Fonte: OpenWeather

    Qualificação


    Curso gratuito do Senac profissionaliza garçons em Manaus

    Por meio de aulas práticas no restaurante escola da instituição, alunos se aperfeiçoam e aumentam as chances no mercado de trabalho

    Formação faz parte do Programa de Gratuidade do Senac, voltado para pessoas de baixa renda | Foto: Tácio Melo

    Manaus - Com o mercado de trabalho cada vez mais competitivo, o nível de qualificação faz toda a diferença quando alguém vai se candidatar à uma vaga de emprego, não importa qual seja a área de atuação. Foi em busca desse diferencial no currículo que Guyvenson Montes, 31, se matriculou no curso de garçom oferecido de forma gratuita pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) em Manaus.

    Guyvenson é natural de Porto Príncipe, capital do Haiti.  Assim como milhares de compatriotas, chegou a Manaus fugindo das consequências do terremoto que atingiu aquela região em 2010. Foram três anos desempregado antes do imigrante, que trabalhava com vendas e estudava para ser diplomata, decidir vir ao Brasil em busca de algo melhor para ele e a família. 

    O haitiano está em Manaus desde 2013. Trabalhou como estoquista e, posteriormente, como garçom em um hotel. Guyvenson não tinha experiência na função, mas foi contratado pela fluência em idiomas - ele fala francês, crioulo, inglês, espanhol e português. Foi quando ele viu a necessidade de se profissionalizar como garçom.

    “O momento que vive nosso país está complicado conseguir emprego, é muito concorrido. Decidi me aperfeiçoar nessa área porque o mercado exige, e quando se tem curso e experiência é mais fácil conseguir uma vaga”, conta.

    Guyvenson aperfeiçoa os conhecimentos como garçom no curso do Senac
    Guyvenson aperfeiçoa os conhecimentos como garçom no curso do Senac | Foto: Tácio Melo

    Há dois meses, Guyvenson é aluno do curso de garçom do Senac. Trata-se de uma formação gratuita, parte do Programa de Gratuidade da instituição, que busca a inclusão produtiva de brasileiros de famílias de baixa renda. O imigrante está prestes a concluir o curso e conta que o aprendizado está sendo inestimável.

    “Tinha muitas lacunas no meu conhecimento, coisas que não sabia como fazer. Aprendi bastante, desde técnicas corretas de serviço até manter a clientela satisfeita. Todo dia aprendemos algo novo, coisas que vamos levar para a vida, seja na parte familiar ou na profissional”, revela Guyvenson.

    Alunos aprendem na prática

    Até agosto deste ano, o Senac já certificou 44 garçons. Atualmente, 30 alunos estão matriculados no curso. A metodologia é um dos fatores que contribuem para o sucesso da formação, já que os estudantes podem colocar os conhecimentos em prática no restaurante escola do Senac, o Estação do Sabor, situado no Centro de Manaus. 

    “Funciona como um restaurante comum”, explica o professor do curso, Márcio Gonzaga. Os alunos servem o público sob orientação e supervisão do docente. “Eles vêm com a base do conhecimento. São 36 horas de teoria e 200 horas diárias no restaurante. Procuramos visualizar o conhecimento empírico do aluno e agregamos as técnicas que utilizamos aqui”, acrescenta.

    No restaurante, há simulações de atendimento, onde os estudantes aperfeiçoam as técnicas aprendidas, como os tipos de serviço de mesa e a relação com o público.

    O Estação Sabor - restaurante escola é onde os alunos põem em prática os conhecimentos
    O Estação Sabor - restaurante escola é onde os alunos põem em prática os conhecimentos | Foto: Tácio Melo

    “Todos os dias há o acompanhamento do professor junto ao aluno para ver como está o relacionamento dele com o cliente, o sorriso, o bom dia, a postura. Tudo isso para que, quando eles entrem no mercado de trabalho, não sintam tanta dificuldade”, pontua o professor, que é maitre, barman e atua há 20 anos na área. 

    O atendimento ao cliente é um dos pontos chave da formação, segundo o professor. “Costumo dizer que nosso curso é de humanas, não exatas, porque cada cliente tem sua característica. Não podemos ir com a certeza de um atendimento. Chamamos de feeling, saber se o cliente é mais sério, se você pode falar algo mais, se ele que quer que você fique mais próximo, se não quer falar com você. Trabalhamos isso com nossos alunos”, diz Márcio.

    Inspiração

    O garçom Wendel Coelho de Oliveira, 21,  é um dos ex-alunos do curso do Senac. A partir da formação adquirida, o jovem conseguiu uma vaga na área logo após a conclusão do curso e comemora a conquista.

    “Não tinha conhecimento aprofundado na área de serviço. Fiz o curso e assim que terminei já fui contratado. Aprendi muito, abriu meus horizontes de verdade”, relata Wendel. “Não faltam vagas de garçom no mercado, o que falta é qualificação”.

    Inspirado com o que aprendeu no Senac, Wendel planeja se especializar ainda mais no setor. “Quero ser maitre, depois fazer um curso de gastronomia para abrir meu próprio restaurante no futuro”, planeja. 

    Alunos são encaminhados para entrevistas de emprego em empresas parceiras
    Alunos são encaminhados para entrevistas de emprego em empresas parceiras | Foto: Tácio Melo

    Sobre o curso

    A Certificação de Competências para Garçom e Garçonete tem o objetivo de certificar os profissionais que já estão no mercado de trabalho, mas ainda não possuem um certificado reconhecido. O curso faz parte do Programa Senac de Gratuidade, com carga horária de 240 horas (2 meses). As turmas são de até 15 estudantes, que recebem café da manhã e almoço de forma gratuita. 

    Para se candidatar, o interessado deve se dirigir até a unidade do Senac na Saldanha Marinho, 410, Centro, e preencher a ficha de cadastro do programa. A partir daí, o candidato fica na fila de espera e aguarda ser chamado. O Senac informa que a demanda por garçons pelas empresas é crescente.

    O conteúdo programático do curso inclui: organizar o ambiente e os processos de trabalho em salão e bar; controlar e organizar estoques em salão e bar; atender clientes no setor de alimentos e bebidas; e servir alimentos e bebidas.

    Além do aprendizado, o Senac encaminha os alunos formados para oportunidades em empresas parceiras. Restaurantes como o Tambaqui de Banda e Loppiano Pizza são alguns dos estabelecimentos associados.