Fonte: OpenWeather

    EFEITO PANDEMIA


    Manauaras evitam feiras e vendas caem 50% nas últimas semanas

    Feirantes da Manaus Moderna apontam que consumidores estão comprando em grande quantidade para fazer estoque

    Medida de distanciamento social tem levado os corredores da feira ao vazio
    Medida de distanciamento social tem levado os corredores da feira ao vazio | Foto: Arquivo Em Tempo

    Manaus - Os manauaras mudaram a forma de comprar nos últimos dois meses por conta das medidas de distanciamento social. A ida aos supermercados e feiras para comprar o básico foi substituído por estoque de alimentos. Vendedores da tradicional feira da Manaus Moderna que segue em funcionamento contam que o cliente compra tudo o que precisa comprar em apenas um dia e passa de uma semana ou mais.

    O presidente do Sindicato dos feirantes da Feira da Manaus Moderna, David Lima explica que esse comportamento afetou diretamente as últimas semanas de venda na feira. Uma queda de 50% já é contabilizada.

    “Os nossos clientes vêm na feira e compram tudo para que dure uma semana ou mais. Passam mais tempo sem vir porque já estão estocando em casa. Por isso que a gente sente que uma semana a venda está boa e em outra não. Depende muito do dia a dia”, explicou. 

    Caminhando próximo da feira é possível ver a movimentação de muitos carros e caminhões. Isso tem uma explicação. A Feira da Manaus Moderna é a principal que mantém a cadeia alimentar da cidade. Ela abastece diariamente as principais redes de supermercado em Manaus e contribui para que a cidade não fique desabastecida.

    As feiras de Manaus continuam funcionando em horários reduzidos
    As feiras de Manaus continuam funcionando em horários reduzidos | Foto: Bruna Oliveira

    David explica também que a venda em atacado está mais rentável que a venda no varejo. Além disso, o fluxo de clientes caiu após decreto do fechamento do comércio não essencial na cidade. 

    O auxiliar de serviços gerais em uma grande rede de supermercados Lindomar dos Santos afirma que mudou a quantidade de ida nas feiras do Centro. A média de compras em duas vezes por semana foi trocada por uma ida a cada 15 dias.

    “Estamos comprando o essencial para ficar em casa só que em maior quantidade para evitar sair para a rua. Minha esposa faz parte do grupo de risco e eu não posso ser contaminado e trazer o vírus para casa. Vou à feira no caso de muita necessidade”, explicou. 

    Feirantes afirmam que fluxo caiu mais pela metade durante a pandemia
    Feirantes afirmam que fluxo caiu mais pela metade durante a pandemia | Foto: Bruna Oliveira

    Peixes

    Outro produto característico das feiras regionais são os peixes tradicionais da Amazônia. Psicultores e peixarias comemoraram a venda da última Semana Santa. Com o serviço Delivery disponível, as vendas superaram as expectativas, mesmo em meio à pandemia que atinge Manaus.

    Diferentemente das peixarias, as feiras não possuem o sistema de entrega. O cliente precisa ir até o local, escolher o peixe, o tipo de corte e se ganha algum desconto por fidelidade. Diante disso, a baixa movimentação na Feira da Manaus Moderna faz com que o preço do pescado não diminua e os clientes optem por outros produtos.