Agricultura


Humaitá registra alta na produção de arroz e soja na safra 2020/2021

Somente de arroz, há 2.005 hectares plantados no município, o que resulta em uma colheita de pouco mais de 9 mil toneladas

Além do arroz, Humaitá possui 2.600 hectares de área plantada de soja e a expectativa é colher 7 mil toneladas
Além do arroz, Humaitá possui 2.600 hectares de área plantada de soja e a expectativa é colher 7 mil toneladas | Foto: Divulgação/Sepror

Manaus - O sul do Amazonas tem se destacado na produção de grãos, em especial, a região do município de Humaitá. Dados do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam) apontam que as safras de arroz e de soja, do período 2020/2021, serão maiores que as da colheita 2019/2020 e os produtores rurais da região comemoram o momento positivo do setor.

A gerente do Idam em Humaitá, Gisely Melo, explica que a perspectiva de colheita do arroz na safra 2020/2021 é de 90 a 100 sacos (de 50 quilos) por hectare plantado. No total, há 2.005 hectares plantados no município, o que resulta em uma colheita de pouco mais de 9 mil toneladas de arroz. Humaitá também possui 2.600 hectares de área plantada de soja e a expectativa é colher 55 sacos (de 50 quilos) por hectare, o que representará mais de 7 mil toneladas. Em 2019, a área plantada de arroz foi de 1.475 hectares e a de soja de 1.800 hectares.

Na avaliação do diretor-presidente do Idam, Valdenor Cardoso, Humaitá tem vocação para a produção de grãos e o Governo do Amazonas, através do Idam, tem trabalhado diariamente para expandir ainda mais a produção de arroz e soja na região. “A ordem do governador Wilson Lima é de avançarmos no auxílio e assistência técnica junto aos produtores rurais de Humaitá, bem como de todo o Amazonas e temos feito isso e os resultados falam por si só”, completou.

Produtor

Entre os cinco produtores de arroz assistidos pelo Idam em Humaitá está Dorismar Luís que, no ano passado, conseguiu conquistar o documento de licenciamento ambiental, o Cartão do Produtor Primário (CPP) e, em 2020, conseguiu acesso aos programas do Governo do Estado, Pró-Mecanização e Pró-Calcário, por meio da Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror) e projetos da unidade local do Idam Humaitá. “Com o cartão, o senhor Dorismar consegue comprar sementes e acessar outros benefícios que, a partir do documento, o produtor rural pode acessar e com a aprovação nos programas, ele ganhou uma motivação a mais para seguir na produção de arroz”, detalhou a gerente Gisely.

Com o crédito liberado através da Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam), Dorismar conseguiu plantar 65 hectares de arroz e a expectativa é colher em torno 85 sacas por hectare. O plantio iniciou no último dia 8 de outubro, na fazenda Boa Esperança, localizada na BR-319, sentido Porto Velho, quilômetro 40.

“Esse plantio já está com 40 dias e após a colheita, o arroz deve ser comercializado em Humaitá, Manaus e Porto Velho. Além do senhor Dorismar, temos uma média de 10 produtores que estão cultivando grãos, entre arroz e soja”, ressaltou ainda a gerente. Entre as variedades de arroz produzidas, no plantio do Dorismar, estão as espécies ANO9005 e 8001.

Segundo o produtor, os programas do Governo do Estado para o setor primário são de extrema importância para os produtores rurais. “Nós sempre cuidamos de lavoura e queremos plantar, colher e vender nosso produto com qualidade. E os incentivos são como benefícios para melhorar os plantios dos produtores familiares que vivem da agricultura”, comentou.

Programas

O Programa de Pró-Mecanização é uma linha de crédito subvencionada pelo Governo do Estado, através da Sepror, por meio do termo de convênio n° 04/2015 (Sepror/Agência de Fomento do Estado Amazonas – Afeam e Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas – Idam), com vigência até 2020.

O Pró-Calcário é um programa voltado para a correção do solo. Por meio dele, o calcário é lançado no solo para que se tenha mais produtividade, corrigindo a acidez. O Governo do Estado trabalha para que o setor primário tenha mais máquinas e equipamentos a fim de aumentar a produtividade juntamente com a correção do solo à base de calcário.

*Com informações da assessoria

Veja mais:

Conab prevê produção recorde de grãos na safra 2020/21

Governo Federal zera imposto sobre o milho e a soja até 2021

Governo zera imposto de importação da soja e do milho