Fonte: OpenWeather

    SAFRA 2019/2020


    Colheita de soja no sul Amazonas dobra e chega a 6 mil toneladas

    Estima-se que o desenvolvimento da atividade da soja em Humaitá, para este ano, terá um plantio de 3 mil hectares

    Fazenda Santa Rita, em Humaitá, segue com a produção em expansão desde 2017 | Foto: Arquivo Em Tempo/Janailton Falcão

    Manaus - A partir de 2017 o Amazonas começou a experimentar pela iniciativa privada, nos campos de Humaitá (a 590 km de Manaus), o cultivo da soja. A primeira colheita foi feita com sucesso no ano seguinte e agora, contando com 2 mil hectares, a colheita feita na última safra 2019/2020 chegou a 6 mil toneladas, dobrando praticamente o valor inicial, de 3,4 a 3,6 mil toneladas. Além disso, por conta do solo de qualidade nos campos abertos do sul do Amazonas, novos produtores estão surgindo na região para cultivar outros grãos, como arroz e milho.

    Na primeira colheita de soja, a expectativa por tonelada era de 3,4 a 3,6 mil toneladas, por hectare, superando a média nacional de 3,1 toneladas na safra. Valor que, para a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), foi considerado ótimo, levando em conta que a área plantada estava em processo de correção. Agora, a colheita praticamente dobrou. Chegando a 6 mil toneladas, de acordo com o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam).

    Agora, a colheita praticamente dobrou, chegando a 6 mil toneladas, de acordo com o Idam
    Agora, a colheita praticamente dobrou, chegando a 6 mil toneladas, de acordo com o Idam | Foto: Arquivo Em Tempo/Janailton Falcão

    Segundo o Idam, três anos após o início do cultivo no Estado, a experiência segue positiva. A família Foleto, proprietária da Fazenda Santa Rita – pioneira no plantio de soja na região – só tem aumentado sua produção. “No início eram 500 hectares. Na última safra essa área plantada aumentou para 2 mil hectares, com colheita de 6 mil toneladas e, consequentemente, um aumento na receita. Hoje, a saca de 50 quilos está sendo vendida por R$ 70”, explica o diretor-presidente do Idam, Valdenor Cardoso.

    A soja produzida no Amazonas hoje em dia, em sua totalidade, continua sendo destinada para o estado de Rondônia e de lá está sendo exportada para outros países. Anteriormente, no processo, os grãos produzidos na fazenda do produtor Jocelito Foleto estavam sendo transportados para pesagem no porto graneleiro de Porto Velho (RO), e armazenagem e transporte em Vilhena (RO), no porto graneleiro do grupo Masutti, localizado na cidade de Candeias do Jamari, em Rondônia.

    A soja produzida no Amazonas hoje em dia, em sua totalidade, continua sendo destinada para o estado de Rondônia
    A soja produzida no Amazonas hoje em dia, em sua totalidade, continua sendo destinada para o estado de Rondônia | Foto: Arquivo EM TEMPO

    Valdenor Cardoso relata ainda que, além da soja, outros grãos estão sendo produzidos na região atualmente. “Esses novos produtores chegaram aqui para trabalhar com a soja, contudo estão inicialmente trabalhando com cultivo de arroz e milho. Depois os investimentos serão destinados para a soja e acreditamos que em 2020/2021 essa já será uma realidade, bem como um plantio bem maior de arroz e milho”, explica o diretor-presidente do Idam.

    Expansão por hectare

    Acompanhando o desenvolvimento da atividade da soja e dos outros grãos em Humaitá, estima-se que, para este ano, haverá um plantio de 3 mil hectares de soja, 2,1 mil hectares de arroz e 400 hectares de milho. Na avaliação de Valdenor Cardoso, em termos de potencialidades no sul e sudeste do Amazonas, tendo como ponto de referência o município de Humaitá, o futuro já chegou.

    Para 2020, haverá 2,1 mil hectares de arroz
    Para 2020, haverá 2,1 mil hectares de arroz | Foto: Arquivo EM TEMPO

    “Temos a disponibilidade de área para plantio de grãos como arroz, milho e soja, em algo além de 200 mil hectares de áreas disponíveis para o plantio de grãos. Naturalmente, com os cuidados necessários que se deve ter com a cultura de grãos”, pontua Cardoso.

    Além disso, o presidente deixa claro que a dinâmica econômica na região de Humaitá já é outra. “O Governo do Estado está apoiando os empresários da região através da assistência técnica, por meio do Sistema Sepror e suas vinculadas Idam, Adaf (Agência de Defesa Agropecuária e Florestal) e ADS (Agência de Desenvolvimento Sustentável)”, afirma.

    Para 2020, haverá 400 hectares de milho
    Para 2020, haverá 400 hectares de milho | Foto: Reprodução

    Ainda neste ano, na safra 2020/2021, o produtor Jocelito Foleto pretende plantar mais 2,2 mil hectares da soja, que já entrou no Mapa da Soja do Brasil. Somado ao plantio dos demais produtores de soja do município, o estimado para 2020 é uma área plantada de 3 mil hectares de soja.

    Veja mais:

    Produção de soja, arroz e milho avança no município de Humaitá

    Sul do Amazonas é alvo de desmatamento e garimpo

    Cresce produção de arroz no Amazonas