>

    Fonte: OpenWeather

    Artigo de opinião


    Emagrecimento sustentável

    Emagrecer não é difícil, mas sustentar o emagrecimento esse é o grande desafio! Leia o artigo de Janayna Libório

     

    | Foto: Divulgação

    Conforme o ministério da Saúde, quase metade da população brasileira está acima do peso em 2021, dados coletados nas 26 capitais brasileiras e no Distrito Federal. O estudo revelou também que o sobrepeso é maior entre os homens, 52,6% deles estão acima do peso ideal, já nas mulheres o índice chega a quase 45%.

    Não basta apenas emagrecer, muitas pessoas por força de vontade, ou por auxílio de medicamentos, ou até mesmo submetidas a procedimentos cirúrgicos conseguem emagrecer e sair do sobrepeso, no entanto,

    A pergunta aqui não é quantos quilos ela emagreceu, mas sim, quantos quilos ela conseguiu manter (sustentou) com o passar dos anos.

    Não são raros os casos de pessoas que fazem processos cirúrgicos, emagrecem de forma fenomenal e depois de alguns anos estão com o mesmo peso ou até mais. Mas por que isso acontece?

    Seria genética? Doenças de base hormonal? Compulsão alimentar?

    Bem, em alguns casos, de fato isso acontece, mas acredite, na grande maioria das vezes o sobrepeso e obesidade não tem relação com nenhum desses fatores citados anteriormente.

    Sim, vivemos em um mundo que está cada vez mais estressante! E há quem diga que estão acima do peso pela ansiedade ocasionada pelo estresse: a fome emocional, que aumenta a vontade de comer.

    Mas seria esse realmente o motivo?

    Bem, um dos países que têm maior índice de estresse do mundo entre os seus habitantes é o Japão, lá as pessoas estudam muito, trabalham exaustivamente, dormem pouco e vivem num ambiente de grande competitividade! Sim. O índice de estresse no Japão é elevadíssimo, mas o que é mais interessante nisso tudo é que o Japão é um dos países com menor índice de obesidade também, com menos de 3,8% de obesidade entre a população adulta. Aqui se desmitifica que a fome emocional ocasionada pelos níveis elevados de estresse é o fator predominante no sobrepeso e a obesidade nos dias atuais.

    A grande verdade é que esse problema vai além de genética, de estresse, de doenças de base, é uma questão muito mais de programação cerebral, a forma em que o nosso cérebro reage aos estímulos pelo qual ele foi “adestrado” mediante “recompensas” ao longo de sua vida.

    Para que você consiga emagrecer e sustentar esse novo peso se faz necessário uma reprogramação mental através do desenvolvimento de novos hábitos que possam a se sobrepor aos hábitos antigos. E, ao contrário do que muitas pessoas pensam, um hábito não se desenvolve em 21-30 dias! Em geral, uma reprogramação mental de hábito tende a acontecer bem próximo aos 60 dias, e ema alguns casos até um pouco mais, e esse novo hábito que está sendo formado precisa ser persistente, consistente, repetitivo  e infalível durante esses quase 60 dias! Só assim ele consegue suplantar o mal hábito antigo. Comer demais e comer o que não é nutritivo ao corpo é um hábito, e todo hábito é mutável. Emagrecer sem reprogramação mental de hábitos sempre será algo transitório e não se sustenta por muito tempo. 

    Emagrecer não é difícil, mas sustentar o emagrecimento esse é o grande desafio! 

    Não adianta remédios, cirurgias e nem dietas malucas se seu cérebro não acompanhar e se comprometer com o processo. É mais fácil culpar a genética, a doença de base e até mesmo a dieta passada um profissional do que reprogramar o cérebro. Poucas pessoas conseguem entender que primeiro seu “cérebro emagrece” para que o resultado seja visto de forma sustentável no seu corpo. 

    Os problemas advindos do sobrepeso e obesidade são inúmeros que vão desde problemas cardíacos, como a  hipertensão, como  também diabetes, esteatose hepática e até doenças neurológicas. 

    O sobrepeso e a obesidade são apenas a ponta do iceberg, portanto precisa ser visto com seriedade e precisa ser tratado o quanto antes. 

    De acordo com pesquisas realizadas pelo ministério da Saúde, 34,6% dos brasileiros comem “excesso” de carnes e gorduras, quase 30% dos brasileiros consomem refrigerantes pelo menos 5x na semana.

    Veja bem, emagrecer não é somente parar de comer, ao contrário, é “aprender a comer”. Sendo assim, se você está com sobrepeso ou obeso, busque a ajuda de profissionais capacitados que possam ser um apoio nesse processo de emagrecimento saudável, desenvolvimento de novos hábitos, e assim você possa perder peso e sustentar a perda, não é fácil emagrecer de forma inteligente e consciente, mas é possível, por que já vi isso acontecer inúmeras vezes e ainda vejo constantemente no cotidiano da clínica. A estimativa da OMS é que até 2025, 2,3 bilhões de adultos ao redor do mundo estejam acima do peso, sendo 700 milhões de pessoas com obesidade. Você não precisa fazer parte desses índices estatísticos, e tudo começa com boas escolhas que você faz hoje e não a partir de “na segunda-feira!”.

    Leia mais:

    Especialista ensina como eliminar gordura abdominal 

    A pele na pré-menopausa e menopausa: características e cuidados

    Massagem não é luxo e sim necessidade 

    Campanha Amazonpedia