Fonte: OpenWeather

    Pagamento


    Pagamento de até R$ 1.045 de abono do PIS começa nesta terça (30)

    Quem trabalhou com carteira assinada ou como funcionário público em 2019 tem direito ao benefício

    Para ter direito, é preciso preencher alguns requisitos, como ter recebido em média até dois salários mínimos por mês
    Para ter direito, é preciso preencher alguns requisitos, como ter recebido em média até dois salários mínimos por mês | Foto: Divulgação

    Começa nesta terça-feira (30) o pagamento de até R$ 1.045 de abono salarial do PIS/Pasep para quem trabalhou com carteira assinada ou como funcionário público em 2019. Por enquanto, recebem apenas alguns correntistas da Caixa ou do Banco do Brasil. Os demais trabalhadores receberão a partir de 16 de julho.

    Para ter direito, é preciso preencher alguns requisitos, como ter recebido em média até dois salários mínimos por mês. O valor pago é de até um salário mínimo (R$ 1.045) e varia de acordo com o tempo trabalhado. Se a pessoa trabalhou o ano todo, recebe um salário mínimo. Se trabalhou um mês, ganha proporcionalmente: 1/12 do mínimo.

    Abono antecipado para correntistas da Caixa e do BB

    Neste ano, o governo adiantou o pagamento do abono para alguns correntistas da Caixa e do Banco do Brasil. A Caixa é responsável por pagar o abono a empregados da iniciativa privada (PIS), enquanto o BB opera pagamentos a servidores públicos (Pasep).

    Devem receber o crédito automático em conta nesta terça-feira (30): Correntistas da Caixa com direito ao abono do PIS nascidos entre julho e dezembro Correntistas do BB com direito ao abono do Pasep e número de inscrição terminado entre 0 e 4.

    Quem não se encaixa em um desses casos, mesmo que tenha conta na Caixa ou no BB, terá que esperar a liberação do abono conforme o calendário a seguir.

    Calendário de pagamento para demais trabalhadores

    O calendário de saques para quem não foi beneficiado com a antecipação segue o mês de nascimento dos beneficiários do PIS (para funcionários de empresas privadas) e o número de inscrição no Pasep (servidores públicos):

    Calendário para empregado em empresa privada

    Nascidos em

    Recebem a partir de

    Recebem até

    Julho

    16/7/2020

    30/6/2021

    Agosto

    18/8/2020

    30/6/2021

    Setembro

    15/9/2020

    30/6/2021

    Outubro

    14/10/2020

    30/6/2021

    Novembro

    17/11/2020

    30/6/2021

    Dezembro

    15/12/2020

    30/6/2021

    Janeiro

    19/1/2021

    30/6/2021

    Fevereiro

    19/1/2021

    30/6/2021

    Março

    11/2/2021

    30/6/2021

    Abril

    11/2/2021

    30/6/2021

    Maio

    17/3/2021

    30/6/2021

    Junho

    17/3/2021

    30/6/2021

     

    Calendário para funcionário público

    Final da inscrição

    Recebem a partir de

    Recebem até

    0

    16/7/2020

    30/6/2021

    1

    18/8/2020

    30/6/2021

    2

    15/9/2020

    30/6/2021

    3

    14/10/2020

    30/6/2021

    4

    17/11/2020

    30/6/2021

    5

    19/1/2021

    30/6/2021

    6 e 7

    11/2/2021

    30/6/2021

    8 e 9

    17/3/2021

    30/6/2021


    Quem tem direito a sacar o abono?

    - Quem trabalhou com carteira assinada por pelo menos 30 dias em 2019 Ganhou, no máximo, dois salários mínimos por mês, em média.

    - Está inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos.

    - É preciso que a empresa onde trabalhava tenha informado os dados corretamente ao governo.

    Como saber se tenho direito?

    Para saber se tem direito ao abono salarial, é possível fazer a consulta das seguintes maneiras:

    PIS (trabalhador de empresa privada):

    No Aplicativo Caixa Trabalhador

    No site da caixa (www.caixa.gov.br/PIS), clique em "Consultar pagamento"

    Pelo telefone de atendimento da Caixa: 0800 726 0207

    Pasep (servidor público):

    Pelos telefones da central de atendimento do Banco do Brasil: 4004-0001 (capitais e regiões metropolitanas); 0800 729 0001 (demais cidades) e 0800 729 0088 (deficientes auditivos).

    Quanto é pago?

    O valor pago é de até um salário mínimo (R$ 1.045, em 2020) e varia de acordo com o tempo que a pessoa trabalhou. Se ela trabalhou o ano todo, recebe um salário mínimo. Se trabalhou um mês, ganha proporcionalmente: 1/12 do salário mínimo. Segundo o Ministério da Economia, os valores são arredondados para cima. Quem trabalhou por um mês, por exemplo, teria direito a R$ 87,08 de abono. Com o arredondamento, o trabalhador recebe R$ 88.

    Leia mais:

    Auxílio emergencial cai hoje na conta de 6,5 milhões de pessoas

    Dólar fecha no maior valor em um mês em dia de tensões externas

    Começa o pagamento do Saque Emergencial do FGTS! Veja se está lista

    *Com informações do site Uol