Fonte: OpenWeather

    EFEITO CORONAVÍRUS


    Indústria de Manaus intensifica medidas de contenção ao Covid-19

    Empresas cancelaram viagens para reuniões presenciais e funcionários com sintomas deverão ficar em casa

    Funcionários sob suspeita de contaminação do novo coronavírus devem ser afastadas de imediato | Foto: Arquivo Em Tempo

    Manaus  - Com a confirmação do primeiro caso do novo coronavírus (Covid-19), em Manaus, na sexta-feira (13), as empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM) devem intensificar as medidas de contingência para combater a contaminação das linhas de produção. Para começar, muitas empresas suspenderam as viagens de trabalho e as reuniões presenciais foram substituídas por videoconferências e eventos e feiras estão sendo adiadas.

    No momento não há previsão de paralisação de linhas de montagem
    No momento não há previsão de paralisação de linhas de montagem | Foto: Arquivo Em Tempo

    O presidente da Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros), José Jorge do Nascimento Junior, afirma que as empresas estão com suas ações de contingência e priorizando a saúde dos funcionários. De acordo com ele, medidas de prevenção e contenção da contaminação estão sendo adotadas.

    “Havendo casos de funcionários diagnosticados com o coronavírus, cada empresa adota uma estratégia, desde o afastamento imediato do funcionário doente alcançando, até o afastamento dos demais funcionários que tiveram contato com o infectado. E aqueles funcionários que retornam do exterior são obrigados a cumprir quarentena”, explica Jorge Junior.

    Sobre o risco de paralisações de linhas de produção como medida para conter o avanço do vírus, o presidente da Eletros, diz que isso ocorrerá somente se existir houver um aumento significativo de casos de funcionários infectados ou por uma recomendação/determinação do poder público proibindo o ir e vir das pessoas e que alcance toda a população.

    Presidente da Eletros diz que empresas estão tomando suas ações de contingência, priorizando a saúde dos trabalhadores
    Presidente da Eletros diz que empresas estão tomando suas ações de contingência, priorizando a saúde dos trabalhadores | Foto: Arquivo Em Tempo
    "

    Não é momento para pânico e alarmismo. Na verdade, este é o momento de agir fortemente em ações que visem a precaução e evitem a disseminação do Covid-19. E isso deve ser compromisso, empenho e dedicação de toda a sociedade "

    Jorge Junior, presidente da Eletros, sobre a necessidade de manter a calma

    Por enquanto sem férias coletivas

    O presidente da Eletros afirma que entre as empresas associadas, instaladas em Manaus, nenhuma delas deu entrada em pedido de férias coletivas por problemas com os estoques de componentes, devido a paralisação na produção de insumos da indústria chinesa, que é o principal canal de importação das empresas de eletroeletrônicos da indústria amazonense.

    De acordo com Jorge Junior, os estoques das associadas da Eletros estão em quantidades normais. “O risco de uma falta de insumos por conta da suspensão do fornecimento da China deve ser maior em 45/60 dias”, afirma o presidente da Eletros.

    Medidas sobre os trabalhadores

    O presidente do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias de Plástico (Sindplast), Francisco Brito, explica que o patronal do setor também está se mobilizando com medidas para conter o coronavírus nas suas linhas de produção. “Se alguém aparecer com algum sintoma parecido com os do Covid-19, esse trabalhador deverá ficar em casa, sem sofrer desconto”, afirma.

    Sindplast avalia que empresas devem reforçar ainda mais os cuidados com os trabalhadores do distrito indústrial
    Sindplast avalia que empresas devem reforçar ainda mais os cuidados com os trabalhadores do distrito indústrial | Foto: Arquivo Em Tempo

    Brito avalia que, diante do primeiro caso confirmado em Manaus, a preocupação aumentou nas fábricas, que reúnem de 300 a 400 pessoas trabalhando juntas. “Num caso como esse somos todos vulneráveis. Nós estamos orientando os trabalhadores a irem de hora em hora ao banheiro para lavarem as mãos. Algumas empresas estão adotando a estratégia de álcool em gel. As pessoas têm que se cuidar”, observa o sindicalista.

    O presidente do Sindplast avalia que além do álcool em gel, as empresas que não vão suspender os trabalhos nas suas linhas de produção precisam ampliar os mecanismos de prevenção contra o coronavírus como, por exemplo, a distribuição de máscaras para os seus funcionários, além de outras medidas. “O trabalho geralmente é muito predatório. A suspensão da produção deve ocorrer mesmo somente em caso de um aumento expressivos nos indicadores, mas hoje já são necessários todos os cuidados”, avalia.