Reabertura


Lojistas de Manaus preparam promoções para a reabertura do dia 1°

Expectativa de empresários e funcionários é de que retorno seja positivo e possa ajudar a recuperar as perdas causas pela pandemia

Lojistas estão de olho nas vendas da primeira data comercial pós-paralisação, o Dia dos Namorados | Foto: Lucas Silva

Manaus  - Após dois meses e seis dias do decreto governamental que suspendeu as atividades do comércio e serviços não essenciais, os lojistas do Centro de Manaus que fecharam as portas começaram a preparar os seus estabelecimentos para receber seus consumidores a partir do dia 1º de junho, já com promoções. O movimento começou nesta quinta-feira (28) depois do anúncio de reabertura feito pelo governado, Wilson Lima, na última quarta-feira (27).

Lojas de vestuários estão entre os primeiros segmentos que voltam a funcionar
Lojas de vestuários estão entre os primeiros segmentos que voltam a funcionar | Foto: Lucas Silva

Dividido em quatro ciclos, a reabertura começa com segmentos como vestuário, calçados, móveis, petshops, concessionárias de veículos, óticas, floriculturas, artigos esportivos, entre outros (veja na tabela). Segundo o gerente de uma loja de vestuário, Juliano César apesar das dificuldades que a pandemia do novo coronavírus (Covis-19) trouxe ao comércio amazonense, a equipe está ansiosa para abrir as portas e recuperar o tempo perdido.

“Estamos esperançosos, principalmente porque estamos próximos a uma data comemorativa que ajuda bastante o comércio que é o Dia dos Namorados, então hoje já começamos a limpar a loja verificar as mercadorias que foram danificadas e preparar tudo para que possamos voltar a trabalhar com segurança. Acreditando sempre em dias melhores”, afirmou.

Gerente de loja de vestuário, Juliano César diz que promoções serão feitas para o Dia dos Namorados
Gerente de loja de vestuário, Juliano César diz que promoções serão feitas para o Dia dos Namorados | Foto: Lucas Silva

Com 14 anos de atuação no comércio, foi a primeira vez que a loja ficou fechada. Com a previsão para o retorno o gerente afirmou que a equipe já está se preparando para oferecer variedades e promoções aos consumidores. “Colocamos muitas roupas em promoção para atrair as pessoas estamos felizes que esse retorno aconteceu no início do mês que é compatível a muitos pagamentos então, a esperança é que o consumidor também esteja preparado para esse retorno”, disse Juliano. 

Retorno com cautela

Também da área de vestuário, o empresário, Hussan Maufal disse que o retorno das atividades será feito com cautela, mas já é considerado positivo. Para ele, marca o início de dias melhores para o comércio. “Vivemos de esperança e nesse período ela será a última a morrer. Na segunda (1º) somente seis dos doze funcionários deverão trabalhar na loja. Queremos estudar como a população irá reagir a reabertura. Passamos muito tempo fechado e as pessoas ainda estão com medo, então, o ideal é abrir as portas, mas sempre com calma”, afirmou.

Comércio não essencial está de portas fechadas desde o dia 23 de março
Comércio não essencial está de portas fechadas desde o dia 23 de março | Foto: Lucas Silva

Hussan ressaltou ainda que conscientizou os funcionários sobre o retorno às atividades para que todos fossem cientes das medidas de segurança que deveram ser tomadas nos próximos meses. “A pandemia ainda não acabou e todos precisam estar cientes disso. Todos estão preparados para receber os consumidores com segurança, pois não queremos fechar as portas novamente. Precisamos nos preparar para recuperar o que perdemos”, avaliou o empresário. 

Prejuízo

A suspensão das atividades pegou muitos trabalhadores de surpresa e acabou trazendo diversos prejuízos aos lojistas. É o caso do proprietário de uma loja de variedade, Aníbal Generoso. Ele reabrirá as portas com um prejuízo financeiro de, aproximadamente, R$ 40 mil. “Precisamos ter a chance de nos recuperar da crise. Temos despesas e contas a pagar. Mesmo que grande parte da população não volte a circular, o comércio precisa estar aberto pois assim conseguimos movimentar nossas vendas de outras maneiras”, observou o lojista. 

Para o empresário, as vendas serão difíceis e o mercado precisará ser estudado, mas ele afirma que a loja estará pronta para retornar as vendas. “Já chamei os funcionários. Terei somente dois nesse primeiro momento. Vou limpar a loja no fim de sema e segunda-feira estarei de portas abertas com a expectativa de que tudo se normalize o quanto antes e possamos superar tudo o que passamos”, salientou Generoso.

Consciência 

Para o presidente da Federação do Comércio do Estado do Amazonas (Fecomercio-AM), Aderson Frota, a reabertura do comércio não será o principal causador da contaminação do vírus. A população precisa estar consciente que o cuidado deverá existir e as medidas de proteção deverão realizadas pela comunidade 

"Todos os lojistas estão cientes sobre as medidas de proteção. Todos foram recomendados a atuar sem aglomerações nas lojas, disponibilizando itens de higiene pessoal aos consumidores durante toda a atuação. A volta será benéfica ao comércio e também para a população", enfatizou.

O presidente destacou ainda que a expectativa do comércio é positiva, mas que todos os lojistas voltam prejudicados. "Grandes e pequenos negócios foram prejudicados por isso, a volta do comércio é tão importante. Para todos, é a oportunidades de as coisas caminharem para a normalização mesmo que devagar, o comércio é importante para todos e nesse momento o retorno é de extrema importância", afirmou Costa.