CONTA DE LUZ CARA


Mais uma vez, aumento na conta de energia chama atenção em Manaus

Consumidores relatam à Comissão de Defesa do Consumidor da Aleam, acréscimos de até R$ 1,2 mil em suas contas

Contas ficam mais caras no Amazonas e consumidores denunciam cobranças indevidas
Contas ficam mais caras no Amazonas e consumidores denunciam cobranças indevidas | Foto: divulgação

Manaus - Em meio a anúncios de encarecimento da conta de luz para o Amazonas, consumidores também estão denunciando cobranças indevidas da companhia Amazonas Energia. O deputado estadual e presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (CDC/Aleam), João Luiz, chamou atenção, nesta terça-feira (1º), para os erros de cobrança em contas da Amazonas Energia.

Diversos consumidores, após conferir as taxas cobradas, notaram que o valor a ser pago era diferente da somatória total, apresentando acréscimos de até R$ 1,2 mil. João Luiz teve acesso à informação durante reunião com empresários e comerciantes de Manaus. Ele relatou que, por vários meses, esses consumidores acabaram pagando um valor a mais nas contas de energia. “Agora, imaginem o lucro da empresa diante de um acréscimo na conta de milhares de amazonenses? A concessionária deve rever essa cobrança”, afirmou o deputado.

João Luiz teve acesso à informação durante reunião com empresários e comerciantes de Manaus
João Luiz teve acesso à informação durante reunião com empresários e comerciantes de Manaus | Foto: Divulgação

Vale observar que, há menos de um mês atrás, em reportagem do EM TEMPO, consumidores relataram um aumento de até 47% em suas contas de energia, sendo essa porcentagem equivalente a uma alta de cerca de R$300, na virada de julho para agosto. A contradição ocorreu uma vez que os entrevistados apontaram que não estavam mais de home office, portanto, estavam gastando menos energia em suas casas.

De acordo com o advogado Sidney Nunes, por exemplo, até o mês de junho, ele estava pagando, em média, R$ 500 de consumo de energia. A partir de julho, no entanto, passou a observar um encarecimento de R$ 300 em sua conta, o que fez o valor a ser pago chegar a R$ 800. Isso tudo sem estar consumindo mais.

Baixa e alta tensão

Além disso, os erros e aumentos não são os únicos que problemas que afetam e ainda podem afetar os consumidores, um aumento de mais de 8% na tarifa de energia da Amazonas Energia também está sendo proposto pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). De acordo com a proposta, o valor do reajuste para baixa tensão é de 8,32%. O reajuste para alta tensão (indústrias), se aprovado, será de 8,90%. Já o feito médio para o consumidor é de 8,50%.

Os erros e aumentos não são os únicos que problemas que afetam e ainda podem afetar os consumidores
Os erros e aumentos não são os únicos que problemas que afetam e ainda podem afetar os consumidores | Foto: Divulgação

Segundo a empresa, os índices propostos foram calculados a partir dos impactados causados pelos custos da atividade de distribuição, avaliação da base de remuneração da concessionária, além de gastos com transmissão de energia elétrica em razão do reajuste da Tarifa de Uso dos Sistemas de Transmissão (TUST) e os custos com compra de energia.

O diretor-presidente da Amazonas, Tarcísio Rosa, disse que o reajuste é necessário em razão de obras realizadas pela concessionária nos últimos anos. "A revisão tarifária é importante para todas as distribuidoras do Brasil. Não poderia ser diferente para a Amazonas Energia. No nosso caso, com uma peculiaridade: a última revisão realizada foi em 2013. São, portanto, sete anos e muita coisa foi feita de lá para cá", disse.

Contudo, na avaliação do deputado João Luiz, essa compensação das perdas - em razão da pandemia - não pode ser paga pelo consumidor adimplente, que cumpre com suas responsabilidades mês a mês. Para ele, é necessário que a concessionária busque alternativas para compensar as perdas e encontrar um custo de energia adequado.

Deputado estadual e presidente da Comissão de Defesa do Consumidor (CDC/Aleam), João Luiz (Republicanos)
Deputado estadual e presidente da Comissão de Defesa do Consumidor (CDC/Aleam), João Luiz (Republicanos) | Foto: Mauro Smith

Por isso, o deputado convocou a população amazonense a participar da consulta pública realizada pela Aneel, que ficará no ar até o dia 9 de outubro no site da Agência. Segundo ele, a população deve fazer sua parte enviando por e-mail [email protected], informações que contribuam para barrar o reajuste médio de 8,5% nas contas de energia. “O assunto merece atenção de toda sociedade amazonense para ser discutido. Precisamos atentar para o momento econômico, o qual não nos permite pensar em um reajuste na tarifa de energia elétrica”, afirmou o presidente da CDC/Aleam.

A Amazonas Energia foi procurada pelo EM TEMPO, desde a reportagem anterior, para se posicionar sobre as reclamações feitas pelos consumidores de Manaus, mas até a publicação desta matéria a assessoria da companhia não deu nenhum retorno sobre a situação.

Veja mais:

Conta de energia fica até 47% mais cara para o consumidor de Manaus

Conta de energia deve subir mais de 8% no Amazonas

Apagão deixa parte de Manaus às escuras