Fonte: OpenWeather

    Plano Safra


    3% da economia do Amazonas será destinada ao Setor Primário

    Plano Safra Amazonas 2019/2020 destina cerca de R$ 350 milhões para atender produtores rurais, incluindo agricultores familiares, pescadores, extrativistas e indígenas do Amazonas

    Os recursos contemplam ações de estímulo à atividade agropecuária, oferta de assistência técnica e crédito, e apoio à comercialização. | Foto: Divulgação

    Manaus - O Governo do Amazonas lançou nesta quarta-feira (17), o Plano Safra 2019/2020, que vai destinar cerca de R$ 350 milhões para atender produtores rurais, incluindo agricultores familiares, pescadores, extrativistas e indígenas do Amazonas. Os recursos contemplam ações de estímulo à atividade agropecuária, oferta de assistência técnica e crédito, e apoio à comercialização. "O orçamento passou de menos de 1%  a 3%", conta o Secretário de Estado da Produção Rural, Petrucio Júnior.

    "O Plano Safra nada mais é do que um conjuntos de ações, projetos, programas e políticas públicas voltadas para fomentar o setor agropecuários e desenvolver o interior do Estado, reduzindo as desigualdades sociais do interior e da capital", explica. Ainda segundo o secretário, o Plano apresenta uma série de programas estruturantes que vão garantir mais produção no interior do Estado. 

    Do total de recursos, R$ 75 milhões serão destinados para ações da política agropecuária; R$ 94 milhões para assistência técnica e extensão rural; R$ 40 milhões para defesa agropecuária e florestal; R$ 40 milhões para crédito junto à Afeam; e R$ 100,5 milhões para apoio à comercialização.

    Os projetos prioritários para aplicação dos recursos - conforme as cadeias produtivas - foram definidos com base em critérios de expressiva produção e produtividade; infraestrutura de beneficiamento existente; condições de mercado; geração de emprego e renda e qualidade de vida no meio rural.

    As cadeias prioritárias são: de fruticultura (abacaxi, cupuaçu, banana, citros, açaí e guaraná); mandioca; café; juta e malva; avicultura; pecuária de leite e corte; piscicultura e pesca artesanal; milho; soja; feijão; castanha; óleos; borracha; piaçava; madeira em manejos simplificados; agroecologia e produtos orgânicos.

    O pequeno produtor pode ter acesso a estes benefícios por meio dos 66 escritórios do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário do Estado do Amazonas (Idam), espalhados pelo interior. A partir dessa ida ao Idam será elaborado um projeto para o atendimento da necessidade do pequeno produtor, como aquisição de animais, compra de equipamentos, custeio ou investimento. A previsão é que mais de 300 mil agricultores sejam beneficiados.

    Mônica Walesca, Produtora Rural, diz que o valor anunciado é uma desvalorização dos trabalhadores do campo
    Mônica Walesca, Produtora Rural, diz que o valor anunciado é uma desvalorização dos trabalhadores do campo | Foto: Lucas Silva

    Ainda não é o suficiente 

    "Todo mundo estava com uma esperança muito grande, mas quando foi anunciado 3% para o setor primário,  a gente achou uma brincadeira. É uma desvalorização àquelas pessoas que estão no campo levando a merenda escolar, levando a comida todos dias para todo mundo.  A gente ficou muito triste, esperava mais", conta Mônica Walesca, produtora rural em Itacoatiara e Tefé. Mônica também é representante de 32 produtores rurais de farinha, da Cooperativa Agroextrativista Mista dos Produtores Rurais de Nova Sião do Município de Tefé (Coopagens). 

    O Secretário de Produção Rural,  Petrucio Júnior, diz que é preciso a população valorize os produtos regionais
    O Secretário de Produção Rural, Petrucio Júnior, diz que é preciso a população valorize os produtos regionais | Foto: Lucas Silva

    Valorização
    O secretário Petrucio Júnior acrescentou que é importante que a população, consumidor final, valorize produtos regionais. "Consuma e valorize os produtos regionais, porque está havendo uma profissionalização e uma melhoria da qualidade de produtos  com a certificação da nossa agência de defesa agropecuária animal e florestal", ressaltou. 

    Expo Agro

    Durante o evento, o Governo também anunciou a 41ª edição da Exposição Agropecuária do Amazonas (Expoagro 2019). Este ano, acontecerá de 3 a 6 de outubro, no espaço da Faculdade Nilton Lins, no Parque das Laranjeiras, zona centro-sul de Manaus. Em 2020, o evento ganha espaço próprio, no km 2 da BR-174, onde será construído o novo Parque de Exposições Agropecuária, conforme também anunciado pelo governador.

    Assista a reportagem da Tv Em Tempo:

    Assista a reportagem | Autor: Mei Shapiama/ Tv Em Tempo
     

    Leia Mais 
    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    Governo do AM movimentou mais de R$ 10 milhões com as Feiras da ADS

    Sepror apresenta projetos sustentáveis para governo alemão