Fonte: OpenWeather

    Alternativa


    Amazonenses montam bazar para driblar crise gerada pela pandemia

    Trabalhadores investem na venda de itens seminovos para conquistar renda extra

    Uma das alternativas dos amazonenses foi a realização dos brechós e bazares on-line | Foto: Reprodução

    Manaus – A pandemia do novo coronavírus mudou a rotina de muitos amazonenses, incluindo a forma de trabalho. Muitos segmentos fecharam ou perderam a alta demanda e os trabalhadores precisaram se reinventar para gerar renda extra. Uma das alternativas foi a realização dos brechós e bazares on-line que possibilita que os trabalhadores levantem renda extra a partir da venda de itens novos e usados.

    O grupo de amigas formado por Giovanna Rebouças, Kamilla Naveca, Pietra Telles, Alessandra Feitoza e Victoria Holanda resolveram apostar na ideia. Inicialmente criaram o bazar #SónaHashtag como forma de promover vendas sustentáveis. A ideia acabou saindo do papel apenas durante quarentena e passou a beneficiar os recursos financeiros do grupo. A estudante de engenharia civil Victoria Holanda, que desenvolveu o bazar junto as amigas contou como as vendas começaram.

    “Na quarentena todo mundo está com o orçamento mais apertado e precisando de outras formas de recurso, além dos trabalhos fixos, por isso decidimos movimentar o bazar. As meninas separaram os livros e roupas que não usavam mais e as vendas começaram a acontecer’", conta.

    O bazar acabou beneficiando outros membros da família que também foram prejudicados pela crise. Foi por meio das vendas que Victoria consegue ajudar o tio que é comerciante de cosméticos.

    “Meu tio tinha uma lojinha de maquiagem e devido à quarentena ele teve que fechá-la. Para ajudar ele eu passei a vender os itens no bazar e graças a Deus a procura tem sido grande e todos têm sido beneficiados com as vendas”, compartilha.

    As compras podem ser feitas por meio do direct do instagram e o bazar oferece serviços de retirada e entregas. Já as formas de pagamento dependem dos itens adquiridos, segundo Victoria a maioria pode ser feita por meio de transferências bancárias.

    Demanda

    A procura por itens de baixo custo aumentou significativamente fazendo com que os empreendedores crescessem durante a crise
    A procura por itens de baixo custo aumentou significativamente fazendo com que os empreendedores crescessem durante a crise | Foto: Reprodução

    Para algumas pessoas, o que parecia ser uma alternativa para ganhar dinheiro extra acabou ganhando uma proporção maior devido ao alto número de vendas. Esse foi o caso da digital influencer Lua Ribeiro, que decidiu desapegar de alguns itens parados no armário durante a pandemia. As vendas cresceram tanto que os itens iniciais esgotaram e ela precisou procurar por fornecedores.

    “A procura foi muito grande. Eu fiquei impressionada, pois as roupas passaram a ser reservadas em menos de três minutos. Eu vendo itens femininos, as minhas peças esgotaram e fui procurar fornecedores de bazar, então acabou que o projeto cresceu mais que o planejado”, revela.

    Em duas semanas, Lua conseguiu vender cinquenta peças. O resultado das vendas ajudou a influencer a arrecadar a renda extra desejada e ainda conseguir retorno financeiro para movimentar outros recursos.

    “Consegui pagar as despesas e ainda fazer uma reserva financeira. Com a retomada do comércio as vendas caíram um pouco, mas ainda sim acredito que vou conseguir manter o pico após a pandemia”, conta.

    Os itens de moda feminina podem ser adquiridos por meio do instagram do Brechó da Lua, o segmento também oferece serviços de entrega por aplicativo.

    A alta demanda também se fez presente no bazar da empresária de marketing Elysandra Oliveira, que abriu o espaço virtual para a venda de objetos do seu grupo de amigos.

    “Comecei o bazar quando decidi me desfazer de algumas coisas que não usava mais, eu já trabalho com as mídias sociais e marketing e sou bastante engajada em causas ambientais, então vi que eu tinha todas as ferramentas para ganhar um dinheiro extra e com um propósito maior. As coisas acabaram dando certo e eu abri espaço para outros amigos desapegar”, compartilha.

    Elysandra vende itens variados como livros, acessórios e roupas que podem ser adquiridos por meio do direct do instagram do brechó Minimaly.

     Leia Mais:

    Coronavírus: negócios driblam a crise e crescem durante pandemia

    'Disk-Boy' faz sucesso com entregas de itens durante pandemia no AM

    Projeto investe em startups inovadoras do AM para mercado tecnológico