Produção


Com mais de 98 mil bicicletas, indústria atinge melhor resultado

Mesmo com a falta de insumos e atendendo as medidas sanitárias de combate a Covid-19, fabricantes do Polo Industrial de Manaus aceleram ritmo para contemplar a demanda

| Foto: Divulgação

Manaus - As fabricantes de bicicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM) registraram o melhor desempenho do ano pelo segundo mês consecutivo. De acordo com levantamento da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo, em outubro foram produzidas 98.330 bicicletas. O volume é 10,2% superior ao registrado em setembro do presente ano (89.209 unidades) e 15,5% menor ante as 116.301 unidades produzidas no mesmo mês de 2019. 

No acumulado de janeiro a outubro, a produção totalizou 562.224 unidades, correspondendo a uma retração de 31,4% na comparação com o mesmo período do ano passado (820.040 unidades).

“A falta de insumos é o nosso principal gargalo. Estamos enfrentando falta de alguns componentes como sistemas de freios e de transmissões, por exemplo, que impossibilitam dar conta da demanda”, afirma o vice-presidente do segmento de Bicicletas, Cyro Gazola. O executivo explica que muitos fornecedores globais de componentes não conseguem atender aos pedidos crescentes vindos de vários países.  “Isso tem gerado dificuldade na montagem e, consequentemente, a falta de alguns modelos no mercado”, afirma.

Gazola enfatiza que as empresas associadas à Abraciclo estão concentrando esforços para suprir o mercado o mais rápido possível, mas alerta que a normalização do abastecimento deverá acontecer apenas em meados de 2021.

METAS REVISADAS

A forte reação da indústria de bicicletas desde o retorno das atividades fabris, no entanto, não será suficiente para o setor alcançar os patamares esperados para este ano no período pré-pandemia. Isso levou a Abraciclo a revisar recentemente suas projeções para 2020.

A produção estimada para este ano é de 736.000 mil bicicletas, o que representa uma queda de 20% na comparação com o resultado de 2019 (919.924 unidades). A estimativa anterior, apresentada em janeiro, no período anterior à crise da covid-19, era de 987.000 unidades.

NOVAS PROJEÇÕES DE PRODUÇÃO DE BICICLETAS POR CATEGORIAS - PIM

CATEGORIAS

REALIZADO 2019

NOVA PROJEÇÃO 2020

VARIAÇÃO

(%)

VARIAÇÃO UNIDADES

MTB

436.795

405.000

-7,3%

-31.795

URBANA/LAZER

337.849

225.000

-33,4%

-112.849

ELÉTRICA

2.958

8.000

271,9%

5.042

ESTRADA

9.102

10.000

20,9%

898

INFANTO JUVENIL

133.220

88.000

-33,9%

-45.220

TOTAL

919.924

736.000

-20,0%

-183.924

Fonte: Associadas da Abraciclo 

RESULTADOS POR CATEGORIA

Os principais destaques em outubro foram as categorias Urbana/Lazer e Mountain Bike (MTB). A primeira foi a que registrou o maior aumento percentual, de 16,9%.  Foram produzidas 38.082 unidades ante 32.588 registradas em setembro.

Já a MTB alcançou o melhor resultado em números absolutos, com a fabricação de 46.303 bicicletas. O volume é 6,3% maior na comparação com setembro (43.567 unidades) e 10,6% inferior ante as 51.818 produzidas em outubro do ano passado.

Confira a seguir o comparativo de produção por categoria:

COMPARATIVO DE PRODUÇÃO DE BICICLETAS POR CATEGORIAS MENSAL PIM

CATEGORIAS

outubro/19

setembro/20

outubro/20

(outubro/20) / (outubro/19)

(outubro/20) / (setembro/20)

MTB

51.818

43.567

46.303

-10,6%

6,3%

URBANA/LAZER

39.084

32.588

38.082

-2,6%

16,9%

ELÉTRICA

439

397

463

5,5%

16,6%

ESTRADA

920

558

578

-37,2%

3,6%

INFANTOJUVENIL

24.040

12.099

12.904

-46,3%

6,7%

TOTAL

116.301

89.209

98.330

-15,5%

10,2%

Fonte: Associadas da Abraciclo

A MTB liderou ainda o ranking das categorias mais produzidas no acumulado do ano, com 298.560 unidades e 53,1% de participação. Em segundo lugar, ficou a Urbana/Lazer (195.329 bicicletas e 34,7% de participação). Na sequência vieram, pela ordem, a Infantojuvenil (56.884 unidades e 10,1% de participação), Estrada (7.659 unidades e 1,4% de participação) e Elétrica (3.792 unidades e 0,7% de participação). 

DISTRIBUIÇÃO POR REGIÃO

A região Sudeste foi a que mais recebeu bicicletas fabricadas pelo Polo Industrial de Manaus em outubro. No total, foram 57.703 unidades, correspondendo a um aumento de 35% na comparação com setembro do presente ano (42.754 unidades) e redução de 11,2% em relação a outubro de 2019 (64.960 bicicletas).

