Fonte: OpenWeather

    Turismo


    Procura de amazonenses por pacotes de viagem aumenta até 40%

    Mesmo com a melhora no cenário, muitos consumidores ainda não estão completamente confiantes na compra de viagens

    | Foto: divulgação

    Manaus – Agências de viagem e turismo afirmam que a procura por pacotes e passeios aumentou em 30% no Amazonas de junho para julho. Contudo, as dificuldades ainda são uma realidade para um dos setores mais atingidos pela pandemia da Covid-19, inclusive o fato de os consumidores ainda não estarem tão confiantes, nem em condições de viajar. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), desde 2019 já se observa que não ter dinheiro foi o motivo para 42,5% de amazonenses não viajarem.

    No estado, em 380 mil domicílios (42,5% do total de residências) em que ninguém viajou, a falta de dinheiro foi o principal motivo. Das 235 mil viagens realizadas pelos moradores dos domicílios do Amazonas, 191 mil viagens (81,3%) foram por motivo pessoal e 44 mil (18,7%) por motivo profissional. A Pnad Contínua Turismo, pesquisa feita pelo IBGE, revela também que 98,7% (232 mil) das viagens analisadas no estado foram nacionais e 1,3% (três mil) foram internacionais.

    Para o gerente da Discovery Viagens, Victor Ferreira, e alguns de seus colegas também agentes de viagens, a percepção é que o mercado voltou em média 30% a 40% do que vendia anteriormente. Segundo ele, o público está comprando alguns pacotes para destinos como Fortaleza, Rio de Janeiro e Gramado.

    "Muitas agências voltaram os olhos para o mercado interno", explica Victor
    "Muitas agências voltaram os olhos para o mercado interno", explica Victor | Foto: Divulgação

    “Essas vendas estão começando a aquecer o mercado, mas ainda não estamos de volta à normalidade. Por isso, inclusive, muitas agências aqui de Manaus, que não vendiam hotéis de selva e passeios locais, voltaram os olhos para o mercado interno e estão divulgando mais essas viagens aqui no Amazonas”, evidencia Victor.

    Dono da Realtur, Alexandre Teixeira, diz que muitos manauaras e turistas estão voltando a procurar pelos serviços oferecidos pelas agências, contudo, os valores nos pacotes também passaram por um reajuste e sofreram um aumento em seus preços. “Como estávamos parados, a redução de clientes fez com que o valor dos pacotes aumentasse. Mesmo assim, ainda estou observando uma procura em torno dos 70%”, alega.

    De acordo com o proprietário da Rogertur, Ilson Rogério, em relação aos passeios regionais, como o Ecológico, para Presidente Figueiredo e para os Hotéis de Selva, a procura aumentou 30% nos últimos dois meses. “No turismo regional estamos somente com 50% da capacidade, porque a retomada ainda está ocorrendo de forma gradativa. É um novo cenário que requer cautela, pois o coronavírus ainda não acabou”, relata.

    Ilson também alerta para a preocupação com os pacotes nacionais, que muitos clientes estão deixando paro o ano que vem. “É compreensível, pois esses consumidores ainda estão aguardando diminuir o índice de contaminação da Covid-19. Acredito que os viajantes só terão real confiança em voltar a viajar depois da vacina”, salienta.

    Turismo de recepção

    Segundo a previsão dada pela secretária de Turismo Roselene Medeiros, setembro será o mês em que o Turismo do Estado do Amazonas deverá voltar a receber turistas, após a pandemia da Covid-19. “A partir de setembro vamos voltar a receber o turista, porque esse é o período que se inicia a temporada de pesca esportiva”, disse.

    Secretária de Turismo Roselene Medeiros
    Secretária de Turismo Roselene Medeiros | Foto: Divulgação

    Para lidar com as perdas, o Governo do Amazonas lançou o Plano de Retomada da Atividade Turística – Amazone-se, que reúne projetos e programas, visando impulsionar o crescimento do segmento. De acordo com a secretária, o plano está dividido em três pilares: promoção do marketing (que contemplará uma campanha nas redes sociais prevista para agosto), o ordenamento (capacitação do trade local e ajuda na busca de informações sobre financiamentos para os empresários) e a infraestrutura (serviço de manutenção de alguns pontos turísticos).

    “Um dos objetivos desse plano é convidar o turista a conhecer o Amazonas, e esse convite, vale destacar, é feito com base em protocolos de segurança que estão sendo elaborados pelos órgãos competentes”, destacou Roselene. Além disso, ainda segundo ela, o Amazone-se também incentivará a população a viajar entre os municípios do Estado como forma de estimular a economia no interior.

    Veja mais:

    Agências de turismo do Amazonas seguem acumulando prejuízos

    Amazonenses ainda com medo de comprar pacotes de férias para 2020

    Vídeo: Igreja de São Sebastião é ponto turístico no centro de Manaus