Fonte: OpenWeather

    Combustível


    Órgãos de defesa flagram irregularidades em postos de combustível

    Em Coari e Codajás o Procom e a Aleam fiscalizaram dois postos que vendiam combustíveis com preço abusivos, eles tem 15 dias para defesa

    Foram flagradas Irregularidades em postos de combustível nos municípios de Coari e Codajás, localizados a 362 e 234 quilômetros de Manaus
    Foram flagradas Irregularidades em postos de combustível nos municípios de Coari e Codajás, localizados a 362 e 234 quilômetros de Manaus | Foto: Mauro Smith

    Coari e Codajás- Foram flagradas Irregularidades em postos de combustível nos municípios de Coari e Codajás, localizados a 362 e 234 quilômetros de Manaus. Em três dias de fiscalização, os órgãos de defesa do consumidor vistoriaram oito estabelecimentos e, durante o teste de vazão, constataram que dois postos operavam fora dos padrões. Os estabelecimentos foram autuados e terão prazo de 15 dias para defesa.

    As fiscalizações, que tiveram início na última terça-feira (28) e foram concluídas na manhã desta quinta-feira (30), percorreram os municípios de Codajás, Coari, Uarini (a 564km de Manaus), Tefé (a 522km de Manaus) e Alvarães (a 530km da capital). 

    Segundo informações das equipes de fiscalização, a maior irregularidade foi constatada na cidade de Coari, na qual um posto de combustível apresentou “divergência em desfavor ao consumidor de mais de 200ml a cada 20 litros de volume abastecido, contrariando o que determina a resolução da Agência Nacional de Petróleo (ANP) sobre a quantidade máxima de variação, que seria de 60ml”. 

    *Outros serviços*

    Além dos postos de combustível, as equipes da CDC/Aleam e do Procon-AM também fiscalizaram agências e correspondentes bancários do Bradesco nos municípios de Uarini, Tefé e Codajás, esta última, inclusive, recebeu um auto de constatação por não disponibilizar senhas com identificação de horário ao consumidor. Em Uarini, o posto correspondente do Bradesco recebeu um auto de nada consta pelo devido ao cumprimento da legislação consumerista. 

    Ainda na cidade de Tefé, as equipes atenderam a uma denúncia em um posto de revenda de gás de cozinha onde uma botija de 13kg do gás de cozinha estava sendo vendida por R$ 85 reais.

    *Com informações da assessoria

    Leia mais: 

    Amazonas é líder no uso do gás natural para geração de energia

    Tarifas da Cigás para indústria e comércio entre as menores do País

    Agência bancária e postos de combustível são autuados em fiscalização