Fonte: OpenWeather

    Renegociação


    Covid-19: Principais bancos prorrogam cobranças por 60 dias

    Principais bancos do país, em conjunto com a Federação Brasileira de Bancos, anunciaram a prorrogação das cobranças por conta do novo coronavírus

    | Autor: Banco do Brasil

    Novo prazo pode ser até 60 dias maior para, segundo a Febraban, apoiar todos os que estejam enfrentando dificuldades por causa da epidemia
    Novo prazo pode ser até 60 dias maior para, segundo a Febraban, apoiar todos os que estejam enfrentando dificuldades por causa da epidemia | Foto: Reprodução/ Agência Brasil

    Manaus - A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) informou esta semana que os principais brancos do país - Banco do Brasil, Bradesco, Caixa, Itaú Unibanco e Santander - estarão abertos para atender pedidos de prorrogação, por até 60 dias, dos vencimentos de dívidas tanto para os clientes "pessoas físicas", quanto micro e pequenas empresas.

    A decisão acontece em meio ao surto do novo coronavírus (Covid-19) no Brasil, como mais uma medida para evitar mais prejuízos econômicos aos clientes. Mas, vale ressaltar que as formas de negociação variam a depender do banco, com ajustes quase individuais, analisados caso a caso.

    “A Febraban e seus bancos associados, sensíveis ao momento de preocupação dos brasileiros com a doença provocada pelo novo coronavírus, vêm discutindo propostas para amenizar os efeitos negativos dessa pandemia no emprego e na renda”, disse o comunicado.

    O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou também, na manhã da última segunda-feira (16), duas medidas para facilitar a renegociação de até R$ 3,4 trilhões em empréstimos por famílias e empresas
    O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou também, na manhã da última segunda-feira (16), duas medidas para facilitar a renegociação de até R$ 3,4 trilhões em empréstimos por famílias e empresas | Foto: Reprodução/ Agência Brasil

    Segundo a Febraban, os bancos estão engajados em continuar colaborando com o país, a partir de medidas de estímulo à economia e, pelo setor ser considerado essencial, as atividades não serão suspensas.

    "Sobre a possibilidade de fechamento das agências ou redução do horário de atendimento, o setor segue procedimentos previstos na legislação, bem como práticas internacionais, em que os bancos foram considerados atividades essenciais, como saúde e segurança, e não tiveram seu funcionamento interrompido”, alegou a federação.

    O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou também, na manhã da última segunda-feira (16), duas medidas para facilitar a renegociação de até R$ 3,4 trilhões em empréstimos por famílias e empresas, além de tentar ampliar a capacidade de crédito do sistema financeiro em até R$ 637 bilhões para "apoiar a economia brasileira durante o enfrentamento da pandemia", afirma o Banco Central.

    "O BCB tem um amplo arsenal de instrumentos e vai adotar todas as medidas necessárias para apoiar as empresas e as famílias contra os efeitos adversos do Covid-19 na economia", afirmou o CMN, em nota.

    Itaú Unibanco

    No site, o Itaú disponibiliza a renegociação das dívidas e a consequente prorrogação por 60 dias aos clientes com empréstimos contratados e em dia, sem cobrança de multas e IOF, além de manter as taxas de juros. 

    "Você que é cliente Itaú e tem Empréstimo Pessoal, Crédito Imobiliário, Crédito com Garantia de Imóveis e Financiamento de Veículos e está em dia, poderá solicitar o reparcelamento dos seus contratos, pagando sua próxima parcela daqui 60 dias", diz o site.

    Para os demais produtos, como Cheque Especial e Cartão de Crédito, o banco afirma que já existem produtos específicos em funcionamento antes desta decisão, que auxiliam nos parcelamentos e podem ser acessados por meio do aplicativo oficial do Itaú. Ainda, disponibiliza tanto o canal online, quanto por meio da Central de Renegociação pelos números 4004-1144 (Capitais e Regiões Metropolitanas) ou 0800 726 1144 (demais localidades).

