

    Para dom Luiz, o processo de evangelização deve ser gradativo. “Não devemos nos preocupar com números, e sim com a qualidade e a missionariedade da Igreja, que ajuda o mundo a se encontrar com Deus em Jesus Cristo”, explicou.

    Pentecostes, festa da padroeira do Amazonas Nossa Senhora Imaculada da Conceição e Corpus Christi são os momentos que marcaram - e marcam até hoje - a vida de dom Luiz.

    No dia 4 de março dom Luiz irá para Apucarana (SP) colaborar com suas orientações a um pároco da catedral, mas o próximo ano é de pretensão de retorno para Manaus. “No que o bispo precisar, estarei junto, disposto a colaborar para qualquer paróquia”, disse.