Fonte: OpenWeather

    Economia


    Saiba alguns segredos para adotar uma vida menos consumista

    Limitar o valor mensal a ser dedicado às compras, elaborar listas com os itens exatos do que é necessário comprar e avaliar a necessidade de adquirir algo são medidas importantes

    O confinamento social trouxe a impossibilidade de sair de casa para realizar atividades triviais
    O confinamento social trouxe a impossibilidade de sair de casa para realizar atividades triviais | Foto: Divulgação

    Até o dia 10 de junho, a pandemia provocada pelo novo coronavírus havia infectado mais de 7 milhões de pessoas e causado mais de 408 mil mortes em todo o mundo. Os impactos da Covid-19 sobre a saúde pública e os índices socioeconômicos em escala global tornam muito prematuras quaisquer tentativas de prever hábitos. Assim, processos produtivos vão se desenhar no mundo a partir do controle da pandemia.

    O confinamento social trouxe a impossibilidade de sair de casa para realizar atividades triviais e priorizar apenas as essenciais. Mediante a diminuição da renda média das famílias, também cresceram as discussões sobre a importância de planejamento financeiro para lidar com o novo contexto econômico.

    Alguns estudiosos dizem que o mundo pós-pandemia pode trazer a generalização do sofrimento mental, com base no aumento da ansiedade, da angústia e do medo. Por outro lado, há quem aponte que a pandemia pode ser um meio de redescobrir a importância da solidariedade, assim como a veracidade inegável da ideia de que todos coexistem e impactam a vida uns dos outros.

    Além de evidenciar a necessidade da existência de sistemas públicos de saúde, capazes de atender toda população, a pandemia levantou questões sobre o estilo de vida consumista sustentado por boa parte da humanidade até a chegada do novo coronavírus.

    Consumo consciente

    Essa pergunta já acompanhava um consumo mais consciencioso e ajudava a evitar compras desnecessárias, feitas por impulso. Muitas vezes, compra-se um item, não por necessidade, mas para preencher um vazio emocional ou impressionar outras pessoas sobre o seu status social.

    No confinamento social, essa questão surgiu de modo mais intenso, a cada vez que as pessoas precisaram sair de casa para adquirir alimentos, medicamentos e produtos de higiene.

    A percepção dos impactos ambientais decorrentes do consumo é fundamental para a adoção de hábitos mais saudáveis e responsáveis não só para si, mas também para a natureza na qual estamos inseridos. Em um contexto de crise econômica e diminuição da renda média, essa preocupação se torna obrigatória.

    Em itens como vestuários, acessórios e calçados, que costumam ser marcados por uma grande descartabilidade em um curto espaço de tempo, essa preocupação se faz ainda mais necessária, já que a indústria da moda é uma das que mais emitem gases e substâncias poluentes em sua cadeia produtiva.

    Reuso e troca

    O reuso de itens, a fim de não descartar aquele material no meio ambiente, também é uma saída criativa para reduzir o consumismo. Ao concluir que uma roupa não está mais sendo usada, verifique se existe algum brechó ou instituição que aceite trocas peças. 

    Outra iniciativa é reutilizar os materiais de objetos que não serão mais usados. O tecido que constitui uma blusa pode se transformar em uma bolsa que será usada para carregar as compras no mercado ou originar novos acessórios, como faixas de cabelo e até cachecóis.

    Orçamento limitado

    Se você é daqueles que se perde quando chega a fatura do cartão de crédito, pode ser importante substituí-lo por um de débito e, assim, ter um limite definido de quanto pode gastar em compras por mês.

    Definir um limite para os gastos, especialmente os  mais “supérfluos”, como roupas, sapatos, baladas e cosmética, é fundamental. Antes de sair para comprar, verifique o que você já tem em casa e anote o que precisa buscar em mercados ou lojas. 

    Sair com essa lista em mente ajuda a não ceder aos impulsos que surgem ao transitar pelas prateleiras de estabelecimentos ou pelas páginas de sites, se a compra for realizada virtualmente.

    *Com informações da assessoria 

    Leia mais:

    BNDES investe em fundo que apoia empresas de médio porte

    Inscrições para o Sisu começam nesta terça-feira (7)

    Caixa deposita saque emergencial do FGTS para nascidos em fevereiro