Suframa


Bioeconomia foi tema-chave em encontro estratégico na Suframa

Além disso, ações integradas foram discutidas para fomentar a atuação conjunta dos órgãos presentes

| Foto: Divulgação

Manaus - Com o objetivo de criar sinergia e fomentar uma atuação conjunta visando ao desenvolvimento socioeconômico e sustentável da Amazônia, a Suframa realizou nesta terça-feira (10), em seu auditório, evento reunindo dirigentes da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) e do Banco da Amazônia e representantes de diversas entidades de classe da indústria, do comércio, da agropecuária e do setor de serviços da região.

De acordo com o superintendente da Suframa, Algacir Polsin, o evento, além de possibilitar o contato direto entre a nova superintendente da Sudam, Louise Caroline Campos, e o presidente do Banco da Amazônia, Valdecir Tose, com a classe empresarial e produtiva da região, também fez parte de uma ampla programação que está ocorrendo ao longo desta semana entre dirigentes e técnicos de forma a aproximar esses entes e verificar possibilidades de parcerias e ações conjuntas. 

“O objetivo principal do ponto de vista da Suframa é interagir mais com esses órgãos, unificar esforços e atrair investimentos para a nossa região. Queremos também mostrar para a população que essas entidades estão interessadas em desempenhar um trabalho integrado buscando soluções e avanços em áreas estratégicas”, reforçou o superintendente.

A titular da Sudam, Louise Caroline Campos, disse que a aproximação com a Suframa e com outros atores envolvidos no processo de desenvolvimento da Amazônia é muito positiva e que a nova gestão da instituição está focada em pessoas, buscando levar oportunidades e alternativas para a população. "Podem contar com a Sudam, pois o desenvolvimento tem que ser sistêmico. Imaginamos muitas parcerias e possibilidades e estamos à disposição para colaborar", afirmou Louise.

Para o presidente do Banco da Amazônia, Valdecir Tose, é de suma importância que os órgãos de desenvolvimento da região se unam cada vez mais e trabalhem conjuntamente. 

“O Banco da Amazônia quer participar do processo de desenvolvimento como um todo. Por sermos um banco, trazemos um olhar diferenciado às discussões com esse viés econômico, buscando sempre fomentar a viabilidade e a competitividade dos projetos. Sem dúvidas, estamos prontos para atuar forte junto com a Suframa, Sudam, federações, entidades e demais parceiros na missão de fazer da Amazônia mais forte”, complementou.

Na ocasião, ocorreu também uma breve apresentação da gerente de Geração de Receitas da Embratur, Claudine Bichara de Oliveira, sobre um projeto pioneiro intitulado “Semana Internacional da Amazônia”, que está em estudo para ocorrer no segundo semestre do ano que vem e tem o objetivo de promover a divulgação internacional das oportunidades e atrações turísticas da região amazônica.

Ao final da reunião, representantes de entidades como a Câmara de Dirigentes de Lojistas de Manaus (CDL-Manaus), Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam), Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Associação Comercial do Amazonas (ACA), Federação da Agricultura e Pecuária do Amazonas (Faea) e Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Amazonas (Fecomércio-AM) tiveram também a oportunidade de prestar contribuições às discussões e defender ideias visando ao desenvolvimento da região. 

Bioeconomia

Dentro da programação do evento, a bioeconomia foi tema-chave na agenda ocorrida na manhã desta terça-feira entre representantes da Suframa, Sudam, Banco da Amazônia e Embratur. Em visita ao Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA), localizado no Distrito Industrial de Manaus, eles assistiram a uma apresentação institucional do Centro, visitaram unidades como laboratórios, central analítica e planta piloto industrial e conheceram in loco projetos inovadores desenvolvidos pelo CBA.

Veja mais:

Codam avalia investimentos de R$ 869 milhões para o Amazonas

Especialistas sugerem soluções para a Manaus do futuro

Bioeconomia: alternativa para crescimento econômico no Amazonas