Fonte: OpenWeather

    Prisão


    Quadrilha é presa por roubo em loja de caça e pesca no Centro de Manaus

    Envolvidos eram investigador por roubo em loja de caça e pesca

    Suspeitos foram presos em cumprimento de mandados de prisão
    Suspeitos foram presos em cumprimento de mandados de prisão | Foto: Divulgação


    Uma dupla  identificada como Adenilson Costa Pereira Filho, de 21 anos, Manoel Lima da Rocha, de 41 anos, e Paulo Diceu Castro da Costa, de 36 anos, foram presos em cumprimento de mandados de prisão preventiva por furto qualificado. Além deles, o gerente da loja, onde ocorreu o crime, Bruno Cristiano Santos Santos, de 24 anos, também foi preso. O caso foi divulgado à imprensa, na manhã desta quarta-feira (18), pela Polícia Civil do Amazonas (PC-AM).

     A Policia informou que quarteto estava sendo investigado por um roubo a uma loja de artigos de caça e pesca, ocorrido no último dia 9 deste mês, no bairro Centro, Zona Sul de Manaus.

    De acordo com o delegado Adriano Felix, titular da Derfd, o bando foi preso ao longo de terça-feira (17) em locais distintos da capital. Felix ressaltou que Bruno, gerente da loja, planejou a ação e forjou ter sido sequestrado no dia do delito. Adenilson é ex-funcionário da empresa e também participou do esquema criminoso.

    Leia também: Grávida de 7 meses é presa com 15 kg de drogas e três comparsas

    As investigações foram conduzidas pelo delegado titular da Derfd, Adriano Felix 

    “No dia do roubo os indivíduos subtraíram da loja 16 armas, entre revólveres e pistolas; 2,6 mil munições, além de R$ 7 mil do caixa do estabelecimento. Após o crime, Bruno foi até o 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP) e relatou que chegava ao local de trabalho, quando foi surpreendido por quatro indivíduos desconhecidos a bordo de um veículo de cor branca, que o obrigaram a entregar as chaves da loja e exigiram que ele entrasse no carro. Após a ação criminosa, Bruno afirmou que foi levado a um local desconhecido, onde foi mantido em cativeiro”, informou Felix.

    Após a falsa comunicação de crime, o caso foi transferido à Derfd. Durante as investigações, a equipe da especializada constatou que Bruno e os três comparsas haviam forjado o sequestro e o roubo à loja. Os policiais civis descobriram que o gerente teria repassado informações privilegiadas sobre o estabelecimento aos comparsas e facilitou o acesso deles à loja, no dia em que o crime aconteceu.

    Diante das evidências obtidas, Felix representou à Justiça o mandado de prisão preventiva por furto qualificado em nome dos infratores. O documento foi expedido no dia 12 de outubro deste ano, pelo juiz Eliezer Fernandes Júnior, da Vara Criminal de Manaus.

    Adenilson foi preso por volta de meio-dia, em via pública, no bairro Tancredo Neves, Zona Leste. Já Bruno foi preso no mesmo horário, na loja de caça e pesca, localizada na rua Leovegildo Coelho, Centro de Manaus. Manoel foi preso por volta das 14h, na rua São Pedro, bairro Compensa, Zona Oeste, e Paulo na avenida Coronel Teixeira, bairro Ponta Negra, também na Zona Oeste.

    Com os infratores foram recuperadas 11 pistolas, um revólver calibre 38 e 1,6 mil munições de calibre 380. Durante depoimento na especializada Adenilson, Manoel e Paulo confessaram participação na ação criminosa. Já Bruno negou envolvimento no roubo. Os quatro elementos foram indiciados por furto qualificado, associação criminosa, porte e posse ilegal de arma de fogo. Já Bruno também irá responder por falsa comunicação de crime.

    Os quatro infratores serão encaminhados ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irão permanecer à disposição da Justiça.

    EM TEMPO

    Leia mais:

    Ala de queimados em hospital de Manaus atendeu 500 vítimas em 2017

    Corpo de homem com sinais de tortura é encontrado em rua do Novo Aleixo

    Consulado acompanha investigação sobre queda de avião que matou sueca; corpo já está em Manaus