>

    Fonte: OpenWeather

    ARTIGO


    Causas e tratamento da retração gengival

    "A retração consiste na diminuição do tamanho da gengiva e o aumento no tamanho dos dentes". Leia mais no artigo da cirurgiã-dentista Djana Santos

    Escrito por Djana Oliveira no dia 08 de setembro de 2021 - 20:38
    | Foto: Divulgação

    Djana Oliveira

    Cirurgiã dentista formada pela Universidade Federal do Amazonas. Especialista em Odontopediatria

    A retração da gengiva, também conhecida como recessão gengival, é uma das condições mais prevalentes na população. Estima-se que metade da população, entre 18 e 65 anos de idade, tenha pelo menos um dente acometido por esse problema. 

    A retração consiste na diminuição do tamanho da gengiva e o aumento no tamanho dos dentes. Com o deslocamento da gengiva em direção à raiz, há uma maior exposição da superfície radicular. Essa condição pode ocorre em apenas um dente, como também em vários ao mesmo tempo.

    A retração gengival surge lentamente, mas pode piorar ao longo do tempo e se não for tratado quando surgem os primeiros sinais, poderá ter consequências graves como a perda do dente e a danificação do osso e dos tecidos dos maxilares.

    As principais causas são:

    -Bruxismo: o famoso ranger dos dentes, prejudica dentes e a gengiva.

    -Força exagerada durante a escovação, uso de escova dental com cerdas mais duras podem ocasionar trauma. Algumas vezes esta ação causa sangramento e com o passar do tempo pode ocorrer a recessão gengival.

    - Dentes tortos ou mal posicionados na arcada dentária.

    - Genética.

    - Pacientes com gengivas finas tem mais predisposição a desenvolverem recessões.

    - Doenças periodontais, devido à má saúde bucal.

    - A utilização de aparelhos ortodônticos, restaurações e margens de próteses mal adaptadas.

    Quando a gengiva começa a se retrair, ela não retorna mais para a posição inicial. Isso significa que é muito importante observar e tratar o problema logo na fase inicial, antes de se transformar em algo mais grave. O tratamento vai depender do tamanho e da gravidade do caso, podendo variar desde medidas simples, como a profilaxia, até como os procedimentos mais complexos, como uma cirurgia.

    Se a retração estiver em estágio inicial, o tratamento será uma profilaxia profissional no consultório odontológico, além de o paciente ser aconselhado a melhorar a escovação em casa. Em alguns casos a raspagem subgengival poder ser necessária. Esse procedimento consiste na remoção do tártaro ou cálculos aderidos à superfície dentária através de instrumentos manuais, como as curetas e os raspadores ou do aparelho de ultrassom odontológico.

    Uma alternativa rápida para recuperar os danos estéticos do sorriso, eliminar a sensibilidade dolorosa a alimentos frios e ácidos é a restauração em resina. Realizada em uma única consulta, esse tratamento requer cuidado às falhas comuns associadas a esta técnica restauradora, como os sobrecontornos que dificultam a remoção de placa e os deslocamentos frequentes do material restaurador.

    Casos mais graves requerem uma cirurgia plástica, onde será possível cobrir novamente as raízes dos dentes que foram expostos pela retração, através de enxerto gengival. A cirurgia consiste na remoção de um fragmento do tecido do palato e o transplante para a região com desnudamento radicular, melhorando a característica estética local e a sensibilidade.

    Leia mais: 

    Por que o açúcar faz mal para os dentes?

    Abscesso dentário: o que é e como tratar

    Por que o limão pode prejudicar a saúde dos dentes?

    Campanha Amazonpedia