Fonte: OpenWeather

    venda de veículos


    Após perdas de até 70%, concessionárias de Manaus retomam otimistas

    Empreendimentos já falam que as vendas de carros estão 80% melhor em relação no período anterior à pandemia da Covid-19

    Vendas online não foi o suficiente para manter as vendas de veículos em abril e maio | Foto: Lucas Silva

    Manaus – As concessionárias de carro abriram as portas no dia 1º de junho, no primeiro ciclo da retomada das atividades econômicas em Manaus. Gerentes afirmam que, durante os piores meses da paralisação, as perdas no faturamento chegaram a aproximadamente 70%. Com a retomada, a expectativa está positiva e alguns até acreditam que uma recuperação pode atingir o setor ainda este ano.

    Segundo dados da Fenabrave, as concessionárias do país registraram uma queda média de 76% em abril e de 75% em maio deste ano, quando comparado com os mesmos períodos do ano passado. No Amazonas, os números de veículos comercializados são inferiores ao do ano passado, com recuo de 55,61% em relação a maio de 2019, quando foram vendidos 4.918 automóveis.

    Funcionária pública guardou dinheiro para trocar e carro
    Funcionária pública guardou dinheiro para trocar e carro | Foto: Lucas Silva

    Marcela Oliveira, 30 anos, é funcionária pública e afirma que já estava com um dinheiro guardado para trocar seu carro. Ela viu que algumas concessionárias estavam oferecendo facilidades e resolveu arriscar. “O processo foi organizado e aconteceu de maneira rápida. Eu consegui fazer tudo online e só fui a concessionária para olhar o novo carro e assinar os contratos”, explana.

    De acordo com ela, seu carro antigo estava em boas condições e o valor abatido para a compra do novo veículo foi satisfatório. “Em meio à pandemia pode não ser o melhor momento, mas eu já estava determinada a trocar de automóvel há um tempo, então aproveitei a retomada do setor”, finaliza.

    Gerente geral da Via Marconi, Amarildo Pontes, relata que os resultados foram negativos durante a paralisação por decreto estadual, chegando a aproximadamente 70% de perdas nas vendas em abril e maio. “Mantivemos a venda de carros novos por meio do sistema de home office, pois elas podiam ser feitas online. Mesmo assim, os prejuízos foram grandes”, conta.

    Amarildo alega que as primeiras semanas de reabertura, com uma demanda reprimida, rapidamente trouxeram bons resultados. Segundo ele, nesse momento, as vendas de carros já atingem 80% do que vendiam no período anterior à pandemia. “Isso é muito renovador para todos nós que trabalhamos aqui. Acreditamos que a partir de julho, até dezembro, a tendência é que exista uma normalização maior para setor”, diz.

    Demanda reprimida nas primeiras semanas de reabertura resultou em bons resultados
    Demanda reprimida nas primeiras semanas de reabertura resultou em bons resultados | Foto: Lucas Silva

    Gerente de vendas da America Ford, Maverson Lemos, explica que a diminuição no número de vendas fez o faturamento de sua concessionária cair em 50% no mês mais crítico, abril. Com a retomada, a empresa aproveitou para ajudar os clientes com mais oportunidades e facilidades. “Estaremos com parcelas pela metade até 2022; com bônus para a valorização de veículos usados; e vendas online, fazendo entregas nas residências dos clientes, tomando todos os cuidados necessários”, assegura.

    Novo consumidor

    Segundo Maverson, a retomada da economia será muito rápida para o setor. Ele salienta que o mês de junho está com ótimas vendas, apresentando um consumidor novo, que agora prefere comprar pela internet e somente ir à loja física para ver seu veículo e assinar o contrato de compra. “Além disso, estamos com os dois segmentos, tanto de carros zeros, quanto de seminovos, igualmente aquecidos”, descreve.

    Gerente de vendas da Renault, Ieda de Souza, ressalta que a expectativa tem sido excelente e que o fluxo de clientes voltou a loja. “Ainda está um pouco devagar, sabemos que estamos retornando aos poucos. Contudo, só de ver certa movimentação, já ficamos mais satisfeitos e esperando uma boa recuperação”, elucida.

    Concessionárias fizeram uso de créditos do governo para não prejudicarem os funcionários
    Concessionárias fizeram uso de créditos do governo para não prejudicarem os funcionários | Foto: Lucas Silva

    Ela relata que, durante a paralisação, a concessionária fez o uso de pacotes do governo federal para ajudar na suspensão de contratos e não prejudicar os funcionários. Nesse momento, a equipe não está completa, pois a demanda ainda não é grande, mas Ieda afirma que logo todos estarão de volta ao trabalho.

    “Expandimos na propaganda e já tínhamos ofertas programadas para esse ano que estamos aproveitando para oferecer agora. Os preços estão acessíveis e temos até lançamento de um novo modelo. Acredito que aos poucos voltaremos a conquistar a confiança dos clientes e eles optarão por vir mais à loja”, encerra Ieda.

    Mercado automotivo segue em queda livre

    Depois de um março ruim no número de emplacamentos, abril teve resultado 66% pior que o último mês e se compararmos com o mesmo período do ano passado, o recuo chega a 76%. Foram emplacadas apenas 51.362 unidades em abril. Os dados foram divulgados pela Fenabrave.

    As vendas de carros e comerciais leves tiveram queda de 77% em abril, se comparado com o mesmo período do ano passado. Já as vendas de caminhões tiveram redução de 54%. Os emplacamentos de ônibus tiveram baixa de 78,5%, segundo os dados da entidade.

    Ainda segundo a Fenabrave, foram vendidas apenas 583.905 unidades em 2020, número que representa uma retração de 27,13%. De acordo com Alarico Assumpção Júnior, presidente da entidade, este resultado reflete o patamar de vendas de 14 anos atrás.

    Veja mais:

    Pandemia praticamente paralisa produção de automóveis em abril

    Emplacamentos de veículos caem 73,5% em abril durante a pandemia

    Vendas de automóveis cresce 32,30% em maio no AM em relação a abril