    Banco do Brasil

    Embora não tenha uma página setorizada especificamente para atender às demandas em relação a esta renegociação, o Banco do Brasil possui mecanismos de renegociação de dívidas, sendo majoritariamente pelo aplicativo oficial em dispositivos móveis. 

    | Autor: Banco do Brasil
     

    Bradesco

    Assim como o Banco do Brasil, o Bradesco também não divulgou diretrizes específicas para atender os clientes durante a pandemia do Covid-19, mas disponibilizou seus canais virtuais para a realização das transações, assim como as FAQ (perguntas frequentes), com dúvidas já respondidas sobre operações.

    Pelo website, o banco setoriza a operação no canal "Renegociação de Dívidas", na aba de produtos e serviços. Por lá, o cliente tem as opções de acessar o Internet Banking pelo computador; acessar o mesmo canal, mas no aplicativo em dispositivos móveis e contatar o "Fone Fácil", pelos números 4002 0022 (capitais e regiões metropolitanas), 55 11 4002 0022 (acesso do exterior) e 0800 570 00 22 (demais regiões).

    Caixa Econômica

    Em seu site, a Caixa abre o seu ambiente virtual para consulta de dívidas com empréstimos, financiamentos, cartão de crédito e contratos habitacionais, além de verificar as alternativas disponíveis para regularização da situação.

    No setor "Negociar Dívidas", o cliente tem a opção de parcelar a dívida em até 96 vezes, com um atendimento 24 horas por dia, nos sete dias da semana. No local, especifica-se a entrada mínima de 10% da dívida e saldo devedor restante de até R$ 49 mil, mas as condições devem ser aplicadas de maneira personalizada devido a situação de crise.

    Para a renegociação por telefone, o telefone 0800 726 8068 está disponível pela opção 8. Além deste, a Caixa disponibiliza o atendimento via Twitter e messenger do Facebook, de segunda à sexta, das 8h às 20h.

    Santander

    Em meio a situação crítica em movimento crescente, o Santander também busca disponibilizar o máximo de serviços online possível. Por meio da campanha de combate a propagação do novo coronavírus, o Santander criou tutoriais, com passo a passo, sobre como resolver as pendências tanto para pessoa física, quanto jurídica.

    "Estamos acompanhando de perto o avanço do COVID-19, o novo coronavírus. Com a evolução do número de casos, sua segurança é nossa prioridade. Por isso, sugerimos que habilite o ID Santander para fazer consultas de saldo e extrato, além de transações, como pagamentos e transferências, sem precisar sair de casa", diz o site do banco.

    Na aba da campanha, os clientes já recebem um redirecionamento "personalizado" de acordo com seu perfil, onde tem acesso a pequenos informativos a respeito da situação emergencial juntamente com os tutoriais explicativos para realizar as transações.

    "Com o potencial aumento das medidas de precaução relacionadas à contenção do COVID-19, o novo coronavírus, é importante que você realize a digitalização dos processos financeiros da sua empresa tanto quanto possível, garantindo o acesso remoto às atividades necessárias para o bom funcionamento do seu negócio durante este período", sugere o canal de acesso à empresas.

    Como a maioria dos serviços é realizado por meio do aplicativo móvel, também convém listar as centrais de atendimento por telefone. Para informações, os números 4004 3535 (capitais e regiões metropolitanas), 0800 702 3535 (demais localidades) e 0800 723 5007 (pessoas com deficiência auditiva e de fala) estão disponíveis.

    Para o atendimento empresarial, o período estipulado é de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h, mas pode sofrer alterações dadas as conjunturas atuais. Os números para contato são o.4004 2125 (capitais e regiões metropolitanas), 0800 726 2125 (demais localidades) e 0800 723 5007 (pessoas com deficiência auditiva e de fala).