Fonte: OpenWeather

    Serviço


    Saiba como funciona a tarifa de esgoto em Manaus


    O pagamento pelo serviço de coleta e tratamento de esgoto, essencial para o saneamento básico da cidade, só é feito pelo usuário que está conectado à rede de esgotamento sanitário da Manaus Ambiental. A informação é da empresa concessionária responsável pelo serviço, que descarta a cobrança de quem não recebe o benefício.

    Atualmente Manaus possui cerca de 20% de cobertura de esgotamento sanitário, mas somente 11% da população se conectou ou aceitou conexão aos 500 quilômetros da rede coletora. E são estes, e somente estes que efetivamente utilizam o serviço de esgotamento sanitário que pagam a tarifa de esgoto em seus imóveis, pela contraprestação do serviço prestado.

    O serviço de coleta, afastamento e tratamento de esgoto realizado pelas redes e estações da Manaus Ambiental proporcionam mais qualidade de vida aos manauenses por meio da manutenção da saúde pública, contribuindo fortemente com a prevenção de doenças.

    Hoje aproximadamente 66 mil imóveis de 46 áreas em 35 bairros da capital já estão conectados e possuem coleta e tratamento de esgoto. Essas áreas podem ser vistas no mapa de cobertura que a concessionária disponibiliza em seu site na internet: www.manausambiental.com.br

    A taxa de esgoto só é cobrada de quem já é contemplado pelo serviço da Manaus Ambiental, com a ciência do cliente por meio da fatura, apesar da Lei Federal 11.445/2007 tornar obrigatória a conexão aos sistemas públicos de água e esgoto nos locais onde esses já estão disponíveis.  Para esses usuários, a cobrança é lançada mensalmente na fatura de saneamento, destacando o tipo de serviço, no item “Discriminação do Faturamento”.

    Nos casos dos imóveis que não estão conectados à infraestrutura de esgotamento sanitário, não há cobrança de tarifa de esgoto. Nesses casos, apenas o valor do serviço de água é cobrado na fatura.

    Interligar à rede de esgoto é obrigação legal e valoriza a sustentabilidade e o valor do imóvel

    A ligação à rede de água e ao sistema de esgotamento sanitário onde há redes disponíveis é LEI, conforme dispõem diversas regulamentações, dentre as quais: a Lei Federal nº 11.445/2007, o Decreto federal nº 7.217/2010, Decreto Municipal nº 3.910/97 (Código Sanitário de Manaus), dentre outros. Mesmo assim, ainda tem gente que já possui a infraestrutura pública de esgotamento na frente do imóvel e ainda não está conectada, fazendo-se uso de fossas ilegais ou até mesmo despejando na rede de drenagem pluvial da prefeitura, a qual foi feita para receber apenas água de chuvas.

    Coleta e tratamento de esgoto são sinônimos de qualidade de vida por meio da promoção da saúde e da garantia da preservação do meio ambiente. A interligação junto ao serviço de esgotamento sanitário, torna o cidadão legal no âmbito jurídico e ecológico, além de valorizar o imóvel.

    Como contribuição junto aos que desejam se interligar, a Manaus Ambiental, promocionalmente e por tempo limitado, não cobrará pela obra de conexão (da rede pública à calçada) nas ruas em que o imóvel já tem rede disponível na frente, mas que ainda não está conectado. A cobrança acontece apenas pela prestação do serviço mensal de esgotamento sanitário.

    A concessionária de água e esgotamento sanitário se coloca à disposição de seus clientes para acolhimento e demais esclarecimentos por meio dos canais www.manausambiental.com.br, e-mail [email protected], telefone gratuito 0800-092-0195 - disponível 24 horas por dia - além de sete locais de atendimento presencial espalhados pela cidade, sendo seis PACs e uma loja no Centro.

    Compromisso com a população

    A meta da Manaus Ambiental em compromisso com a Prefeitura de Manaus é, cada vez mais ampliar a coleta e o tratamento do esgoto na capital amazonense, tornando-se assim, referência nacional em saneamento. Até 2030 a meta é atingir 80% e ao final da concessão, ter 90% dos imóveis contemplados com esgotamento sanitário.

    Com informações da assessoria