BR-319


No AM, reconstrução da BR-319 pode melhorar a economia da região

Com a revitalização da rodovia, comerciantes dos munícipios próximos preveem crescimento nas vendas e no turismo

A rodovia Manaus-Porto Velho foi inaugurada em 1976, porém, foi fechada doze anos depois | Foto: Divulgação/Dnit

A rodovia Manaus-Porto Velho foi inaugurada em 1976, porém, foi fechada doze anos depois
A rodovia Manaus-Porto Velho foi inaugurada em 1976, porém, foi fechada doze anos depois | Foto: Divulgação/Dnit

Manaus – Os tramites para a reconstrução da BR-319, rodovia Manaus-Porto Velho, seguem a todo vapor com o início das obras em setembro. O trecho lote C (Charlie), que abrange o Km 198 ao Km 250, deve ter a pavimentação finalizada até 2022. Além de integrar as duas cidades, o trecho dá acesso a municípios como Humaitá, Manicoré e Lábrea. Com essa acessibilidade e o aumento previsto no tráfego, comerciantes acreditam que a obra irá alavancar a economia às margens da BR.

A cidade de Humaitá, a 591 quilômetros de Manaus, por exemplo, possui pouco mais 56 mil habitantes e será uma das beneficiadas com a reconstrução da BR-319. Com a movimentação, o microempreendedor, Keone Prestes, prevê melhorias nas vendas. Prestes nasceu em Humaitá, mas há quatro anos decidiu abrir o seu próprio negócio. “Tenho uma grande expectativa em relação a essa construção da BR-319 porque vai proporcionar muitos benefícios para nós, empreendedores da cidade, aos lojistas, gerando emprego e renda”, opina.

Prestes tem uma loja de informática e games, além de também vender equipamentos eletrônicos. Diferente de outros lojistas, suas vendas aumentaram 45% na pandemia. “Na quarentena, as vendas de videogames cresceram muito, já que as pessoas ficavam em casa sem o que fazer. Imagine quando a obra estiver finalizada, Humaitá será mais vista e tudo vai melhorar para todos”, comenta Prestes.

Outro lojista com a perspectiva positiva é o empresário Afonso da Graça. Ele e a família se mudaram para o Km 520, às margens da rodovia, em 1975, antes da inauguração da BR. Em 1990, ele conta que a estrada praticamente nem existia mais, de tão desgastada. Afonso crê que essa revitalização trará maiores benefícios para os comerciantes e para quem quiser conhecer a área verde da região.

“O morador de Humaitá quase nem lembra que Manaus é a capital do Estado, porque tudo se resolve em Porto Velho, já que a rodovia é péssima e fica muito longe. Com essa ligação, vai ter uma melhora no turismo para quem quiser conhecer a nossa floresta. Nós temos a via de acesso terrestre para Rondônia, mas as outras cidades do Amazonas são desligadas de outros estados brasileiros. Com certeza, essa reconstrução vai melhorar a vida dos moradores”, declara.

A revitalização da BR-319 será separada por trechos
A revitalização da BR-319 será separada por trechos | Foto: Reprodução Internet

A união faz a força

No início do mês de outubro, o governador do Amazonas, Wilson Lima, e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, estiveram no município de Humaitá para assinar a ordem de serviço para a manutenção de três segmentos da BR-319. Esses três trechos foram divididos por etapas. O primeiro lote faz parte do Km 178,50 até o Km 260,7, com seus 82,20 quilômetros de extensão. O segundo pertence ao Km 261,10 e se estende até o Km 346,20, que dá um total de 85,10 quilômetros. Por último, o Km 346,20, que dá acesso à BR-174 com a AM-364, com a extensão de 86,90 quilômetros.

Logo no início das negociações, o governador disse que esse é momento para aproveitar o apoio do Governo Federal. “Nós não podemos retroagir de onde chegamos com as tratativas da BR. Agora, é preciso que a gente mantenha essa chama acesa, que o Brasil possa entender por que nós queremos a rodovia. E não é só do ponto de vista econômico, vejo muito mais pelo ponto de vista social, da garantia do direito de ir e vir do cidadão. Hoje o Amazonas e Roraima estão isolados do restante do Brasil por via terrestre”, afirmou Wilson Lima.

Histórico da rodovia

A Rodovia Álvaro Maia, mais conhecida como BR -319 ou Rodovia Manaus-Porto Velho, foi inaugurada em 1976, apesar do tráfego já estar ativo em 1973. Contudo, por falta de manutenção e deterioração do asfalto, o acesso à rodovia foi fechado doze anos depois, em 1988. Mesmo quando foi aberta, era um risco fazer o percurso. Desde então, diversas promessas inconclusivas foram feitas para a reconstrução dos 885 quilômetros de extensão da estrada.


Leia mais:

Ministro assina ordem para iniciar reforma no trecho do meio da BR-319

BR -319: reconstrução trará desenvolvimento econômico e social ao AM

Braga anuncia obras de manutenção do trecho do meio da BR-319