PIM


Polo Industrial de Manaus produz mais de 56 mil bicicletas em janeiro

Mountain Bike (MTB) foi a categoria mais fabricada. Maior oferta de crédito está estimulando a evolução dos negócios

No primeiro mês do ano foram importadas 9.314 bicicletas em todo o território nacional
No primeiro mês do ano foram importadas 9.314 bicicletas em todo o território nacional | Foto: Divulgação

Manaus - Em janeiro saíram das linhas de montagem das fabricantes instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM) 56.410 bicicletas. Segundo levantamento da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo), o volume é 3,8% inferior às 58.611 unidades produzidas em janeiro do ano passado e 171,9% superior na comparação com dezembro (20.747 unidades).

“Ao avaliarmos esses números, temos que fazer duas considerações. Primeiro: dezembro é um mês em que a indústria adota férias coletivas para realizar manutenção nos processos produtivos e instalar novos equipamentos. Por isso, a alta expressiva na comparação mensal. Segundo: apesar do ligeiro recuo registrado em janeiro, o setor mantém crescimento contínuo e consistente, o que nos leva a esperar um crescimento de 7,3% para este ano”, explica Cyro Gazola, vice-presidente do Segmento de Bicicletas da Abraciclo. Para 2020, a expectativa é que sejam produzidas 987.000 unidades em Manaus (AM).

Entre os fatores que estimulam o consumidor a adquirir uma bicicleta nova estão a melhoria da qualidade do produto nacional na comparação com as marcas globais e preços mais acessíveis. “Além disso, devido ao aquecimento da economia, os bancos e demais instituições financeiras estão oferecendo linhas de crédito mais atrativas e com juros mais baixos”, avalia o executivo.

Resultados por categoria

Com 35.157 unidades e 62,3% de participação no mercado, a Mountain Bike (MTB) foi a categoria mais produzida em janeiro deste ano. Na comparação com janeiro de 2019, quando foram fabricadas 31.294 unidades, a produção da MTB registrou alta de 12,3%. Em relação a dezembro (11.423 unidades), o crescimento foi de 207,8%.

De acordo com Gazola, o segmento MTB vem crescendo muito nos últimos anos. Segundo o executivo, esse tipo de bicicleta passou a ser utilizado também nas cidades, apesar de sua aplicação clássica como off-road. “Os números mostram que a cada ano a categoria registra alta em sua produção: em 2018 saíram do PIM 330.573 unidades e em 2019, esse volume aumentou para 436.795 bicicletas, correspondendo a um crescimento de 32,13%. Esse resultado fez a MTB ultrapassar a Urbana, que era a categoria mais produzida no Brasil”.

A categoria Urbana/Lazer ficou em segundo lugar no ranking das mais produzidas, com 14.573 unidades e 25,8% de participação. O volume é 29,3% inferior ante as 20.605 unidades fabricadas em janeiro do ano passado, e 91,4% superior na comparação com dezembro (7.614 unidades).

Na sequência, veio a Infanto-Juvenil que registrou 4.584 unidades fabricadas, o que representa 8,1% de participação no mercado. Na comparação com volume fabricado no mesmo mês de 2019 (5.515 unidades), houve queda de 16,9% e em relação a dezembro (911 unidades), alta de 403,2%.

Em quarto lugar, ficou a Estrada, com 1.391 unidades e 2,5% da fatia do mercado. O volume fabricado foi 85,2% superior ao registrado em janeiro do ano passado (751 unidades) e 154,3% maior ante as 547 bicicletas produzidas em dezembro.

 A produção da Elétrica somou 705 unidades, o que representa 1,2% de participação. Na comparação com janeiro de 2019 (446 unidades), a alta foi de 58,1% e em relação a dezembro (252 unidades), o aumento foi de 179,8%. 

Resultados por região

Em janeiro, o maior volume de bicicletas produzidas no PIM foi destinado para a região Sudeste. No total, foram 29.352 unidades, o que corresponde a 52% de participação. Na sequência, vieram Sul (10.853 unidades e 19,2%), Nordeste (8.755 unidades e 15,5%), Centro Oeste (4.468 unidades e 7,9%) e Norte (2.982 unidades e 5,3%). 

No comparativo mensal, o volume recebido no primeiro mês deste ano pela região Sudeste caiu 10,3% ante às 32.737 bicicletas registradas em janeiro de 2019. Em relação a dezembro (11.042 unidades), a alta foi de 165,8%. Na região Sul, houve aumento de 21,8% na comparação com janeiro do ano passado (8.909 unidades) e de 146,7% em relação ao mês anterior (4.400 unidades).

A região Nordeste registrou crescimento de 37,5% em relação a janeiro de 2019 (6.365 unidades) e de 178,6% na comparação com dezembro (3.142 unidades). Na região Centro-Oeste houve aumento de 39,5% na comparação com o volume registrado em janeiro do ano passado (3.204 unidades) e de 234,2% em relação a dezembro (1.337 unidades). Na região Norte, a queda na comparação com janeiro do ano passado (7.396 unidades) foi de 59,7%, em relação a dezembro (826 unidades) a alta foi de 261%.

Importação e exportação

No primeiro mês do ano foram importadas 9.314 bicicletas em todo o território nacional, o que representa uma elevação de 140,4% na comparação com janeiro de 2019 (3.874 unidades). Os números são do portal de estatísticas de comércio exterior Comex Stat analisados pela Abraciclo.

O maior volume veio da China (8.481 unidades e 91,1% do total importado). Na sequência do ranking, as bicicletas vieram de Taiwan (686 unidades e 7,4%) e Índia (95 unidades e 1%). 

As exportações continuam em queda. Em janeiro foram exportadas 30 bicicletas produzidas em todo o território nacional. De acordo com dados do portal Comex Stat também analisados pela Abraciclo, 26 unidades foram destinadas para a Argentina, o que corresponde a 86,7% do total embarcado e as outras quatro unidades, para a Alemanha (13,3%).

*Com informações da Assessoria