Fonte: OpenWeather

    Empregabilidade


    Tem mais de 50 anos e procura emprego? Veja dicas de especialistas

    Psicóloga e um mestre em carreira apontam cenário positivo no mercado de trabalho. Pessoas com experiência podem sair na frente se seguirem essas dicas

    Se pergunte qual seu principal objetivo com a procura por emprego | Foto: Vadym Drobot

    Manaus - Não é novidade que a pandemia do novo coronavírus afetou diversos setores da sociedade, dentre eles, a economia. Por  conta disso, surgiram muitos novos desempregados e a oferta de trabalhos diminuiu. Mas se você tem mais de 50 anos e procura um emprego, saiba que ainda há esperança. Conheça agora as 'dicas de ouro' de especialistas.

    Quem primeiro lista as dicas é Leuza Medeiros, psicóloga e diretora técnica da Sinapsy Consultoria, empresa de orientação em Recursos Humanos. Ela lembra que o mundo do trabalho já se encaminhava, mesmo antes da pandemia, para uma transformação. A mudança, segundo Leuza, é positiva para os mais experientes.

    Especialista tem um canal no Youtube onde dá dicas de carreira (@Leuzamedeiros)
    Especialista tem um canal no Youtube onde dá dicas de carreira (@Leuzamedeiros) | Foto: Divulgação

    "Há um movimento de valorização da experiência, maturidade e comprometimento que as pessoas mais vividas possuem, e de forma significativa, contribui para ampliar a diversidade nas organizações", comenta a psicóloga.

    Para conseguir um espaço nessa nova oportunidade do mercado, Leuza sugere observar suas próprias forças e conhecimentos. Para ela, é ideal aprender sobre ferramentas digitais e aliar essa novidade à sua própria experiência. 

    "O seguimento de serviços está em ampla expensão e pede que os candidatos sejam rápidos na adaptação. Portanto, seja flexível e aberto a mudanças", comenta a profissional.

    Para fixar a ideia na mente, a psicóloga apresenta as cinco ideias essenciais para quem tem mais de 50 anos e procura um emprego. São elas:

    - Não temer a tecnologia;

    - Experimentar coisas novas;

    - Se conhecer;

    - Usar redes de contato a seu dispor;

    - Aprender algo novo sempre;

    Para fechar, Leuza diz que "o importante é entender que o mercado nunca mais será o mesmo após a pandemia. Mas que as mudanças já aconteciam e por isso se faz necessário buscar alternativas e usar a experiência para alcançar novas conquistas  a cada dia". 

    O que você precisa se perguntar

    Se pergunte qual seu principal objetivo com a procura por emprego
    Se pergunte qual seu principal objetivo com a procura por emprego | Foto: Freepik

    Quem também compartilha dicas sobre emprego é João Junior, psicólogo e mestre em carreiras. Segundo ele, a pessoa que tem mais de 50 anos e procura um emprego, principalmente agora durante a pandemia deve se perguntar o que exatamente procura. A resposta pode ajudar a focar as energias no que mais quer e tem chance.

    "Você deve se perguntar qual setor pode se candidatar, se tem as habilidades e competências para o trabalho, dentre outras questões essenciais", afirma o psicólogo.

    Para João, outras questões devem ser levantadas por você mesmo, como "o meu condicionamento físico ou minha saúde me permite executar essa atividade? Quero trabalhar por necessidade ou apenas para ocupar meu tempo"? 

    O psicólogo sugere se questionar até mesmo se você ainda está em busca da realização profissional, se o salário é para complementar a renda ou se será a única fonte e também quais serão as prerrogativas do contrato de trabalho.

    Psicólogo é Doutor em Psicologia da Educação pela Pontífice Universidade Católica de São Paulo (SP)
    Psicólogo é Doutor em Psicologia da Educação pela Pontífice Universidade Católica de São Paulo (SP) | Foto: Divulgação

    "Perceba que as motivações para alguém acima de 50 anos conseguir um emprego são diferentes das dos jovens. Muitas vezes essas pessoas já têm experiência e buscam não construir carreira, mas assegurar uma sobrevivência ou qualidade de vida nesse novo ciclo da idade", ressalta o profissional.

    Além disso, João diz que é importante ter em mente qual a sua condição financeira e a qual camada social você pertence. Isso, segundo ele, vai ajudar a entender as situações em que vive e como isso impacta na hora de conseguir um emprego.

    "Temos que estar atentos a isso, porque até mesmo nas camadas mais pobres há diferenças existentes. Principalmente o grau de escolaridade, por exemplo. Isso terá um grande impacto em sua decisão ou inserção no mercado de trabalho", afirma o especialista.

    Histórias para se inspirar

    Socorro Martins, 54, é uma amazonense que conseguiu um novo emprego após os 50. Atualmente revisora do controle de qualidade em uma empresa da Zona Franca de Manaus, ela se orgulha de já estar no cargo há dois anos. Apesar de ser autônoma, Socorro diz ter precisado encontrar um novo trabalho para complementar a renda, porque o bolso havia começado a apertar.

    "Essa oportunidade surgiu por meio de um amigo e eu não hesitei e fui. Estou lá todo esse tempo e gosto bastante. Me ajudou a complementar a renda e melhorar minha condição", comenta ela.

    E não são só as mulheres que têm conquistado vagas no mercado de trabalho mesmo após certa idade. Mario Ferreira, 53, estava desempregado desde 2016, e, durante a pandemia, conseguiu a oportunidade para trabalhar como auxiliar de manutenção em um supermercado de Manaus.

    "Já havia deixado currículo em algumas empresas, mas como já tenho certa idade, estava sendo difícil. Foi quando uma pessoa conhecida me indicou para uma entrevista no meu atual emprego e eu consegui resgatar a oportunidade após me destacar. Foi uma grande vitória para mim", afirma Mário.