Fonte: OpenWeather

    Prestação de serviços


    Papo Franco: advogada comenta mudanças nas práticas trabalhistas

    Lucilene Macêdo, especializada em direito do trabalho, comenta as mudançaS na dinâmica trabalhista

     

    As práticas de trabalho têm sofrido diversas alterações durante a pandemia
    As práticas de trabalho têm sofrido diversas alterações durante a pandemia | Foto: WEB TV

    Manaus - Em entrevista ao programa Papo Franco, apresentado pela jornalista Tatiana Sobreira, a advogada Lucilene Macêdo comenta sobre a questão do trabalhado terceirizado.

    Lucilene Macêdo dos Santos atua como advogada desde 2012. Ela possui especializações em Direito do Trabalho e Direito Civil e é membro e procuradora do Tribunal de Ética e Disciplina da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Amazonas (OAB-AM).

    A terceirização tem ocupado cada vez mais espaço dentro das empresas, principalmente após a reforma trabalhista. Nesse sentido, a prática popular passa por mudanças em função da pandemia do novo covid-19, na qual empresas têm tido que lidar com a necessidade de afastar muitos funcionários.

    Novas configurações de serviço

    Diante desse cenário, Lucilene revela as mudanças e perspectivas mercadológicas relacionadas a prestação de serviços. A realidade do coronavírus trouxe mudanças na realização dos trabalhos. O home office (trabalho em casa) tem se mostrado uma alternativa viável para muitas empresas, tendo em vista a ausência de gastos com consumo de energia, transporte e até alimentação.

    Para advogada, é necessário que haja adequação das profissões ao novo formato tecnológico, especialmente na atual situação de isolamento social. Lucilene revela que muitos setores têm tido êxito em se adaptar. Segundo ela, o setor de vendas é um exemplo, uma vez que lojas e restaurantes estão ampliando os serviços de entregas. 

    Apesar do crescimento do mercado, com atuações trabalhistas autônomas e terceirizadas, ela ressalta a importância de atentar-se para a qualidade do serviço prestado. Nesse sentido, é necessário repensar as dinâmicas, principalmente na internet - que apesar de agilizar, ainda possui limitações.

    “Nem toda atividade pode ser exercida de maneira virtual. A consulta médica é um exemplo. Uma vez que tem sido realizada mais por necessidade, mas sabe-se que alguns aspectos clínicos são mais nítidos pessoalmente”, afirma a advogada.

    Quer saber mais sobre as mudanças na prestação de serviços? Confira a entrevista na íntegra:

    | Foto: WEB TV Em Tempo