Finanças Pessoais


Confira 5 dicas para se proteger de ataques hackers na Black Friday

Confira na matéria algumas dicas que o especialista separou para que consumidores possam aproveitar a Black Friday de maneira segura

Evento deve movimentar este R$ 6,9 bilhões | Foto: Divulgação

A próxima edição da Black Friday está chegando. A data é uma das principais do varejo e de acordo com Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) e pela consultoria Ebit/Nielsen, o evento deve movimentar este R$ 6,9 bilhões, atingindo um crescimento de 77% nas vendas em relação a 2019. Esse crescimento se dá, principalmente devido as mudanças no comportamento do consumidor causadas pela crise da Covid-19, que levaram a um aumento significativo das compras por meio de plataformas digitais. 

Segundo Lucas Vieira, gerente de produto da Soluti, a Black Friday traz muitas expectativas, mas também muitos desafios e riscos. Afinal, com o aumento no fluxo de informações on-line, crescem também as ameaças de ataques de criminosos, fraudes e golpes cujos objetivos incluem o roubo de informações pessoais e dados de pagamento.  Confira abaixo algumas dicas que o especialista separou para que consumidores possam aproveitar a Black Friday de maneira segura:

1 – Lei Geral de proteção de dados

Este ano, uma das principais mudanças é a Lei Geral de Proteção de Dados – LGPD, que prevê proteção integral aos dados pessoais de todo cidadão que esteja no Brasil. Por isso, é importante verificar se a loja em que se está realizando a compra atende aos critérios exigidos na lei para garantir a confiabilidade e integridade de suas informações pessoais e bancárias. O site precisa possuir um termo de consentimento visível e deixar bem descrito nas promoções e contratos quem e como esses dados são armazenados e utilizados.

2- Saiba se o site é real e seguro

Com o aumento da migração de serviços para o ambiente digital, há também um crescimento em golpes que envolvem sites e e-commerces falsos. O primeiro passo é saber se o site possui um Certificado Digital SSL, que identifica e protege as informações, criptografando-as no tráfego entre o computador do visitante e o servidor onde o website está hospedado.  Além disso, é importante verificar a reputação do site no Procon e sites confiáveis, como Buscapé e Reclame Aqui ou através da pesquisa de histórico de preços sobre aquele produto.

3 -  Garanta o recebimento do produto 

Para garantir o recebibemto de seu produto é preciso comprar em um estabelecimento de confiança. Novamente, a pesquisa de reputação e histórico de preços são as principais ferramentas para evitar cair em um golpe. Outras fontes de informação como sites de reclamação e até mesmo fóruns de usuários com opiniões positivas e negativas, auxiliam o consumidor no momento de realizar a compra. 

Além disso, é importante que o usuário observe se o portal disponibiliza canais de relacionamento com o cliente e uma política de troca.  Caso se sinta lesado, todas as compras, sejam em loja física ou virtual são regidas pelo código de defesa do consumidor. 

4- Tenha um antivírus instalado e ativo nos dispositivos

Ter um bom antivírus instalado em seu computador ou dispositivo móvel por onde você fará as compras online, ajuda a detectar sites que contenham arquivos maliciosos, vírus, malwares ou indicação de riscos de ataques de hackers. Por isso, é importante sempre mantê-lo atualizado. Hoje há no mercado diversos programas com versões de testes gratuitas e de assinatura. Podemos sugerir o antivírus Kaspersky, por exemplo.

5. Cuidado com os e-mails promocionais

Especialmente em períodos de datas comemorativas, é comum a tentativa de ataques de cibercriminosos por meio de e-mails spam com a promoções e descontos. Por isso, é sempre indicado que o consumidor veja diretamente no site da loja e evite clicar nos links dessas mensagens, que em muitos casos são falsos e parte de golpes.

*Com informações da assessoria