Em segundo lugar ficou a região Sul, que recebeu 19.298 bicicletas. Esse volume correspondeu a uma queda de 14,7% na comparação com setembro (22.613 unidades) e de 31,9% ante as 28.323 bicicletas registradas no mesmo mês do ano passado.

Na sequência do ranking, veio a região Nordeste, com 13.676 bicicletas. Na comparação com setembro (15.130 unidades), houve retração de 9,6% e em relação a outubro do ano passado (14.544 bicicletas), a queda foi de 6%.

Em seguida, ficou com a região Centro Oeste que recebeu 4.439 unidades, redução de 3,7% na comparação com setembro do presente ano (4.610 bicicletas) e de 24,7% em relação a outubro de 2019 (5.894 unidades).

A região Norte ficou com 3.214 bicicletas. Esse volume foi 21,6% menor ante as 4.102 unidades registradas em setembro e 24,6% maior na comparação com outubro do ano passado (2.580 unidades).

Essas posições foram mantidas no ranking do acumulado do ano. A região Sudeste recebeu 301.232 bicicletas, o que representa 53,6% do total distribuído. Na sequência, vieram as regiões Sul (109.456 unidades e 19,5% do volume total), Nordeste (87.275 unidades e 15,5%), Centro Oeste (36.251 e 6,4%) e Norte (28.010 e 5%).

IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO

De acordo com dados do portal de estatísticas de comércio exterior Comex Stat analisados pela Abraciclo, em outubro, foram importadas 1.717 bicicletas em todo o território nacional. Na comparação com setembro, houve redução de 74,8% (6.819 unidades). Em relação ao mesmo mês do ano passado, a queda foi de 81,7% (9.392 bicicletas).

A maioria das bicicletas veio da China. Foram 1.499 unidades, correspondendo a 87,3% do total importado. O segundo e terceiro lugares do ranking também foram ocupados por países do continente asiático: Vietnã (113 unidades e 6,6% de participação) e Taiwan (50 unidades e 2,9% de participação).

De janeiro a outubro, as importações totalizaram 44.518 bicicletas, volume 15,8% inferior ante as 52.889 unidades registradas no mesmo período de 2019.

A China representou o principal parceiro comercial no acumulado do ano, com 31.839 unidades e 71,5% do volume total importado. Em segundo lugar, ficou Taiwan (7.127 bicicletas e 16% do total importado), seguido pelo Vietnã (2.867 unidades e 6,4%).

 Em outubro, as exportações em todo o território nacional somaram 970 bicicletas. Segundo dados do portal Comex Stat analisados pela Abraciclo, houve aumento de 10,7% na comparação com setembro (876 unidades) e de 110,9% em relação a outubro do ano passado (460 bicicletas).

O principal destino foi o Paraguai, que recebeu 353 bicicletas, correspondendo a 36,4% do volume total exportado. O Equador ficou em segundo lugar (305 unidades e 31,4% do total exportado), seguido pelo Uruguai (270 bicicletas e 27,8%).

No acumulado do ano, as exportações de bicicletas somaram 11.063 unidades, recuo de 0,5% em relação ao mesmo período de 2019 (11.115 unidades).

O primeiro lugar no ranking de janeiro a outubro ficou com o Paraguai, com 5.992 unidades e 54,2% do volume exportado. Em seguida, vieram Uruguai (2.136 bicicletas e 19,3% do total exportado) e Bolívia (1.674 unidades e 15,1%). 

Glossário - Categorias de Bicicletas

Sobre a ABRACICLO e o Setor de Duas Rodas

Com 44 anos de história e contando com 14 associadas, a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – ABRACICLO representa, no País, os interesses dos fabricantes de veículos de duas rodas, além de investir em ações visando a paz no trânsito e a prática da pilotagem segura. A fabricação nacional de motocicletas, quase totalmente concentrada no Polo Industrial de Manaus (PIM), está entre as oito maiores do mundo. No segmento de bicicletas, com as principais fábricas também instaladas no PIM, o Brasil se encontra na quarta posição entre os principais produtores mundiais. No total, as fabricantes do Setor de Duas Rodas geram mais de 13 mil empregos diretos em Manaus/AM.

MOTOCICLETAS*

BICICLETAS*

Frota nacional: acima de 28 milhões de unidades

Frota nacional: mais de 70 milhões de unidades

Produção anual: acima de 1,1 milhão de unidades

Produção anual: 2,5 milhões de unidades**

7º maior produtor mundial

4º maior produtor mundial

(*) Dados do fechamento de 2019. (**) Produção em todo o território nacional e excluídas as bicicletas infantis.

 *Com informações da assessoria

Leia Mais:

No PIM, setor de Duas Rodas apresenta queda de 17,1% na produção

No PIM, produção de motocicletas apresenta queda de 13,5% em outubro

Produção de bicicletas cai 34,1% no Polo Industrial de Manaus