Fonte: OpenWeather

    Economia


    Dados reforçam momento positivo do setor de Duas Rodas da ZFM

    As indústrias instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM) produziram 92.894 motocicletas em setembro, o que representa um volume 15,1% superior a igual mês de 2018

    De janeiro a setembro, o PIM teve produção total de 836.450 unidades | Foto: Leonardo Mota

    Após a Suframa ter informado, no final de setembro, que o Polo de Duas Rodas da Zona Franca de Manaus teve faturamento de R$ 7,16 bilhões no primeiro semestre de 2019 e crescimento de 17,5% em relação ao mesmo período do ano passado, a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo) divulgou, nesta semana, dados mais atualizados que confirmam o momento positivo do segmento.

    De acordo com a Abraciclo, as indústrias instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM) produziram 92.894 motocicletas em setembro, o que representa um volume 15,1% superior a igual mês de 2018.

    Ainda conforme a entidade, no período de janeiro a setembro, o PIM teve produção total de 836.450 unidades, o que equivale a um aumento de 7,5% na comparação com o mesmo período do ano passado (777.779 unidades). Os dados positivos foram, inclusive, ressaltados pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, em publicação na manhã desta quinta-feira (10) em suas redes sociais.

    O presidente citou também outras medidas - entre as quais desburocratizações e avanços na infraestrutura - que acontecerão em prol da geração de empregos e do estímulo à confiança do segmento produtivo.

    O superintendente da Suframa, Alfredo Menezes, avalia que os números do Polo de Duas Rodas demonstram que o mercado brasileiro – para onde são destinados aproximadamente 95% dos produtos fabricados na Zona Franca de Manaus – está melhorando progressivamente e que o PIM, como um todo, está atravessando um decisivo momento de recuperação e ampliação.

    “Tivemos números expressivos no primeiro semestre, com o crescimento de alguns segmentos de grande relevância, como o Polo de Duas Rodas. Temos também mais de US$ 600 milhões em novos investimentos aprovados nas últimas duas reuniões do CAS (Conselho de Admnistração da Suframa), além de uma maior segurança jurídica comprovada pela presença do presidente Jair Bolsonaro na primeira reunião do Conselho neste ano. Os reflexos desses investimentos e dessas ações serão computados e analisados e a sociedade terá conhecimento disso no final do ano”, informou Menezes, acrescentando que os resultados são frutos do trabalho desenvolvido pela Suframa, enquanto agente do governo federal na região, em parceria com governos estaduais e municipais, entidades de classe e empresas, entre outros.

    Mercado

    Em seu comunicado, a Abraciclo também informou que a maior oferta de crédito aos consumidores continua sendo um dos principais motivos para o crescimento do segmento, aliado a fatores como taxas de juros mais atrativas e a possibilidade de utilização de motocicletas e bicicletas como fonte de renda pela população.

    A entidade também avalia que o mercado deverá se manter aquecido ao longo dos próximos meses, em virtude, principalmente, de fatores sazonais como o pagamento do 13º salário, a chegada do verão e os lançamentos de novos modelos previstos para o Salão Duas Rodas, principal evento do setor na América Latina, que ocorrerá no período de 19 a 24 de novembro, em São Paulo (SP).

    O setor no PIM

    O polo de Duas Rodas instalado no Polo Industrial de Manaus é o único do país e o maior da América Latina, tanto em termos de quantidade de empresas quanto em termos de produção. Atualmente, o setor possui o mais elevado índice de adensamento de cadeia produtiva da Zona Franca de Manaus, com índices históricos de regionalização e nacionalização de insumos em torno de 75% da produção. O polo é constituído por cerca de 70 empresas, entre fabricantes de bens finais e de componentes, partes e peças.

    O segmento também é responsável por elevados níveis de geração de empregos na Zona Franca de Manaus, com mão de obra média, incluindo fabricantes e componentistas, ultrapassando 20 mil trabalhadores.

    *Com informações da assessoria