Fonte: OpenWeather

    Desemprego


    Desemprego bate recorde no Brasil em 2020 com 13,4 milhões de pesssoas

    A taxa média anual foi a maior já registrada desde o início da série histórica em 2012

     

    Houve uma piora nas condições do mercado de trabalho em decorrência da pandemia da covid-19
    Houve uma piora nas condições do mercado de trabalho em decorrência da pandemia da covid-19 | Foto: Divulgação/Pablo Jacob

    Brasil - A taxa média anual de desemprego no Brasil foi de 13,5% em 2020, a maior já registrada desde o início da série histórica em 2012. Os dados foram divulgados hoje e fazem parte da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua, do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

    A taxa de 13,5% verificada em 2020 corresponde a cerca de 13,4 milhões de pessoas na fila por um trabalho no país. O resultado para o ano interrompe a queda iniciada em 2018, quando a taxa ficou em 12,3%. Em 2019, o desemprego foi de 11,9%.

    No último trimestre de 2020, a taxa de desocupação atingiu 13,9%, depois de chegar a 14,6% no terceiro trimestre, encerrado em setembro "No ano passado, houve uma piora nas condições do mercado de trabalho em decorrência da pandemia de covid-19", disse a analista da pesquisa, Adriana Beringuy.

    "A necessidade de medidas de distanciamento social para o controle da propagação do vírus paralisaram temporariamente algumas atividades econômicas, o que também influenciou na decisão das pessoas de procurarem trabalho. Com o relaxamento dessas medidas ao longo do ano, um maior contingente de pessoas voltou a buscar uma ocupação, pressionando o mercado de trabalho", Adriana Beringuy.

     

    A população ocupada reduziu 7,3 milhões de pessoas, chegando ao menor número da série anual
    A população ocupada reduziu 7,3 milhões de pessoas, chegando ao menor número da série anual | Foto: Divulgação

    Segundo o IBGE, no intervalo de um ano, a população ocupada reduziu 7,3 milhões de pessoas, chegando ao menor número da série anual. "Saímos da maior população ocupada da série, em 2019, com 93,4 milhões de pessoas, para 86,1 milhões em 2020. Ou seja, foi uma queda bastante acentuada e em um período muito curto, o que trouxe impactos significativos nos indicadores da pesquisa. Pela primeira vez na série anual, menos da metade da população em idade para trabalhar estava ocupada no país. Em 2020, o nível de ocupação foi de 49,4%", afirmou Adriana.

    *Com informações via UOL

    Leia mais

    IRPF 2021: Auxílio Emergencial deverá ser declarado por beneficiários

    Governo Central registra superávit de R$ 43,2 bilhões em janeiro

    Está desempregado? Prefeitura oferta 82 vagas nesta sexta (26)