Fonte: OpenWeather

    Aniversário


    Sinduscon-AM: há 41 anos construindo o futuro do Amazonas

    Ao longo dessas quatro décadas, o sindicato contou com oito presidentes

    O presidente atual, Frank Souza ressalta que o fortalecimento do setor se deu graças ao empenho de todos os gestores que já passaram pelo SINDUSCON-AM
    O presidente atual, Frank Souza ressalta que o fortalecimento do setor se deu graças ao empenho de todos os gestores que já passaram pelo SINDUSCON-AM | Foto: Divulgação

    Manaus- Construção com representatividade. Esta é a missão do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Amazonas (SINDUSCON-AM), que completou 41 anos de história na quinta-feira (25).

    A entidade surgiu a partir da Associação Profissional das Indústrias da Construção Civil de Manaus, registrada no dia 4 de outubro de 1978. No dia 25 de junho 1979, foi reconhecido pelo Ministério do Trabalho como “sindicato”.

    Com o objetivo de representar e defender os interesses do setor da construção civil do Estado, o SINDUSCON-AM contribuiu e ainda contribui para o fortalecimento da economia do Amazonas, visto que o setor é o que emprega um maior número de colaboradores de forma muito mais rápida se comparada a outros setores.

    O sindicato é filiado à Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), entidade aliada que fortaleceu o trabalho do SINDUSCON-AM em várias conquistas a nível estadual e nacional. Também é filiado à Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM), entidade que tem dado suporte institucional, no âmbito estadual, e técnico, com a oferta de serviços às empresas e aos trabalhadores da construção.

    Para atender o bem-estar e o lazer dos trabalhadores do setor, o SINDUSCON-AM criou o Serviço Social da Indústria da Construção Civil de Manaus (SECONCI Manaus), fundado no dia 28 de novembro de 1991. A entidade, considerada o ‘braço social’ do sindicato, oferece serviços gratuitos de lazer, saúde, educação, entre outros, aos colaboradores das Empresas Associadas.

    Atuação

    Junto ao Comitê de Desburocratização, o SINDUSCON-AM atua para reduzir taxas e criar leis que melhorem os processos aos quais as empresas amazonenses são submetidas. Criado pela Prefeitura de Manaus, o Comitê tem o objetivo de agilizar processos, entre eles, os ligados à construção civil.

    O sindicato também tem assento no Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano (CMDU), deliberando sobre projetos e empreendimentos. O grupo de conselheiros do CMDU julga, semanalmente, a viabilidade de processos de pessoas físicas e jurídicas não contempladas no Plano Diretor de Manaus.

    Frank Souza, atual presidente do sindicato
    Frank Souza, atual presidente do sindicato | Foto: Divulgação

    O SINDUSCON-AM também colabora no Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico de Manaus (CODESE Manaus), cuja finalidade é possibilitar que a sociedade se torne protagonista do futuro da cidade, elaborando e atualizando, de forma contínua e participativa, planos, estudos, projetos e iniciativas decorrentes de tais propósitos.

    A entidade também compõe o Conselho Administrativo de Recursos Fiscais do Município (CARF-M). O Conselho é um órgão de segunda estância administrativa do Poder Municipal, para receber, analisar e julgar os recursos dos contribuintes de ações fiscais do município. É um órgão integrante da estrutura organizacional da Secretaria Municipal de Finanças e Tecnologia da Informação (SEMEF).

    Outra contribuição significativa neste ano foi a participação do SINDUSCON-AM no Comitê de Crise do Governo do Estado do Amazonas. O sindicato levantou propostas de soluções que visavam dar celeridade às obras em andamento e aos desafios que as empresas locais enfrentam durante a pandemia, tanto para a tramitação das suas licenças quanto para a questão financeira, a de obras paralisadas e a de empresas de fornecimento de insumo do setor.

    História

    Ao longo dessas quatro décadas, o sindicato contou com oito presidentes: Frank Souza – 2015 a 2022 (presidente atual); Eduardo Lopes – 2009 a 2015; Joaquim Auzier – 2003 a 2009; Pauderley Avelino – 1997 a 2003; José Nasser – 1991 a 1997; Murilo Rayol – 1985 a 1991; Élcio Assayag – 1982 a 1985; João Augusto Loureiro – 1979 a 1982.

    O presidente atual, Frank Souza ressalta que o fortalecimento do setor se deu graças ao empenho de todos os gestores que já passaram pelo SINDUSCON-AM.

    “Todas essas conquistas são resultadas de um trabalho que começou lá em junho de 1979. Por isso, temos muito a agradecer aos nossos colegas que presidiram essa instituição. Dois deles não estão mais entre nós, mas deixaram o seu legado para a história desta instituição. E, quando assumimos a presidência, nós tivemos o cuidado de respeitar a trajetória já construída” ressaltou o presidente.

    Desafios

    Em meio a uma crise econômica que afeta não somente o Amazonas, mas a nível global, o presidente pontua que o SINDUSCON-AM se prontifica em buscar soluções para o fortalecimento do setor. A entidade também está empenhada a colaborar para redução do déficit habitacional a nível estadual, que hoje registra um número de 200 mil moradias. 

    “Nossos desafios agora são estreitar o relacionamento com as instituições de financiamento, com o poder público e com os nossos parceiros; reduzir cada vez mais a burocracia; dar publicidade contínua ao setor da Construção Civil, e manter os associados bem informados sobre cada passo nosso. E enfatizo que a presidência do SINDUSCON-AM está sempre disposta a receber os empresários para conversar, tirar dúvidas e firmar parcerias”, pontuou Frank.

    *Com informações da assessoria 

    Leia mais:

    Apesar do otimismo, construção civil estima prejuízo de 20% neste ano

    Empresa de construção está em busca de parcerias em Manaus

    Setor da Construção Civil não parou no Amazonas mesmo com a Covid-19