Venda de usados


Venda de carros usados cresce durante a pandemia em Manaus

Setor afirma que muitos consumidores optaram pelos usados por estarem passando por dificuldades financeiras

Sincodiv-AM afirma que os usados passaram por um período de valorização durante a pandemia | Foto: Lucas Silva

Manaus – No mês de junho, o comércio de automóveis apresentou um desempenho de vendas que superou o crescimento do comércio normal (35,5%) no Amazonas, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo o setor, as vendas de carros usados cresceram durante o período da pandemia, pois muitos consumidores passaram a ter dificuldades financeiras.

De acordo com a pesquisa, Comércio Ampliado é o comércio normal mais a comercialização de automóveis, peças e material de construção. Em junho, o volume de vendas do comércio varejista ampliado amazonense foi de 38,7%, frente a maio na série com ajuste sazonal. O desempenho desse indicador, mostra que automóveis e material de construção tiveram bons resultados de vendas em junho, conseguindo superar o comércio normal.

Com dificuldade de acesso ao crédito, muitos consumidores fecharam negócio fora das concessionárias
Com dificuldade de acesso ao crédito, muitos consumidores fecharam negócio fora das concessionárias | Foto: Lucas Silva

Segundo o presidente do Sindicato dos Veículos Automotores do Estado do Amazonas (Sincodiv-AM), João dos Santos Braga Neto, os carros usados passaram por um período de valorização durante a pandemia, porque os consumidores acabaram perdendo o poder de compra. “Uma pessoa que estava pensando em comprar um novo, por mais que quisesse, ficou um pouco fora de sua realidade e preferiu um usado”, comenta.

A jornalista Islânia Lima foi uma das que resolveu trocar seu carro durante a pandemia. Ela conta que conseguiu comprar o veículo com uma vizinha, que estava precisando do dinheiro para pagar suas contas do mês e resolveu fazer a venda. “Ela e o esposo estavam desempregados e tinham dois carros, como eu estava querendo comprar e já tinha um dinheiro guardado, aproveitei a chance”, conta.

Na opinião de Islânia o veículo usado valia 15 mil reais, mas foi vendido por 8 mil. “No momento eu não conseguiria comprar um carro novo, então a melhor opção foi buscar por um usado. Acredito que muitos outros amazonenses passaram pela mesma situação, estavam prontos para comprar um veículo novo, mas foram surpreendidos pela crise economia gerada pela pandemia”, relata.

Dificuldades com o crédito bancário

Para o presidente do Sincodiv-AM, muitos consumidores fizeram a troca de seus carros fora das concessionárias, porque o financiamento bancário continua sendo um empecilho em muitas situações. “Os juros estão baixos, porém o nível de aprovação de cadastro ainda está muito baixo. Principalmente quando falamos da capacidade de pagamento desses clientes e os Bancos estão ficando cada vez mais criteriosos”, esclarece.

Ainda segundo João dos Santos Braga Neto, a dependência do crédito para que a venda seja feita continua sendo uma realidade. “A venda em si depende disso, então se o crédito está sendo aprovado mais rapidamente, fatalmente vendemos mais também. Em relação aos carros usados, ainda não temos um percentual, mas o crescimento realmente ocorreu”, ressalta.

Mercado de usados e zero está aquecido desde a volta das atividades comerciais em Manaus
Mercado de usados e zero está aquecido desde a volta das atividades comerciais em Manaus | Foto: Lucas Silva

De acordo com o gerente geral da Via Marconi, Amarildo Pontes, o mercado de venda de automóveis está aquecido no geral desde a volta do comércio em Manaus. “Observamos um aumentos nas vendas, inclusive, dos usados também, comparando com o primeiro bimestre de 2020. Contudo, ainda estamos no negativo em relação ao mesmo período de 2019”, salienta.

Para Amarildo, a venda dos carros novos traz a tranquilidade da garantia pelo fabricante, além de contar com juros mais baratos. Contudo, a venda do usado acaba chamando mais atenção dos consumidores que estão com pouco dinheiro para financiar um novo veículo, pois – além de estarem mais bem avaliados nesse momento - a garantia do automóvel é feita pela concessionária por três meses.

A volta das concessionárias em Manaus

As concessionárias de carro abriram as portas no dia 1º de junho, no primeiro ciclo da retomada das atividades econômicas em Manaus. Gerentes afirmaram que, durante os piores meses da paralisação, as perdas no faturamento chegaram a aproximadamente 70%. Com a retomada, a expectativa foi positiva e continua assim.

Durante os piores meses da crise ocasionada pela pandemia, segundo dados da Fenabrave, as concessionárias do país registraram uma queda média de 76% em abril e de 75% em maio deste ano, quando comparado com os mesmos períodos do ano passado. No Amazonas, os números de veículos comercializados foram inferiores ao do ano passado, com recuo de 55,61% em relação a maio de 2019, quando foram vendidos 4.918 automóveis.

Veja mais:

Após perdas de até 70%, concessionárias de Manaus retomam otimistas

Pelo segundo consecutivo mês volume de serviços cresce no Amazonas

Amazonas é destaque em recuperação nos setores de serviços