Fonte: OpenWeather

    Mobilização


    Manaus terá ato virtual contra a Reforma Administrativa nesta quinta

    A mobilização acontece em nível nacional e em Manaus será realizada de forma virtual

    | Foto: Divulgação

    No Congresso Nacional e bastidores do Governo Federal, a movimentação pela aprovação da Reforma Administrativa não para, assim como a preocupação com os prejuízos que ela representa à sociedade em geral. Por conta disso, o Fórum em Defesa dos Servidores e dos Serviços Públicos no Amazonas participa, nesta quinta-feira (10), de mais um Dia Nacional de Lutas contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32/20.

    A mobilização acontece em nível nacional e em Manaus será realizada de forma virtual, com transmissão ao vivo pelas redes sociais (Facebook e Youtube) das entidades que compõem o Fórum.

    Entre elas o Sindicato dos Servidores da Justiça do Trabalho da 11ª Região e Justiça Federal do Amazonas (SintraAM/RR), Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Estado Amazonas (Sindsef/AM), Sindicato dos Servidores da Justiça Eleitoral do Estado do Amazonas (Sinjeam), Sindicato dos Servidores Públicos Federais do Amazonas (Sindsep-AM), Associação dos Docentes da Universidade Federal do Amazonas (Adua), Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior no Amazonas (Andes-AM), Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (Asprom/Sindical). 

    Além destes também participam do ato entidades representativas dos servidores estaduais e municipais, centrais sindicais de trabalhadores em geral, movimentos sociais diversos e parlamentares do Estado que apoiam a luta dos servidores contra a Reforma Administrativa.   

    A data da mobilização foi proposta pelo Fórum das Entidades dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe) e incorporada pelas centrais sindicais e sindicatos de todo o país.

    O presidente do SintraAM/RR, Luiz Claudio Corrêa, comenta que a mobilização nacional visa fazer críticas às alterações propostas pela Reforma Administrativa, que afeta substancialmente o serviço no setor público de todo o Brasil. “O ato nacional é uma forma de fazer pressão contra essa PEC que em nada melhora os serviços ofertados aos brasileiros, mas retira direitos do trabalhador como se a ele coubesse a culpa por todas as mazelas do serviço público”.

    A PEC 32/20 foi apresentada pelo governo do presidente Jair Bolsonaro e encaminhada ao Congresso Nacional em setembro deste ano. Mudanças no estatuto do servidor público, o fim do direito de promoção por tempo de cargo e a implantação de novos regimes de vínculo para os servidores atuais são alguns dos temas polêmicos da proposta de reforma que pretende reestruturar a gestão e as carreiras do funcionalismo público.

    Leia mais:

    Wilson Lima recebe prêmio por eficiência em gestão previdenciária

    Prefeito vistoria obra do mercado Walter Rayol e marca data da entrega

    Com pagamentos, Governo do Amazonas injetará R$ 1,2 bilhão na economia