Fonte: OpenWeather

    Influenciadoras digitais


    Criadoras de conteúdo de Manaus se reinventam durante a pandemia

    Das dificuldades, criações únicas. Influenciadoras da moda à decoração dão um ‘show’ e buscam alternativas para se saírem bem durante a crise econômica gerada pela Covid-19

    | Foto: Divulgação

    Manaus - Nem mesmo as influenciadoras digitais se livraram dos efeitos causados pela pandemia do novo coronavírus. Como criadoras de conteúdo, boa parte delas têm parceria com lojas de vendas e serviços, por isso também foram impactadas pelo fechamento do comércio não essencial. Mas, se por um lado as dificuldades se mostraram altas, elas parecem ter se reinventado para escalar os problemas e chegar ao outro lado. De novos públicos a parcerias, veja como algumas influenciadoras de Manaus têm se mantido durante a crise mundial.

    Quem primeiro conta sua experiência é Nayá Costa, criadora de conteúdo sobre moda, decoração e cuidados pessoais. A jovem com o perfil @Nayacostt no Instagram hoje é reconhecida por esses 'títulos', mas até antes da pandemia as coisas eram um pouco diferentes.

    "Antes do estopim da pandemia, minha 'carreira' basicamente não existia. Costumava postar sobre cuidados com a pele, tutoriais de decoração e – principalmente – dicas de moda somente nos stories do Instagram", afirma a influenciadora.

    Atualmente Nayá está trabalhando na criação de uma linha de decoração própria (marca), junto de sua mãe
    Atualmente Nayá está trabalhando na criação de uma linha de decoração própria (marca), junto de sua mãe | Foto: Divulgação

    Ela conta que não arriscava fazer nenhuma publicação relacionada a qualquer um desses temas no seu feed do Insta, porque "não queria ser julgada" e tinha medo de ser taxada como "blogueirinha", em um sentido pejorativo.  

    "No início da pandemia, passei a postar mais conteúdo nos stories, fazendo semanalmente miniquadros sobre moda e cuidados com a pele (skincare). Com o tempo, vi que 15 segundos de vídeo me restringiam bastante e eu precisava de mais tempo para falar sobre aquelas coisas e meus seguidores também queriam ver mais", conta Nayá

    Com a questão em mente, a ideia não podia ter sido outra. Ela aproveitou o contexto da quarentena para criar '#QuarenTips, um quadro no IGTV (recurso do Instagram para postagem de vídeos na orientação vertical).

    "Nele, eu conversava e explicava um pouco do que sabia sobre três temas: decoração, skincare e moda. Não imaginava que ele me faria realmente entrar no mundo da criação de conteúdo, mas fez. Por conta do alto número de visualizações, comentários e compartilhamentos, tornei o quadro semanal. Agora, além do #QuarenTips, produzo outros conteúdos no IGTV, além de posts semanais no feed sobre esses temas, o que jamais pensei em fazer antes da pandemia", comenta a influenciadora.

    Postagens com divulgações de produtos feita por Nayá costa
    Postagens com divulgações de produtos feita por Nayá costa | Foto: Divulgação

    Nayá passou então a receber permutas e propostas de parcerias ligadas a área da moda. Ela ressalta que o trabalho aumentou. De simples posts, agora ela gerencia essas oportunidades e sempre procura ficar por dentro de tudo sobre a marca, inclusive quem a coordena.

    "Da primeira à mais recente parceria, tenho visto resultados positivos. Isso é no mínimo impressionante para mim, já que não tenho um número altíssimo de seguidores. Sempre obtenho retorno dos meus parceiros e dos meus seguidores também. Recebo fotos, mensagens e vídeos das pessoas comprando um produto que indiquei e falando que gostaram", comenta a influenciadora, feliz com esses acontecimentos.

    Novos nichos e parcerias

    Quem também viu seu trabalho como influenciadora mudar foi Suelen Costa (@rostodeneve no Instagram), criadora de conteúdo sobre beleza, cachos, decoração e arte. Ela, que é aprendiz de tatuadora, já tinha uma boa rotina antes da pandemia, mas a crise acabou trazendo novos rumos.

    "No início da quarentena, minha rotina ficou bem desregulada. Eu já tinha o costume de sair de casa praticamente todos os dias para produzir e visitar parceiros, então foi uma mudança bem drástica ficar em casa. Mas, no decorrer do primeiro mês, acabei me adaptando e descobrindo novos nichos que antes não tinha um tempo hábil para visualizar nas redes. Circunstâncias né"? Ressalta a blogueira.

