Fonte: OpenWeather

    Curso de capacitação


    Curso de Formação contra o Aedes aegypti em EaD é ofertado no AM

    O curso tem carga horária de oito horas, com certificado, e após a finalização, o aluno poderá atuar como brigadista

     

    O curso é essencial para o momento em que o estado registra mais chuvas
    O curso é essencial para o momento em que o estado registra mais chuvas | Foto: Kássio Moraes/FVS-RCP

    MANAUS (AM)- A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP) disponibiliza um curso on-line de Formação de Brigadistas Contra o Aedes aegypti. 

    A capacitação tem foco nas instituições públicas e privadas dos municípios. Para os interessados, a inscrição pode ser feita em: http://cead.fvs.am.gov.br:84.

    O intuito do treinamento é capacitar agentes para atuar nos programas de brigadas de instituições de saúde e educação, realizando as ações de combate ao mosquito dentro desses ambientes.

    O curso tem carga horária de oito horas, com certificado, e após a finalização, o aluno poderá atuar como brigadista.

    O curso foi desenvolvido pelo Grupo Técnico de Integração (GTI/FVS-RCP), em parceria com o Núcleo de Educação em Saúde e Mobilização Social (NES/FVS-RCP) e a subgerência de Gestão e Desenvolvimento de Recursos Humanos (SUBGDRH/FVS-RCP).

    A diretora-presidente da FVS-RCP, Tatyana Amorim, ressalta que o curso é essencial para o momento em que o estado registra mais chuvas.

    “Estamos entrando no período sazonal das arboviroses, por isso é necessário fortalecer as ações de combate ao mosquito”, destaca Tatyana. 

    De acordo com a idealizadora do curso e coordenadora do Centro de Informações Estratégicas e Resposta em Vigilância em Saúde do Amazonas (Cievs/FVS-RCP), Josielen Amorim, o curso foi planejado para atingir o público do interior do Amazonas.

    “O curso sempre foi presencial e é uma das principais estratégias do Programa de Brigadas de Combate ao Aedes aegypti, porém com a pandemia ficou difícil e tivemos que adaptar para o modo virtual”, conta Josielen.

    Cenário epidemiológico

    Entre janeiro e outubro de 2021, o Amazonas registrou 13.581 casos de dengue, 187 de zika e 104 de chikungunya. No mesmo período do ano anterior, foram registrados 8.865 casos de dengue, 41 casos de zika vírus e 106 de chikungunya.

    As localidades que mais registraram casos de dengue neste ano foram: Manaus (5.564), Tefé (1.152), Envira (675), Iranduba (643) e Manicoré (551).

    Tratando-se de zika vírus, os municípios com mais notificações foram: Manaus (124), Tefé (25), Beruri (5), Novo Airão (4) e Presidente Figueiredo (3).

    Os maiores números de casos de chikungunya foram registrados em: Manaus (162), Tefé (47), Novo Airão (24), Parintins (22) e Beruri 910).

     Leia mais:

    AM registra aumento de casos de dengue nos primeiros meses do ano 

    Casos de Chikungunya aumentam em Tefé 

    Vistoria de mais de 25 mil casas contra o Aedes Aegypti inicia em Manaus