Fonte: OpenWeather

    Perdão de dívidas


    Afetados pelas cheias no AM podem ser anistiados de dívidas pela Afeam

    Governador Wilson Lima vai encaminhar projeto à ALEAM para anistiar dívidas com a Afeam de produtores afetados pela enchente

     

    Até este sábado (27, Wilson Lima visita também Boca do Acre, Pauini, Guajará e Envira, municípios que já sentem os efeitos da cheia dos rios neste ano.
    Até este sábado (27, Wilson Lima visita também Boca do Acre, Pauini, Guajará e Envira, municípios que já sentem os efeitos da cheia dos rios neste ano. | Foto: Divuglação

    Manaus (AM) - Em viagem a municípios afetados pela cheia nas calhas dos rios Juruá e Purus, nesta sexta-feira (26), o governador Wilson Lima anunciou que vai encaminhar à Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALEAM) projeto de lei para conceder, a produtores e empreendedores com financiamento junto à Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam), anistia total ou parcial de dívidas.

    O anúncio foi feito pelo governador durante visita a Eirunepé (a 1.160 quilômetros de Manaus). O projeto contempla aqueles que tiveram suas atividades produtivas afetadas pela enchente.

    Municípios visitados pelo governador:

    Até este sábado (27, Wilson Lima visita também Boca do Acre, Pauini, Guajará e Envira, municípios que já sentem os efeitos da cheia dos rios neste ano. 

    Leia também:  Municípios atingidos pela cheia no AM vão receber 'merenda em casa'

    O PL a ser enviado para a ALEAM, até a próxima semana, vai contemplar anistia a empreendedores e produtores dos municípios das calhas dos rios Purus, Juruá e Madeira, que se encontram em “Estado de Emergência”, decretado pelas Prefeituras Municipais. 

    “Vamos mandar uma mensagem para a Assembleia Legislativa para anistiar aquelas pessoas que têm operação de crédito com a Afeam, de até R$ 21 mil. E também estamos liberando R$ 10 milhões para essas duas calhas (Juruá e Madeira), voltadas para o microcrédito, que é de R$ 2 mil. Não precisa garantia e tem uma carência de até seis meses para que essa pessoa comece a pagar essas parcelas”, ressaltou Wilson Lima. 

    Voltado a pessoas em situação de vulnerabilidade social, o microcrédito faz parte do programa Crédito Solidário, que tem prazo de carência de até 180 dias e mais 24 parcelas para o pagamento, com menor taxa, de 0,5% ao ano. 

    Além disso, a Afeam também disponibiliza o Crédito Emergencial, que pode ser acessado por meio das unidades do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam).

    Leia mais:

    www.emtempo.com.br/ultimas