Fonte: OpenWeather

    Investe Turismo


    AM estreita parcerias para expandir setor turístico a nível nacional

    O encontro integra as ações da Amazonastur e Sebrae

    O encontro integra as ações do programa “Investe Turismo” | Foto: Janailton Falcão

    Manaus- Os prestadores de serviços turísticos do Amazonas, de São Paulo, do Rio de Janeiro e do Parará participaram, nesta quinta-feira (10) da Rodada de Negócios voltada para a compra e venda de serviços turísticos, no Centro de Convenções do Amazonas Vasco Vasques (CCAVV). O encontro integra as ações do programa “Investe Turismo”, realizado pelo Governo Federal em parceria com a Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur) e Serviço Brasileiro de Apoio às Micros e Pequenas Empresas (Sebrae).

    Durante o evento, os empresários locais mantiveram reuniões técnicas com os operadores nacionais em busca de parcerias comerciais para a expansão do turismo amazonense. De acordo com a diretora de Negócios e Eventos da Amazonastur, Cleia Viana, desde o último domingo (6), os seis operadores do trade nacional desembarcaram no Amazonas para conhecer os principais atrativos turísticos da Região Metropolitana de Manaus (RMM) e fechar parcerias com os empreendedores locais, em mais uma etapa do programa Investe Turismo, do Ministério do Turismo.

    “Foram convidados seis operadores nacionais, sendo três do Rio de Janeiro, dois de São Paulo e um do Paraná, que vieram ao estado, participaram durante a semana do Famtur, que é uma viagem de familiarização turística. Eles foram a Novo Airão e Presidente Figueiredo e conheceram os atrativos de Manaus, onde, hoje, eles possam negociar a venda e compra de pacotes turísticos. A ideia é a gente oportunizar para as empresas locais para que eles possam entrar em contato com esses operadores nacionais e colocar os seus produtos nas prateleiras para o resto do Brasil e do Mundo”, comentou Cleia Viana.

    O assessor técnico do Sebrae e coordenador da rodada, Jenner Pinheiro, informou que as reuniões técnicas estreitaram a relação comercial entre os operadores locais e nacionais. “Aproximou comercialmente os operadores de outros estados, que desejam comprar os produtos e serviços das agências daqui de Manaus e das operadoras que ofertam produtos no Amazonas. A gente faz a aproximação para que eles futuramente possam fazer negócios, e o estado possa ter retorno no turismo”, disse Jenner.

    Vitrine

    Lucas Moreira, da Blumar Turismo, do Rio de Janeiro, ressaltou que a vinda para as terras amazonenses e a rodada de negócios corroboram diretamente para vender o destino Amazonas de maneira mais eficaz no mercado brasileiro. “Antes de conhecer o estado, eu já vendia muito o destino, mas vendia às escuras. Eu ainda não tinha pisado aqui. Trabalhamos com pessoas que já visitaram aqui. Mas conhecer, sentir as pessoas, olhar os lugares, faz toda a diferença no negócio. Até na hora de uma ajuda, nós vamos saber para qual operador ligar. Eu já espero poder retornar em breve”, comentou.

    Para o primeiro operador de turismo do município de Maués, Ilson Rogério, a rodada de negócios proporcionou a oportunidade de colocar o produto amazonense na vitrine brasileira. “A rodada agrega dentro das agências nacionais o serviço que oferecemos em Maués. Por isso, é bom participar das rodadas para mostrar o turismo ofertado na região amazônica”, frisou Roger.

    Fomento

    Pela manhã, a Amazonastur realizou mais uma palestra gratuita sobre as linhas de financiamentos para investimentos em empreendimentos turísticos, por meio da Caixa Econômica Federal (CEF), no Centro de Convenções Vasco Vasques (CCAVV). O diretor-regional da Caixa Econômica, Wellington Lopes, apresentou aos participantes a política de financiamento da Caixa com taxas reduzidas pelo Fundo Geral do Turismo (Fungetur)..

    Segundo ele, podem acessar a modalidade de investimento os operadores do turismo no Amazonas que desejam investir na construção, reformas, ampliação de empreendimentos, adquirir veículos e maquinários, desde que sejam inscritos no Cadastro dos Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur) e tenham mais de 36 meses de faturamento.

    Para o presidente em exercício da Amazonastur, Juvenal Filho, o encontro em parceria com a CEF está dentro da política do estado em auxiliar o operador do turismo em estruturar suas atividades para que ele possa contribuir na transformação do setor turístico em matriz econômica na região.

    *Com informações da assessoria