Fonte: OpenWeather

    Inflação


    Inflação para famílias com menor renda fecha 2020 com alta de 5,45%

    Além de superar o percentual alcançado em 2019 (4,48%), o índice é o maior desde 2016 (6,58%)

     

    O INPC é calculado com base em famílias com rendimento de um a cinco salários mínimos
    O INPC é calculado com base em famílias com rendimento de um a cinco salários mínimos | Foto: Tânia Rêgo

    Rio de Janeiro - O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) fechou 2020 com alta de 5,45%, o maior desde 2016, quando subiu 6,58%. O resultado superou o percentual alcançado em 2019: 4,48%. Em dezembro, o INPC avançou 1,46% frente a alta de 0,95% do mês anterior. 

    Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que divulgou nesta terça-feira (12) o indicador, essa elevação foi a maior variação mensal desde janeiro de 2016 (1,51%) e a maior variação para um mês de dezembro desde 2002 (2,70%). Em dezembro de 2019, a taxa foi de 1,22%.

    O INPC é calculado com base em famílias com rendimento de um a cinco salários mínimos, tendo como referência a pessoa assalariada e residentes nas áreas urbanas das regiões metropolitanas de Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Vitória, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Porto Alegre, e dos municípios de Goiânia, Campo Grande, Rio Branco, São Luís e Aracaju, além do Distrito Federal.

    Peso dos alimentos

    Em dezembro, os preços dos produtos alimentícios avançaram 1,86%, enquanto em novembro registraram 2,65%. Movimento diferente dos não alimentícios que apresentaram alta de 1,33%, após elevação de 0,42% em novembro.

    O IBGE informou ainda que todas as áreas pesquisadas apresentaram aumento no mês. O menor percentual foi o de Aracaju (0,89%), influenciado pelas quedas de 2,22% nos preços de aparelhos telefônicos e de 2,92% nos do pão francês. São Luiz foi a área onde houve o maior índice, com alta de 2,09%, impactado, principalmente, pelo avanço de 10,82% no preço das carnes.

    Veja mais:

    Taxa Selic em 3,25% pode contribuir para financiamentos no AM

    Preço da cesta básica aumentou em todas as capitais em 2020

    Com o fim do auxílio, 1,2 milhões de amazonenses serão prejudicados