Fonte: OpenWeather

    Coronavírus


    Shoppings de Manaus têm recuo de 50% no fluxo de consumidores

    Impacto do coronavírus já chegou aos shoppings da capital e revela a dificuldade que lojistas estão enfrentando

    Lojistas reclamam da queda das vendas | Foto: Divulgação

    Manaus – Com o avanço do Covid-19 no Brasil e os casos ocorrendo no Amazonas, as redes de shopping centers vivem um momento de incerteza sobre a movimentação nos centros de compras nas próximas semanas. O fluxo de clientes já começou a ser afetado, chegando a 50% de queda nas vendas, segundo lojistas e os shoppings relatam quais medidas de prevenção estão tomando para manter o faturamento durante o período da crise.  

    A proprietária da loja de maquiagens Make For You, localizada no Sumaúma Park Shopping, Daniela Maia, explica que o fluxo de consumidores realmente caiu muito. Ela não vê pessoas circulando pelo espaço como algumas semanas atrás. “O movimento caiu pela metade. Antes recebíamos 100 clientes, agora somente uns 50. Ou seja, 50% de queda nas vendas”, revela.

    Daniela também afirma que, em sua loja, a saída está sendo fazer promoções para chamar atenção dos poucos clientes que ainda estão frequentando o shopping. Segundo ela, somente a baixa dos preços será capaz de manter as lojas abertas nesse período de crise.

    Matheus Souza, gerente da loja de instrumentos musicais Cborges, localizada no Manauara Shopping, bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul, revela que o movimento de pessoas já está bastante reduzido devido ao medo de contaminação por coronavírus. Ele explica também que, além do vírus, a alta do dólar está prejudicando igualmente as vendas.

    “O fluxo já está reduzido devido à crise de saúde que estamos vivendo no país. Além disso, com a alta do dólar, muitos produtos ficam mais caros e os clientes acabam optando por não comprar nesse período. Nossas vendas caíram bastante nos últimos meses e, agora, acho que a situação ficará pior’’, esclarece Matheus.

    O gerente indica que, atualmente, o fluxo é de cinco ou seis clientes ao todo pelo período da manhã e da tarde. Número extremamente baixo se comparado com um dia “comum”, onde os lojistas recebem muito mais pessoas buscando comprar os instrumentos ou somente orçar preços.

    Ele também aponta que os prejuízos já são evidentes para os lojistas de shoppings. “O aluguel pago ao shopping não deverá sofrer alteração, se os lojistas não se movimentarem. Além disso, a partir de quarta-feira (18), já teremos uma redução no horário de funcionamento que irá somente de 12h às 20h, diminuindo ainda mais o fluxo’’, finaliza.

    Medidas de proteção

    A Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce) recomendou aos associados com empreendimentos localizados em áreas com casos confirmados de coronavírus que funcionem em horário reduzido, das 12 horas às 20 horas, a partir desta quarta-feira 18. Isso significa uma redução de quatro horas no expediente diário dos shoppings, que costumam ficar abertos das 10 horas às 22 horas.

    A associação observou que a medida evita paralisar totalmente as atividades econômicas nos shoppings, em especial os serviços de utilidade pública, como bancos, farmácias, laboratórios e supermercados, por exemplo.

    O Manauara Shopping afirma, por meio de nota, que manterá seu funcionamento, mas com horário reduzido, das 12h às 20h, a partir desta quarta-feira (18). A decisão foi tomada como forma de garantir à população acesso a todos os serviços presentes nos shoppings – como laboratórios, bancos, farmácias, supermercados, restaurantes e lojas – e, ao mesmo tempo, preservar empregos e minimizar o impacto econômico, sobretudo para os lojistas.

    A administração evidencia também que o shopping vem intensificando, desde fevereiro, a rotina de limpeza e higienização dos espaços comuns e do sistema de ar condicionado central, inclusive com aumento nas taxas de renovação de ar e utilização de materiais desinfetantes.

    ‘’Houve ainda reforço nos pontos de uso de álcool em gel nas praças de alimentação e próximo aos banheiros. Para apoiar as instituições de saúde na disseminação de informações sobre os cuidados na prevenção do coronavírus, o empreendimento também implementou uma campanha de conscientização para clientes e lojistas’’, esclarecem na nota.