Fonte: OpenWeather

    SEGUNDO SEMESTRE


    Produção de aparelhos de ar condicionado vai cair 50% em Manaus

    Produção de 2020 que começou muito bem no primeiro trimestre, recuou 55,6% de janeiro a maio por conta da pandemia

    Enquanto no primeiro trimestre a produção cresceu 93.3%, de janeiro a maio o crescimento foi de apenas 37,7% | Foto: Divulgação

    Manaus - A produção de aparelhos de ar condicionado pode sofrer uma queda de até 50% no segundo semestre deste ano. Segundo indicadores da Associação Nacional dos Fabricantes Produtos Eletroeletrônicos (Eletros), no primeiro trimestre de 2020, a produção cresceu 93,3%, no comparativo com o mesmo período de 2019. Contudo, com os efeitos dos efeitos da crise sanitária do novo coronavírus, em abril e maio, os cinco primeiros meses do ano registraram um crescimento bem menor de apenas 37,7%, em uma tendência de queda.

    O grande crescimento que o setor vinha apresentando no primeiro trimestre de 2020 sofreu interferência da crise sanitária
    O grande crescimento que o setor vinha apresentando no primeiro trimestre de 2020 sofreu interferência da crise sanitária | Foto: Marcely Gomes/Arquivo

    Apesar do bom desempenho do segmento no Polo Industrial de Manaus (PIM), os números começaram a recuar a partir de abril e maio, em consequência das paralisações das fabricas, em decorrência da pandemia. No primeiro trimestre de 2020, as empresas entregaram 1.405.784 unidades, entre os modelos split e janela, enquanto no mesmo período de 2019, foram produzidas 727 mil unidades. Já, de janeiro a maio de 2020, o segmento produziu 1.752.492 unidades, enquanto no mesmo período de 2019 foram fabricadas 1.272.587 unidades, um recuo de 55,6% diante do resultado do primeiro trimestre do ano.

    De acordo com o presidente da Eletros, José Jorge do Nascimento Junior, as expectativas para o segundo semestre não são positivas e acompanharão os resultados demonstrados. Ele acredita que o setor continuará em queda, ainda sofrendo as consequências da crise da Covid-19. “Creio que os números ainda irão cair e, comparando com o segundo semestre de 2019, essa queda se apresentará na ordem de até 50%”, avalia.

    Mesmo assim, as vendas de aparelhos de ar condicionado continuam boas no Amazonas, segundo Périco
    Mesmo assim, as vendas de aparelhos de ar condicionado continuam boas no Amazonas, segundo Périco | Foto: Arquivo EM TEMPO

    O presidente do Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam), Wilson Périco, disse que apesar da diminuição nos números, por conta da paralisação da produção no período mais crítico da pandemia, as vendas de aparelhos de ar condicionado continuam com bons resultados em Manaus. Ele lembrou que entre os motivos da queda da produção foi a falta de componentes causada pela paralisação da produção de insumos na China - primeiro epicentro da Covid-19 -, principal fornecer da Zona Franca de Manaus (ZFM).

    “Quando a pandemia se agravou na China, as fábricas de lá pararam e isso causou um desabastecimento também no Polo Industrial de Manaus. Os aparelhos de ar condicionado foram um dos itens que tiveram sua produção afetada por essa falta de componentes. Mesmo com a tendência, as vendas estão conseguindo se manter no Estado”, explica Périco.

    Ainda segundo Périco, comparando os tipos de mercadorias, os aparelhos de ar condicionado janela foram menos atingidos pela queda na produção, uma vez que dependem menos de insumos importados. Enquanto o slit system chegou em maio de 2020 com uma queda de 62% na comparação com o mesmo período do ano anterior, a produção do tipo janela apresentou uma diminuição de apenas 7%.

    Os aparelhos de ar condicionado janela foram menos atingidos pela queda na produção
    Os aparelhos de ar condicionado janela foram menos atingidos pela queda na produção | Foto: Erico Xavier/Arquivo

    Otimismo

    Diferente do sentimento do mercado, otimista, a Samsung disse por meio da sua assessoria que o segundo semestre pode ser um período melhor de produção para a segmento. “Não divulgamos números de mercado, nem antecipamos quais modelos serão lançados nos próximos meses, mas estamos otimistas com a produção de aparelhos de ar condicionado para o próximo semestre”, afirmou.

    Segundo a assessoria, com a chegada da alta temporada de verão e com as adaptações do segmento para atender mais demandas online, o mercado poderá ser acelerado. “Essa atenção maior com as vendas virtuais foi um dos desafios encarados pelo setor e traz novas e interessantes perspectivas”, explica.

    Veja mais:

    Novo surto da Covid-19 na China preocupa a indústria do Amazonas

    Indústria do amazonense abre o segundo semestre com otimismo

    Indústria e comércio amazonense apresentam crescimento em maio