Fonte: OpenWeather

    PRODUÇÃO DE GRÃOS


    Produção de soja, arroz e milho avança no município de Humaitá

    Somente a produção de soja em Humaitá, que começou em 2017, com 500 hectares, hoje conta com 2 mil hectares

    Diretor-presidente do Idam, diz que governo tem apoiado com assistência técnica do Sistema Sepror | Foto: Arquivo Em Tempo/Janailton Falcão

    Manaus - A região sul do Amazonas tem se destacado no potencial para produção de grãos como a soja, o arroz e o milho. No município de Humaitá (a 590 quilômetros de Manaus), a fronteira agrícola vem se expandindo e a área plantada para produção de grãos aumenta a cada ano. A unidade local do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam) tem acompanhado o desenvolvimento da atividade e estima para este ano um plantio de 3 mil hectares de soja, 2,1 mil hectares de arroz e 400 hectares de milho.

    Para a Safra 2019/2020, está prevista a colheita de 6 toneladas de soja em Humaitá
    Para a Safra 2019/2020, está prevista a colheita de 6 toneladas de soja em Humaitá | Foto: Arquivo Em Tempo/Janailton Falcão

    Na avaliação do diretor-presidente do Idam, Valdenor Cardoso, em termos de potencialidades no sul e sudeste do Amazonas, tendo como ponto de referência o município de Humaitá, o futuro já chegou. “Temos a disponibilidade de área para plantio de grãos – como arroz, milho, soja – em algo além de 200 mil hectares de áreas disponíveis para o plantio de grãos. Naturalmente com os cuidados necessários que se deve ter com a cultura de grãos”, pontuou.

    Segundo o presidente, a dinâmica econômica na região de Humaitá já é outra. “O Governo do Estado está apoiando os empresários daquela região através da assistência técnica, por meio do Sistema Sepror e suas vinculadas Idam, Adaf (Agência de Defesa Agropecuária e Florestal) e ADS (Agência de Desenvolvimento Sustentável)”, disse.

    De acordo com a gerente local do Idam e engenheira agrônoma, Gisely Melo, a cultura da soja iniciou no município de Humaitá no ano de 2017, por meio do produtor rural, Guilherme Foleto, que plantou 500 hectares do grão, obtendo uma produtividade de 1,3 toneladas. Na última safra 2019/2020, o plantio aumentou para 2 mil hectares, com uma produtividade de cerca de 6 toneladas.

    Ainda neste ano, na safra 2020/2021, o produtor pretende plantar mais 2,2 mil hectares do grão. A produção obtida é comercializada para uma empresa no estado de Rondônia, e de lá, exportada para outros países, segundo informou Gisely. Somado ao plantio dos demais produtores de soja do município, o estimado para 2020 é uma área plantada de 3 mil hectares de soja.

    Arroz

    A cultura do arroz é outra atividade que tem avançado no município. Segundo Melo, até o ano de 2019 a produção de arroz estava parada quase que completamente, porém, neste mesmo ano foi reiniciado o plantio com 1,6 mil hectares do grão.

    “Em janeiro deste ano, foram plantados mais 1,5 mil hectares de arroz, e essa produção já está sendo colhida no município. Em outubro, serão plantados mais 600 hectares, totalizando uma área plantada de 2,1 mil hectares em 2020”, explicou.

    Agricultura familiar

    A cultura do milho, com o apoio do Governo do Estado, sempre seguiu o plantio em pequena escala para agricultores familiares, que plantam no máximo um hectare. De acordo com Gisely, nos dois últimos anos alguns produtores começaram a plantar áreas maiores com a cultura do milho. Em 2019, foram plantados 75 hectares, com uma produção de 250 toneladas de milho.

    “Neste ano, a agricultura familiar ainda vai realizar o plantio com as sementes que foram distribuídas pelo Governo do Estado, por meio da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A previsão é um plantio de 100 hectares e uma produção de 300 toneladas”, disse a gerente.

    A agricultora familiar Maria do Carmo Azevedo, da comunidade Paraisinho, em Humaitá, planta milho verde (para grão e espiga). Com o incentivo do Governo do Amazonas, por meio da distribuição de sementes e assistência técnica do Idam, a agricultora afirma que está conseguindo produzir mais.

    Em 2019, Maria do Carmo plantou 0,5 hectare e obteve uma produção de 1,2 mil espigas. A comercialização dos produtos é feita nas feiras da cidade e a atividade é fonte de renda para a agricultora. “Na agricultura familiar a gente planta de tudo um pouco, e quando é a colheita do milho, isso contribui muito com a renda da minha família”, disse.

    Porto graneleiro

    Atualmente, o município possui um porto graneleiro, administrado pelo Grupo Masutti, que movimenta o agronegócio local e atrai diversas empresas para o município, devido à facilidade de escoamento da produção e aos preços menores de frete, contribuindo assim para a geração de emprego e renda da população.

    Localizado no Distrito Industrial de Humaitá, à margem do rio Madeira, o porto é responsável por receber a produção, fazer a armazenagem dos grãos e escoar a produção para o agronegócio nacional e internacional. O Grupo Masutti em Humaitá conta atualmente com 40 colaboradores, que atuam no setor fluvial e no terminal de transbordo. Além disso, o porto gera demanda de consumo de produtos no comércio local.


    *Com informação da assessoria