    Suelen ama design e ainda sonha conseguir lançar uma coleção de roupas com estampas feitas por ela
    Suelen ama design e ainda sonha conseguir lançar uma coleção de roupas com estampas feitas por ela | Foto: Divulgação

    Suelen conta que percebeu um novo gosto por plantas e decoração durante a quarentena, o que a levou a produzir conteúdo também para quem consome material sobre isso.

    "O isolamento me fez prestar mais atenção no meu ambiente dentro de casa e acabei mergulhando nesse mundo, principalmente pelo Pinterest, uma plataforma de compartilhamento de ideias. A partir daí troquei de mesa e encomendei uma sob medida. Com isso acabei entrando ainda mais no nicho artístico. Também passei a entrar no mundo das plantas e estou amando", afirma a influenciadora.

    Suelen já acumula parcerias com grandes marcas, como a 99 POP, de transporte por aplicativo
    Suelen já acumula parcerias com grandes marcas, como a 99 POP, de transporte por aplicativo | Foto: Divulgação

    Por conseguir migrar entre diversos nichos, Suelen tem um bom leque de oportunidades. Ela tem parcerias nos ramos de beleza, autocuidado, restaurantes e até lojas de materiais artísticos. 

    "Felizmente vejo um bom retorno dos meus seguidores para com as parcerias que divulgo. Tenho uma base muito presente de gente que me acompanha graças a muitos anos consolidando minha marca e meu relacionamento com cada um deles", afirma Suelen.

    Das dificuldades aos sonhos

    Quem trabalha com criação de conteúdo pode ter a fadiga, o medo e a falta de criatividade como verdadeiras assombrações. Quem sentiu essa afirmação foi Amanda Monteiro, influenciadora de estilo, brechó e decoração. Mas, se as dificuldades surgiram durante a quarentena, ela deu um jeito de se sobressair.

    "Antes da pandemia, eu programava fotos e vídeos externos pelo menos duas vezes e produzia para o mês inteiro. Era comum eu ter mais ânimo em buscar coisas novas e incentivar as pessoas, mas quando chegou o isolamento social ficou bem mais difícil mudar a rotina e readaptar os posts", afirma Amanda.

    Quando pensa em sonhos futuros, Amanda pensa em fazer algo relacionado a brechós ou mesmo ter seu próprio programa de TV para falar sobre moda sustentável
    Quando pensa em sonhos futuros, Amanda pensa em fazer algo relacionado a brechós ou mesmo ter seu próprio programa de TV para falar sobre moda sustentável | Foto: Divulgação

    Ela lembra dos altos e baixos que sentiu ao precisar enfrentar bloqueios criativos e até mesmo falta de vontade para continuar com os projetos. A influenciadora diz ter até pensado em desistir da carreira, mas não deu voz a essas palavras. Depois de um tempo, ela conseguiu se reinventar e agora segue a todo vapor.

    Amanda conta que trabalha com permutas e postagens-propaganda financiadas por empresas. Segundo conta, geralmente as marcas a procuram com algo em mente ou produto que queiram divulgar e ela ajuda a moldar uma ideia que possa impulsionar a divulgação e que encante ao ser visto.

    Amanda acredita que sua forma de transformar publicação em conteúdo divertido a destaca enquanto influencer
    Amanda acredita que sua forma de transformar publicação em conteúdo divertido a destaca enquanto influencer | Foto: Divulgação

    "Quanto mais o publipost tem a ver com o meu nicho, mais o retorno é certeiro. Depois da publicação feita, organizo o alcance dos resultados e apresento para o cliente. Meus seguidores sempre foram ativos nas postagens e muitos ficam felizes quando veem alguma loja específica anunciando. Acredito que também a questão de fazer que uma publicidade vire um conteúdo de alguma forma é um diferencial meu que faz com que eles aceitem tão bem", afirma a influenciadora.

    Para fechar a entrevista, ela ainda ressalta dicas para quem está pensando em começar no mundo das criadoras de conteúdo. Segundo Amanda, o primeiro passo é acreditar no seu potencial.

    "Parece clichê, mas muitas pessoas desistem de trabalhar na área por medo de ser chamada de 'blogueirinha' ou ter poucos números. Entendendo qual o seu propósito, planejando seu conteúdo e fazendo (independente de qual é seu celular ou câmera) você consegue ir conquistando espaço", aconselha a profissional.

    Leia Mais

    ‘Profissão influenciador’ fatura R$ 40 mil com postagens no Instagram

    'Bazar das Manas' acontece neste domingo (20) no shopping Sumaúma