>

    Fonte: OpenWeather

    ARTIGO


    Como a saúde bucal influencia na saúde em geral

    ARTIGO - Djana Oliveira: "A saúde bucal possui íntima relação com o estado geral do nosso organismo, e por isso é tão importante dedicarmos tempo e atenção à saúde da boca"

    Escrito por Djana Oliveira no dia 29 de setembro de 2021 - 20:42
    A saúde bucal possui íntima relação com o estado geral do nosso organismo, e por isso é tão importante dedicarmos tempo e atenção à saúde da boca. | Foto: Divulgação

    Djana Oliveira

    Cirurgiã dentista formada pela Universidade Federal do Amazonas. Especialista em Odontopediatria

    A saúde bucal possui íntima relação com o estado geral do nosso organismo, e por isso é tão importante dedicarmos tempo e atenção à saúde da boca. A condição oral tem relação e é capaz de influenciar o curso de várias patologias sistêmicas como a diabetes e cardiopatias, além de interferir em outros processos fisiológicos como a gestação.

    Os portadores de diabetes costumam apresentar com mais frequência problemas bucais como gengivites, periodontites (estágio mais avançado da inflamação na gengiva) e perdas ósseas. Esses pacientes podem apresentar dificuldades no controle da glicemia e a saúde gengival pode interferir nesse controle. Além de apresentarem alterações vasculares e distúrbios de cicatrização.

    Outro exemplo ocorre com os cardiopatas. A colonização bacteriana da cavidade oral propicia o desenvolvimento de inúmeras infecções como a endocardite bacteriana, que atinge gravemente o endocárdio e ocorre especialmente entre pessoas que possuem válvulas deficientes ou próteses. A endocardite gera desde mal estar até dores musculares. Quando os microrganismos saem da boca e caem na corrente sanguínea há um aumento nos níveis da proteína C reativa, que indica a ocorrência de inflamação dos vasos sanguíneos. Segundo a Associação Cardíaca Americana, a circulação desses germes pelo corpo pode originar, além da endocardite, aterosclerose (artérias entupidas) e o AVC (Acidente Vascular Cerebral).

    Além de atingirem o coração, as bactérias em excesso têm chances de serem levadas até outra região vital do nosso organismo: os pulmões. Isso ocorre através das cavidades oral e nasal que são interligadas a esse órgão. Uma vez nele, elas podem ocasionar inflamações que geram dificuldade para respirar, tosse, dores locais e cansaço excessivo, sintomas bastante incômodos, especialmente em idosos e crianças. Nesse caso, o grande risco é que, sem os devidos cuidados, essas inflamações têm um grande potencial de se tornarem doenças pulmonares como a pneumonia.

    A gestação é outro processo fisiológico diretamente impactado pela presença dos problemas bucais. Estudos realizados na Espanha, mostraram que gestantes com periodontite (infecção na gengiva e osso) têm o dobro de chances de um parto prematuro (ocorrido com menos de 37 semanas desde o momento da fecundação). Isso ocorre se o agente causador da infecção chega ao útero e o sistema imunológico aumenta a produção de prostaglandina, que induz o parto.

    As cáries também aumentam a probabilidade de parto prematuro, já que esse problema pode provocar a necrose no nervo dental (polpa), criando assim um foco para a entrada de bactérias na corrente sanguínea. Os enjoos da gravidez também podem gerar vômitos que, devido a sua acidez, podem afetar o esmalte dos dentes e predispor à formação de biofilme ou cáries, na ausência da higiene bucal correta.

    É essencial entender que a saúde bucal é parte da saúde geral e que todas as doenças podem ser prevenidas. Portanto mantenha sua saúde bucal em dia!

    Leia mais:

    Por que extrair o dente do siso?

    Causas e tratamento da retração gengival

    Por que o açúcar faz mal para os dentes?

    Campanha Amazonpedia